Eleição é uma doutrina detestada

Esta é uma doutrina detestada. Alguém naturalmente pensaria que uma verdade que honra tanto a Deus, que exalta tanto a Cristo, e tão abençoada, tenha sido cordialmente sustentada por todos cristãos professantes que tenham tido ela claramente apresentada diante deles. Devido aos termos “predestinados”, “eleitos”, e “escolhidos”, ocorrem tão freqüentemente na Palavra, alguém certamente concluirá que todos que reivindicam aceitar as Escrituras como divinamente inspiradas receberiam com implícita fé esta grande verdade, referindo ao ato por si mesmo - como tornando pecadores e ignorantes as criaturas que assim façam - diante da soberana boa vontade de Deus. Mas tal está longe, muito longe de ser a situação real. Nenhuma doutrina é tão detestada pelo orgulhoso homem natural como esta, que faz da criatura nada e do Criador tudo; sim, em nenhum outro ponto a inimizade da mente carnal é tão patente e vigorosamente evidente.

Nós começamos nossas palestras na Austrália dizendo: “Eu vou falar esta noite sobre uma das doutrinas mais odiadas da Bíblia, a saber, a da soberana eleição de Deus”. Desde então temos rodeado este globo, e chegado à um contato próximo com milhares de pessoas pertencentes a muitas denominações, e milhares destes cristãos professos não aceitaram esta declaração; e hoje a única mudança que fazemos naquela declaração é que enquanto a verdade do castigo eterno é uma das mais desagradáveis aos não professos, a da soberana eleição de Deus é a verdade mais odiada e insultada pela maioria daqueles que reivindicam ser crentes. Anuncie claramente que a salvação não é originada na vontade do homem, mas na vontade de Deus (veja João 1:13; Romanos 9:16), que não há ninguém que queira ou possa ser salvo - porque como resultado da queda do homem, todo desejo e vontade para o que é bom foi perdido (João 5:40; Romanos 3:11) - e que até mesmo os eleitos precisam serem feitos dispostos (Salmos 110:3), e estrondosos gritos de indignação se levantarão contra tal ensino.

Neste ponto a questão é tensa. Comerciantes de méritos não permitirão a supremacia da divina vontade e a impotência para o bem da vontade humana, conseqüentemente eles são aqueles mais amargos em denunciar a eleição pelo soberano prazer de Deus, são os mais entusiasmados em gritar pelo livre-arbítrio do homem caído. Nos decretos do concílio de Trento - no qual o Papado definitivamente determinou sua posição sobre os pontos levantados pelos Reformados, e que Roma nunca rescindiu - aparece o seguinte: “Se qualquer um afirmar que desde a queda de Adão, a vontade do homem foi eliminada, que seja amaldiçoado”. Foi devido a sua fiel aderência à verdade da eleição, com tudo o que ela envolve, que Bradford e centenas de outros foram queimados pelos agentes do Papa. Indizivelmente triste é ver tantos Protestantes professos concordarem com a mãe das meretrizes neste erro fundamental.

Mas seja qual for a aversão que os homens possam agora ter à esta bendita doutrina, eles serão compelidos a ouvi-la no último dia, ouvi-la como a voz da final, inalterável e eterna decisão. Quando a morte e o inferno, o mar e a terra, derem os mortos, então o Livro da Vida - o registro no qual foram gravados antes da fundação do mundo toda a eleição da graça - será aberto na presença de anjos e demônios, na presença de salvos e perdidos, e esta voz soará às alturas do Céu, às profundezas do inferno e aos extremos finais do universo - “E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo” (Apocalipse 20:15). Assim, esta verdade que é odiada pelos não eleitos acima de todos os outros, é uma que soará nos ouvidos dos perdidos a medida que eles entrarem na sua eterna perdição! Ah, meu leitor, a razão pela qual o povo não recebe e devidamente prezam pela verdade da eleição, é porque eles não sentem a devida necessidade dela. 

