Perguntas e respostas - outros temas

Nesta página você encontra as perguntas mais frequentes, bem como as respostas dadas a ela. Caso a sua dúvida não esteja respondida aqui, utilize o formulário comentários para fazer sua pergunta.

Pergunta 1. O espírito de Deus tem ciúmes? 
Pergunta 2. Você é a favor da consagração de mulheres ao pastorado?
Pergunta 3. O que acontece com crianças que morrem na infância?  

32 comentários:

  1. Por favor, eu gostaria de saber se o texto de salmos 136:16 e literal ou figurado e qual seria o sentido correto de Matheus 11:11-12 e que fontes foram utilizadas para pesquisa.
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem certeza que a referência é Sl 136:16 ("Àquele que conduziu seu povo pelo deserto, O seu amor dura para sempre!") está correta? Se sim, o linguagem é literal (Sl 77:20; Ex 13:18; Ex 15:22; Nm 9:17-22; Dt 8:2; Dt 8:15; Ne 9:12; Ne 9:19; Is 49:10; Is 63:11-14).

      Quanto a Mt 11:11-12 vou responder com um post, pois requer uma explicação mais detalhada.

      Em Cristo,

      Excluir
  2. perdao a pasagem e sm 139:16 qem tem gerado muita polemica e gostaria se possivel for de esclarecimento.

    ResponderExcluir
  3. "Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia." - Salmos 139:16

    Anonimo, não sei oque o Clóvis pensa a respeito deste versículo, mas o contexto do Salmo nos ensina que e inutil tentar fugir de Deus, tendo em vista ser Ele onipresente (está em todos os lugares), onisciente (sabe todas as coisas) e onipotente (pode todas as coisas).

    Eu interpreto este versículo da seguinte forma, a porção que se refere ao livro de Deus, onde Ele escreve "todas estas coisas", é uma referência ao Decreto eterno; a porção onde diz que "[estas coisas] em continuação foram formadas" fala da providência divina pondo em prática aquilo que havia sido determinado pelo decreto; já a porção final "quando nem ainda uma delas [estas coisas] havia", pode referir-se ao decreto, indicando o "momento" em que elas foram escritas no livro, ou seja, na eternidade, antes da fundação do mundo, ou pode ser uma referência ao futuro como uma determinação divina, e não simplesmente presciência.

    ResponderExcluir
  4. E correto atribuir a eleição a somente um único atributo de Deus já que a vontade (motivação) e decreto (ação) demostram que tanto o querer como o efetuar são a expressão da completude (todos os atributos) de Deus?
    Os arminianos tentam explicar tudo segundo a presciência já aparentemente os calvinistas parecem tentar explicar tudo segundo a soberania e onde fica os outros atributos de Deus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é correto atribuir a eleição divina a um único atributo divino. Correto é atribuir a eleição unicamente a Deus, sem colocar sua causa ou motivação no homem.

      Além disso, soberania não é um atributo de Deus. É o exercício de Sua supremacia. Quando dizemos que a eleição é soberana, não estamos dizendo que uma parte do Ser de Deus escolhe, mas que a escolha depende unicamente de Deus.

      Já quando fazemos a eleição dependente da onisciência divina, em última análise a fazemos dependente do homem. Por isso dizemos que a eleição baseada na presciência deixa de ser soberana, pois a escolha decorre de algo antevisto no homem.

      Em Cristo,

      Excluir
    2. Mas, por que Deus não pode soberanamente escolher com base na fé? Que contradição existe nessa frase?

      Excluir
    3. Pq, se for eleição com base na fé, não é mais Deus quem escolhe, ele apenas aceita quem creu. É totalmente diferente.

      Excluir
  5. Tamotsu
    Nem o querer ou efetuar englobariam todos os atributos divinos.
    A eleição por presciência entra em choque com a graça. Se Deus elege alguém com base na presciência de algum ato do homem, a graça já não é mais graça. Por isso os calvinistas se apoiam na eleição com base em sua soberania, em seu pleno poder de escolha de quem quer salvar, o "beneplácito de sua vontade" como o texto bíblico diz.

    Veja que o texto de Romanos em que fala da escolha de Jacó e não de Esaú deixa claro que a escolha não estava baseada na presciência divina de que Esaú venderia a sua primogenitura. Deus escolheu Jacó e odiou Esaú para cumprir inteiramente a sua vontade, e não por algum bem ou mal que um dos gêmeos poderia vir fazer no futuro. Paulo exclui totalmente a eleição com base em presciência.

    Para o calvinismo, o homem está tão corrompido em sua natureza carnal que ele seria incapaz de dizer sim ao apelo do evangelho. Portanto, se Deus fosse olhar para o futuro para ver quem apresentaria fé para ser eleito, ninguém seria escolhido. Por que ninguém desejar aproximar-se de Deus. Se Deus escolher alguém por algum sinal que elas apresentem, a graça não é mais graça, é meritório, e Deus estaria fazendo acepção de pessoas.

