O Senhor nosso Deus

O SENHOR nosso Deus é um só Deus, cuja existência reside em si mesmo; cuja natureza não pode ser compreendida por ninguém senão por ele mesmo; ele é o único que tem imortalidade, e mora numa luz a qual nenhum homem pode se aproximar; ele é em si santíssimo, em todos os aspectos infinito: em grandeza, sabedoria, poder e amor; é misericordioso e magnânimo, paciente e abundante em amabilidade e em verdade; é o que dá a existência, o vigor e a preservação de vida a todas as suas criaturas.

Primeira Confissão Londrina, 1642/44

5 comentários:

  1. Amados, compreendendo isso, compreendo minha fraqueza e minha pequena pessoa diante de um Deus que é em Si. Se todos respeitassem e admitissem a soberania Dele, seríamos melhores pessoas e este mundo seria diferente.

    ResponderExcluir
  2. Pela graça de Deus, neste ano, todos os domingos, estaremos estudando a Declaração de Fé dos Batistas de Londres.

    Você é convidado a acompanhar as postagens, conferir nas Escrituras se as coisas são assim mesmo e aprendermos juntos.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  3. Caro irmão, agradeço o convite e estarei atento às postagens!

    ResponderExcluir
  4. Visitei seu blog, e dou-lhe os parabéns. Gostava que fizesse parte dos meus amigos na Verdade Que Liberta, se seguir meu blog siga de forma a que eu possa seguir também o seu blog. Desejo para si e para seus familiares um Ano-Novo cheio de saúde e união na graça de Jesus. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. visite o blog na mira da verdade
    este sim fala a verade!!!!

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.