A. W. Pink

139 comentários:

  1. Ao Clóvis,

    Olha, cidadão, até que essa sua ideia descrita no artigo é bonita. Mas, e quanto aos perdidos? É Deus quem os elege, predestina ou escolhe para a destruição? É claro que não! Em Jer.: 29.11, Deus diz que tem apenas pensamentos de paz para com o ser humano.
    Logo, não é Ele quem escolhe para a perdição. Se não o é, então o Pai também não elege para a salvação, e permite que o ser humano decida se quer ou não a água da vida para si. É o que vemos em Apoc.: 22.17 "... quem QUISER receba de graça a água da vida."

    É lógico que Deus tomou a iniciativa para salvar o ser humano na Pessoa de Jesus Cristo que veio para nos salvar. Só que, uma vez o Pai tomando a iniciativa, Ele espera a resposta do ser humano no seu ato de aceitar o sacrifício que Cristo fez na cruz para o seu benefício.
    Vemos, por exemplo, o relato de Jo. 04.10:"...Se conheceras... quem é o que te pede: dá-me de beber, tu Lhe PEDIRIAS, e Ele te daria água viva."
    Veja que Cristo diz que devemos PEDIR a Ele a água viva, e, com esta água, nunca mais voltaríamos a ter sede. (verso 14).
    A mulher então disse:"Senhor, dá-me dessa água..."
    Veja que sua situação depravada não impediu que ela tomasse a decisão correta, e o Senhor havia dito que ela seria bem-aventurada SE pedisse primeiro a água da vida.

    Hoje não é diferente, temos que pedir a Jesus esta água, pois Ele diz: "... quem quiser [peça e] receba de graça a água da vida" Apoc.: 22.17

    Portanto, a doutrina da eleição calvinista é totalmente antibíblica.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  2. Mentira:

    "...então o Pai também não elege para a salvação".

    Verdade:

    Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade. II Te 2:13

    Destacando:

    por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação

    Sem mais.

    ResponderExcluir
  3. Sr. JCosta

    Você acha entendeu o diálogo de Jesus com a mulher samaritana, tanto quanto ela achou entender o que Jesus tinha dito! "Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. João 4:10" Jesus fala dele mesmo, mas ela achou que ainda tratava da água do poço. "Disse-lhe a mulher: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? João 4:11" Só um detalhe, água viva é um trocadilho com água fresca, ok?

    Jesus insiste: "Qualquer que beber desta água tornará a ter sede; Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna. João 4:13-14" Ela entendeu agora? Ainda não! Seu pedido não foi da água viva como entendemos, mas sim da água fresca que nunca mais permitirá voltar a ter sede, pois ela queria apenas deixar de ter o trabalho de ir até o poço buscar por água... queria atender apenas a sua necessidade física, veja: "Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água, para que NÃO MAIS tenha sede, e NÃO venha aqui tirá-la. João 4:15" Ela ainda não tratava o assunto de forma espiritual!

    Deixar que o homem entenda sozinho, em seu estado depravado, só vai entender errado! O que você acha que foi entendido, não foi! Ela ainda não nascera de novo, não podia entender as coisas espirituais porque são discernidas espiritualmente. Quem nos habilita é o Espírito Santo em sua ação, nos levando à conversão. Seria o caso de Lídia em AT 16:14.

    Dá pra entender que seu pedido não foi um pedido de conversão como você colocou? Seu pedido no versículo 15 não foi de conversão, mas sim de satisfação de uma necessidade física e nada tinha de espiritual!

    ResponderExcluir
  4. JCosta,

    Você é uma prova viva de que o artigo é verdadeiro.

    Clóvis

    ResponderExcluir
  5. Belo artigo, Clóvis.