    Se não respondi adequadamente, ou se ainda há mais dúvidas, não deixe de participar com seu comentário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas soberania não implica nada do que você disse, Clovis.

      Excluir
  6. O maior atributo de Deus e o amor, e qual seria a base bíblica se e que existe para tal afirmação?

    ResponderExcluir
  7. Deus criou o mal moral ou o mal circunstancial?

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, estou escolhendo uma igreja e gostaria de saber qual a diferença entre a igreja batista e a presbiteriana do brasil? se puder me informar ficarei muito feliz. Marcos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A partir dos termos batistas e presbiterianos podemos indicar duas diferenças.

      1. O termo Batista refere-se ao fato de que as igreja batistas só batizam crentes, ou seja, somente os que fazem profissão de fé pública. Já as igrejas presbiterianas batizam crianças.

      2. O termos Presbiteriana refere-se à forma de governo, ou seja, as igrejas presbiterianas são administradas localmente por um conselho, que se sujeita a um presbitério que por sua vez segue as disposições de concílios. As igrejas batistas são congregacionais, o que significa que embora estejam associadas à outras por laços de fraternidade e cooperação, cada igreja local é independente e não há interferência de uma sobre outras.

      É claro que estas distinções não são únicas. Mas podemos dizer que as igrejas presbiterianas, considerando seu sistema de governo e a subscrição da CFW, tendem a ser mais uniformes, enquanto que as igrejas batistas apresentam uma variação maior de uma para outra.

      Em Cristo,

      Excluir
  9. Clóvis,

    Por gentileza, me esclareça...

    Todos os comentários que são encaminhados para o post sobre o Leandro Quadros e os ETs, não consigo visualizar. Procuro pelo meio dos quase 400 comentários e não acho. Existe uma forma de simplificar essa busca?

    Obrigado.

    Em Cristo,

    ResponderExcluir
  10. caros irmãos,
    tenho uma dúvida sobre predestinação e colocarei a pergunta de forma hipotética para entender melhor a questão:
    quantos serão salvos caso a salvação dependa exclusivamente da vontade de Deus?
    (peço encarecidamente que respondam da forma mais simples possível para que possa entender)
    muito obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando,

      Obrigado por sua pergunta. Vou responder de forma objetiva, se necessitar de uma melhor fundamentação posso tratar do tema num artigo.

      1. Sim, a salvação depende da vontade de Deus e não do homem. Este ponto é líquido e certo.

      2. Não sabemos quantos serão salvos, mas sabemos que serão muitos. Quando a Bíblia refere-se aos salvos no céu, sempre fala de multidão.

      Fique à vontade caso precise que amplie ou fundamente essa resposta.

      Em Cristo,

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. então a resposta para minha pergunta seria muitos? não é o desejo de Deus que todos se salvem?

      Excluir
    4. ah! muito obrigado pela resposta simples! espero que possa responder novamente (se possiível, da mesma forma)

      Excluir
    5. André R. Fonseca4 de março de 2013 19:29

      Olá Fernando, peço a permissão do Clóvis para recomendar a leitura do link abaixo:

      http://pt.desiringgod.org/resource-library/articles/are-there-two-wills-in-god

      Texto de John Piper sobre: Existem duas vontades em Deus?
      Espero que ajude!

      Excluir
    6. Fernando,

      1. Sim, a resposta bíblica é que embora relativamente sejam "poucos os que entram pela porta estreita", em termos absolutos são muitos os que se salvam, uma vez que a Bíblia se referem a eles com uma multidão, de todos os povos, tribos e línguas.

      2. Sim, pelo seu caráter bondoso, Deus quer que todos sejam salvos. Porém, mais e acima disso, Deus ama a Sua glória e, de uma forma que talvez não compreendamos agora, Ele é mais glorificado salvando a muitos e não a todos.

      Sobre esta questão, se desejar leia Deus quer salvar a todos e Nota sobre 1Tm 2:4, aqui mesmo no Cinco Solas.

      Em Cristo,

      Excluir
  11. Mas se Ele ama Sua Glória mais do que a todos por que A deixou para nos salvar? Ele não salva a todos porque nem todos querem ser salvos ou por amar a Sua Glória?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando,

      1. Será que Deus deixou a Sua glória? Quando Jesus veio a este mundo, sua glória estava coberta pelo véu de Sua carne, mas Deus continuou sendo glorioso.

      2. Você parte do pressuposto de que Deus quer salvar a todos, mas não pode porque o homem não quer ser salvo. Sendo assim, a vontade de Deus é vencida pela vontade do homem. É assim que você acredita?

