Cristo é todo o fundamento da Igreja

Portanto, observemos como a Igreja é adequadamente edificada sobre Cristo, a saber, se exclusivamente ele é posto como justiça, redenção, santificação, sabedoria, satisfação, purificação, em síntese, como vida e glória; ou, se se preferir de forma mais breve, se ele é pregado de tal forma que seu ofício e virtude são entendidos da forma como são apresentados no final do primeiro capítulo. Ora, se Cristo não é adequadamente conhecido e lhe é simplesmente atribuído o nome de Redentor, enquanto que, ao mesmo tempo, a justiça, a santificação e a salvação são buscadas em outras fontes, ele é lançado para fora do fundamento e pedras falsas são postas em seu lugar. Temos um exemplo disto no procedimento dos papistas, ou seja, ao despirem Cristo de quase todos os seus ornamentos, e não lhe deixam quase nada senão um simples nome. Tais pessoas, pois, não estão de forma alguma sendo fundamentadas em Cristo. Ora, visto que Cristo é o fundamento da Igreja em razão de ser ele a única fonte de salvação e vida eterna, em razão de que é nele que conhecemos Deus o Pai e em razão de se achar nele a fonte de todas as nossas bênçãos - então, se não é reconhecido como tal, ele, imediatamente, cessa de ser o fundamento.

João Calvino
In: Comentário da Carta aos Coríntios, 3:11-12.

5 comentários:

  1. JESUS CRISTO é o ÚNICO FUNDAMENTO!

    GRAÇA E PAZ!

    ResponderExcluir
  2. Jesus único e suficiente.
    "JESUS + nada = TUDO."(Tullian Tchividjian)

    SOLA CHRISTUS

    .::::Bryan::::.

    ResponderExcluir
  3. Aloisio e Bryan,

    Jesus é tudo!

    E a propósito, a expressão é Solus Christus. E Soli Deo.

    Em Cristo,

    Clovis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ops errei feio

      .::::Bryan::::.

      Excluir
  4. Como estou viajando e sem muito tempo para net, estou aproveitando para ler "O pastor como mestre e o mestre como pastor", de John Piper (pastor-mestre) e D. A. Carson (mestre-pastor).

    Pensa num livrinho despretensioso em termos de páginas e excelente em termos de conteúdo e leitura agradável. Ainda não concluí a leitura, mas é com pesar que interrompo cada leitura.

    Se você não o leu ainda, aproveite. É baratinho.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.