    Como sempre, Pink fazendo bonito frente às doutrinas arminianas que destronam Deus e exaltam o homem à coisas que não é. Certamente que se os irmãos calvinistas de hoje fossem mais vigorosos em sua pregação e condenação da doutrina arminiana, muitas coisas seriam mudadas em nossas igrejas.

    Obrigado por compartilhar esse artigo.

    Em Cristo,
    Filipe Luiz C. Machado
    www.2timoteo316.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. No calvinismo, o problema não é a DOUTRINA DA GRAÇA referente aos eleitos, o que não é nem um pouco palatável é a DOUTRINA DA DESGRAÇA referente aos restantes.

    ResponderExcluir
  7. Caro Anônimo.

    A "doutrina da desgraça" (conforme sua declaração) também esta presente em outras vertentes e não somente no calvinismo.

    Pergunte para um ateu se ele acha legal e "palatável" o juizo do inferno que o pecador não justificado pela graça de Deus arcará por nao ter crido no Senhor Jesus Cristo (para ele isso é uma desgraça).

    Aliás, não precisa nem ser ateu. Por ai existem "cristãos" que não acreditam que Deus punirá o pecador eternamente no lago de fogo e enxofre.

    Experimenta debater com um deles. O raciocinio lógico-dedutivo usado por aqueles que não se consideram calvinistas para combaterem o calvinismo será usado por esse tipo de "cristão" para combater você e a sua "doutrina da desgraça" com esse papo nada "palatável" de que "quem não crer será condenado".

    Com ou sem eleição a "desgraça" é certa. Mas se não existisse eleição junto com o sacrifício pefeito do Cordeiro Imaculado a "desgraça" atingiria em cheio cada ser humano da face desta terra, sem escapar absolutamente nínguem, nenhum sequer.

    Mas a graça em detrimento da "desgraça" justificou uma multidão que nínguem pode contar com preço de sangue de um homem JUSTO - Jesus Cristo.

    E lembre-se que desta multidão NINGUEM era merecedor da graça e sim da "desgraça".

    E lembre-se também que da multidão dos que receberão a "desgraça" NINGUÉM gostaria de ter recebido a "graça" e terão como pagamento o que sempre desejaram - estarem apartados de Deus eternamente.

    Seguiremos em frente CRENDO.

    ResponderExcluir
  8. Caro anônimo,

    A prova de veracidade de uma doutrina não é se ela é palatável ou não. Mas se ela é bíblica ou não. Uma triste verdade continua sendo verdade, embora uma agradável mentira sempre será uma mentira, urdida pelo pai de todas as mentiras.

    Logo não devemos aceitar como verdadeira uma doutrina porque gostamos dela, nem rejeitar outra porque a detestamos ou achamos suas implicações duras demais.

    Por exemplo, tem doutrina mais doce que o universalismo? No final, todos são salvos, "o amor vence" (by Rob Bell) e não existe nenhuma "doutrina da desgraça" (by anônimo). Contudo, por mais palatável que seja, o universalismo é uma doutrina antibíblica e por isso uma mentira dos infernos.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  9. Ao Hélio,

    Vc usa o texto de Tessalonicenses fora de contexto:
    "... ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade. II Te 2:13"

    Respondo-o contextualizando o verso:
    Paulo faz um alerta sobre as profecias ainda a serem cumpridas antes da volta do Senhor, acautelando-os para que não se enganassem a este respeito. Veja 2 Tes.: 02.01-02:
    "Irmãos, no que diz respeito à vinda de nosso Senhor... e à nossa reunião com Ele...exortamos a que não vos demovais... Ninguém ... vos engane..."

    Então, o apóstolo fala sobre o julgamento dos ímpios. 2 Tes.: 02.10,12:
    "... não acolheram o amor da verdade para serem salvos.
    a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade..."

    E, por fim, no verso 13 (que vc usou, Hélio), Paulo faz uma EXALTAÇÃO À ONISCIÊNCIA de Deus, que sabe todas as coisas, inclusive quem serão os salvos e perdidos, mesmo permitindo-lhes exercerem sua liberdade de escolha.