      Em Cristo,

      Excluir
    2. Muito obrigado pelas respostas Clóvis.
      Na verdade só não entendo muito bem o que querem dizer com predestinação. Fico cada vez mais confuso todas as vezes que tento entender melhor a forma como se relacionam com a Soberania Divina - por isso pedi por respostas simples - e ainda não entendo muito bem (me desculpem). Suponhamos que eu me perca, isso quer dizer que desde o início esse era o plano de Deus para mim? (é isso?).

      Excluir
    3. me desculpem pelo incômodo e obrigado pelas respostas.
      Fiquem com Deus

      Excluir
    4. Fernando,

      De forma alguma você incomodou, pelo contrário, foi um prazer. Mas acho que não respondi todas as suas perguntas.

      1. Por predestinação eu entendo o eterno propósito de Deus de conduzir seus eleitos à fé e preservá-los até a volta do Senhor. Isto implica que Deus preordenou todos os meios necessários para que um eleito creia e seja encontrado fiel no dia da vinda do Senhor.

      2. A predestinação bíblica é positiva, no sentido de se referir à salvação e não à perdição. A sua preocupação não deve ser, "sou um perdido?" e nem mesmo "sou um eleito?". A pergunta que deve fazer é "eu creio em unicamente em Jesus e confio exclusivamente em Sua obra para minha salvação?". Se puder responder afirmativamente, então é um eleito.

      3. Porém, é uma inferência lógica que se Deus pela Sua vontade salva apenas os eleitos, os que se perdem não foi contra a vontade de Deus. Portanto, todos aqueles que se perdem foram preteridos por Deus. Porém, e isso é importante, ninguém fica sem salvação por não ser um eleito. Todos os perdidos são justamente condenados por suas obras más.

      Espero ter respondido, se não, por favor, pode perguntar novamente que faço nova tentativa.

      Em Cristo,

      Excluir
  12. O QUE JOÃO QUIZ DIZER EM SEU EVANGELHO GUANDO DEFENDEU A IDEIA DE SERMOS GERADOS PELA SEMENTE DO EVANGELHO ?

    E COMO ASSOCIAR A IDEIA COM O CORPO DE PECADO ?

    ResponderExcluir
  13. clovis goncalves. ha alguma recomendacao sobre dizimo na confissao de fe de westminster ?. E quando a igreja reformada comecou a recolher dizimos dos fieis.

    ResponderExcluir
  14. Olá, gostaria de tirar uma dúvida: Deus também criou as trevas?
    Em Gênesis 1:2 dá a entender que já havia trevas (não está explicito a criação das trevas). Entretanto em Isaías 45:7, Deus afirma que criou todas as coisas, inclusive as trevas e o mal.

    ResponderExcluir
  15. Meu querido ! tenho algumas duvidas sobre o primado de Pedro , me foi argumentado por um estudioso católico as seguintes citações :
    “[...]quanto a Lino, cuja presença junto dele [do Apóstolo Paulo] em Roma foi registrada na 2ª carta a Timóteo [cf. 2Tm 4,21], depois de Pedro foi o primeiro a obter ali o episcopado, conforme mencionamos mais acima.” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,8 – 317 d.C).

    “[...]Alexandre recebeu o episcopado em Roma, sendo o quinto na sucessão de Pedro e Paulo” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,1 – 317 d.C).

    Note que Eusébio diz que Depois de Pedro Alexandre foi o 5º bispo de Roma ou seja o 6º bispo de Roma:
    Pedro -> Lino -> Anacleto -> Clemente -> Evaristo -> Alexandre

    Tertuliano (155-222 d.C.) falou da morte e atividade de Pedro em Roma:

    “A Igreja também dos romanos pública – isto é, demonstra por instrumentos públicos e provas – que Clemente foi ordenado por Pedro.“

    “Feliz Igreja, na qual os Apóstolos verteram seu sangue por sua doutrina integral!” - e falando da Igreja Romana, “onde a paixão de Pedro se fez como a paixão do Senhor.“

    “Nero foi o primeiro a banhar no sangue o berço da fé. Pedro então, segundo a promessa de Cristo, foi por outrem cingido quando o suspenderam na Cruz.” (Scorp. c. 15)

    Cipriano (martirizado em 258), Bispo de Cartago (norte da África):

    “A cátedra de Roma é a cátedra de Pedro, a Igreja principal, de onde se origina a unidade sacerdotal.” (Epístola 55,14.)

    Santo Agostinho (354 – 430):

    “A Pedro sucedeu Lino.” (Ep. 53, ad. Gen.)
    Cipriano (martirizado em 258), Bispo de Cartago (norte da África):
    “A cátedra de Roma é a cátedra de Pedro, a Igreja principal, de onde se origina a unidade sacerdotal.” (Epístola 55,14.)
    Existem fraudes nestas argumentações? por favor me oriente..

    ResponderExcluir
  16. Leia este artigo, meu irmão. http://voltemosaoevangelho.com/blog/2013/03/o-papa-e-o-infalivel-sucessor-de-pedro/

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.