    Interessante é que Paulo ainda diz que que os irmãos de Tessalônica deveriam "...permanecer firmes..." na fé (verso 15), atestando, ainda assim, que eles poderiam perder a salvação se não perseverassem.

    O engradaço é que vc´s não falam da situação dos perdidos neste contexto de ensino da eleição... é por que não há argumantos, não é mesmo? É uma doutrina parcial, né? Que nem uma moeda só de um lado, portanto, sem valor , não é isso?

    Não tem jeito, Hélio, a predestinação calvinista é demoníaca.

    Que tomemos a decisão correta para nossas vidas em Cristo Jesus!

    JCosta.

    ResponderExcluir
  10. Ao Clóvis,

    Vc diz:
    "Você é uma prova viva de que o artigo é verdadeiro."

    Olha, Clóvis, prefiro não imaginar quais seriam suas intenções com estas palavras contra mim, ok?
    Ficarei apenas com a possibilidade de que vc esteja dizendo que detesto a doutrina da eleição, ou predestinação, ou dos escohidos, ou seja, o ensino de que Deus imporia a salvação para uns (com quem Ele iria com a cara) e a perdição para outros (a quem Ele detestaria antes mesmo de o espermatozóide unir-se ao óvulo no ventre materno, formando tal pessoa).
    Ah, por favor, que ensino ridículo! Mas tudo bem...

    Detesto tal ensino porque ele não condiz com a verdade de que Deus é amor (1 Jo.: 04.08), e diz que Ele seria um tirano, um déspota que apenas brincaria com a vida humana. Diz que Deus seria um monstro que, do Céu, baixasse o decreto de morte para pessoas, praticamente, inocentes serem mortas sem um julgamento justo de seus casos, ou seja, morreriam somente porque Deus desdenhosamente queria vê-los mortos, e ponto final.

    Detesto tal ensino porque o mesmo diz que somos apenas robôs programados para sermos, uns do mal e outros do bem, isto é, brinquedinhos nas mãos de um suposto Crianção que decide qual máquina seria o mocinho e qual, o bandido.
    Ou seja, seríamos apenas marionetes cujas linhas invisíveis, em nossas costas, sobem até os Céus...

    Há muitas e muitas outras razões por que não dá para aceitar esta doutrina calvinista, não as citarei porque não há necessidade para isto, as razões acima, pra mim, já são suficientes.

    Mas, a despeito de tudo isto, a verdade é que, louvado seja o Deus de amor, Aquele que fez de tudo para nos salvar e deseja que todos sejamos salvos. Ver 2 Pedro 03.09:
    "... o Senhor... é longânimo... não querendo que NENHUM pereça, senão que TODOS cheguem ao arrependimento."

    JCosta

    ResponderExcluir
  11. "Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama),

    Foi-lhe dito a ela: O maior servirá o menor.

    Como está escrito: Amei a Jacó, e odiei a Esaú."

    Romanos 9:11-13

    ResponderExcluir
  12. Inocentes?

    "Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.

    Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus.

    Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.

    A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; Peçonha de áspides está debaixo de seus lábios;

    Cuja boca está cheia de maldição e amargura.

    Os seus pés são ligeiros para derramar sangue.

    Em seus caminhos há destruição e miséria;

    E não conheceram o caminho da paz.

    Não há temor de Deus diante de seus olhos."

    Romanos 3:10-18


    Robôs?

    "Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma.

    Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia.

    Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.

    Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.

    Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer.
    Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade?

    Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?

    Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?

    E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição;

    Para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou."

    Romanos 9:14-23


    Permita-me ressaltar um versículo no meio dos outro:
    "E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição;" Romanos 9:22

    ResponderExcluir
  13. JCosta,

    Você disse "prefiro não imaginar quais seriam suas intenções com estas palavras contra mim, ok? Ficarei apenas com a possibilidade de que vc esteja dizendo que detesto a doutrina da eleição...".

    Não fique imaginando. Não tinha nenhuma outra intenção além dessa, de dizer que você detesta a doutrina da eleição. E que por detestá-la, prova que o artigo é verdadeiro, ao afirmar que a eleição é uma doutrina detestada.

    Pode ficar descansado, irmão. Não lhe direi nada com segundas intenções. O que eu escrever, é exatamente o que pretendi lhe dizer, salvo as falhas de comunicação que as vezes ocorrem e que são normais.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  14. Eric,

    Em toda heresia, o primeiro passo é rejeitar o que a Bíblia diz de forma clara. Daí para frente, a carroça vai ladeira abaixo sem freios. Por isso é até normal que aqueles que detestam a eleição acusem Deus de mandar inocentes para o inferno.

    O que podemos fazer? O que você fez, deixar a Escritura falar.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  15. Ao André R fonseca,

    Vc diz:
    "Você acha entendeu o diálogo de Jesus com a mulher samaritana, tanto quanto ela achou entender o que Jesus tinha dito!"

    RESPOSTA:
    Olha, meu caro, aquela mulher poderia até não ser israelita, mas não era uma idiota, nem eu (como vc pensa). Aliás, vc´s têm mania de menosprezar as pessoas, hein?
    É lógico que uma água que jorra "para a vida eterna" (verso 14) constitui em algo sobrenatural, e aquela mulher foi compreendendo que Aquele com ela falava era nada mais nada menos que o Messias, o Salvador prometido, pois ela disse às pessoas "Será este porventura o Cristo?" (verso 29).
    Logo, sua tentativa de fazer daquela mulher uma idiota, foi frustrada. Ela entendeu que ali estava o Senhor da água eterna.

    Vc diz:
    "Seu pedido [da mulher] não foi da água viva como entendemos, mas sim da água fresca que nunca mais permitirá voltar a ter sede, pois ela queria apenas deixar de ter o trabalho de ir até o poço buscar por água..."

    RESPOSTA:
    Nos versos 11-12, ela realmente se referia à água física, mas quando Cristo fala da água "para a vida eterna" no verso 13, ela entende sim e pede ao Senhor tal água no verso 15: "Senhor, dá-me dessa água (para a vida eterna da qual Cristo falou) para que eu não mais tenha sede..."
    Inclusive a sua fala seguinte demosntra que ela já entendia que não era qualquer pessoa com quem estava falando:
    "Senhor... vejo que tu és profeta." (verso 19).
    Ou seja, aquela mulher pediu a água eterna ao Senhor Jesus.

    Continua...

    JCosta.

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Ao André R Fonseca,

    ... continuação,

    Vc diz:
    "Deixar que o homem entenda sozinho, em seu estado depravado, só vai entender errado! O que você acha que foi entendido, não foi! Ela ainda não nascera de novo, não podia entender as coisas espirituais porque são discernidas espiritualmente. Quem nos habilita é o Espírito Santo..."

    RESPOSTA:
    Uéééééé´, e em algum momento eu falo que o Espírito Santo não atua na vida das pessoas? É claro que Ele estava ali influindo na mente daquela mulher... (ver Jo.: 16.08). O Espírito atua no mundo desde quando este foi criado. (Gên.: 01.02).
    O fato é que aquela mulher pediu ao Mestre a água "para a vida eterna" e sua situação depravada não impediu que aceitasse a influência do Espírito em sua vida e, sob Esta influência, pedisse a água eterna para si ao Salvador. (Jo.: 04.15).

    Vc diz:
    "Dá pra entender que seu pedido não foi um pedido de conversão como você colocou? Seu pedido no versículo 15 não foi de conversão, mas sim de satisfação de uma necessidade física e nada tinha de espiritual!"

    RESPOSTA:
    Isto é o que vc está dizendo, André, pois, assim como o homem ao lado de Cristo na cruz pediu que o Mestre fosse com ele quando viesse em glória, a mulher de Samaria aproveitou a oportunidade que teve com o Salvador e, certamente, foi bem-aventurada.
    Não deveríamos nós também pedir a água da vida eterna ao Salvador assim como aquela mulher o pediu?
    Que venhamos a tomar a decisão correta para nossas vidas! Pois a água está disponível.
    "... quem quiser [peça e] receba de graça a água da vida" Apoc.: 22.17

    Que o Espírito seja conosco!
    JCosta.

    ResponderExcluir
  18. JCosta,

    Você é uma prova viva de que o artigo é verdadeiro. [2]

    Ednaldo.

    ResponderExcluir
  19. JCosta,

    Você é uma prova viva de que o artigo é verdadeiro. [3]

    Neto

    ResponderExcluir
  20. Ao Eric,

    Olha, meu caro, eu uso a expressão" inocentes" por causa da perspectiva calvinista dos perdidos, pois estes seriam sumariamente destinados à perdição sem um julgamento justo.
    Só há um julgamento legítimo quando as passoas são julgadas pelo que fizeram, tendo a liberdade de escolha. E este é o julgamento da Deus, cada um dará contas e si perante o Tribunal do Pai. Ver Ecles.; 12.14:
    "... Deus há de trazer a juízo todas as obras..." E isto só é possível quando a pessoas tem livre-arbítrio. Se não, para que "trazer a juízo todas as obras"?

    Sei que não há na Terra nenhum justo, conforme Rom.: 03, portanto citar este verso não tem nada a ver com o fato de eu citar a expressão "inocentes" em meio à perspectiva calvinista.

    Sobre a expressão "robôs", vc cita o caso de faraó.
    Acontece, meu jovem, que o hebreu exaltava a soberania de Deus de tal forma que tudo que o homem não podia impedir, ele atribuía à mão do Criador, um exemplo, vemos a obstinação de faraó frente à ordem divina de o povo de Israel ser liberto citado em Êx.: 07.03. Apenas isto.
    Interessante é que vemos versos como Êx.: 08.19, 32
    "... o coração de faraó SE endureceu..." e "... endureceu faraó o coração..."
    Portanto, não foi Deus quem endureceu o coração de faraó, mas ele próprio endurecu o coração.

    Que o Pai seja conosco!

    JCosta

    ResponderExcluir
  21. Ao Ednaldo e ao Neto,
    ´
    Como vc´s parecem marionetes manipulados pelo Clóvis!!!!!!!
    LA-MEN-TÁ-VEL...
    Tenham vida própria, meus caros, apresentem argumentações do coração de vocês, deixem o pensamento dos outros, para os outros!!!!

    Jcosta.

    ResponderExcluir
  22. JCosta,

    Eu apenas concordei com o Clóvis. Isso não é ser marionete, é ter opiniões parecidas.

    Quando comecei a visitar o Cinco Solas, já tinha opinião formada sobre esses assuntos.
    Fiquei aqui por concordar com o posicionamento do dono do blog, ao ver que ele é fiel à Bíblia e à Deus, mesmo que os homens O odeiem e odeiem as Suas doutrinas; e ao ver que nossos pensamentos eram quase iguais acerca disso.

    Além disso, alguém pode negar que você odeia a doutrina da eleição?
    Então, não sei porque essa revolta, se é verdade...


    Um abraço.

    ResponderExcluir
  23. JCosta,

    Não considero o Neto e Ednaldo como marionetes. Pelo contrário, gozam de minha admiração e temos convicções parecidas, além de que em muitas coisas "vou pela cabeça deles".

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  24. JCosta,

    Você é uma prova viva de que o artigo é verdadeiro. [4]

    Hélio

    ResponderExcluir
  25. Sr. JCosta,

    Não quero de forma alguma insultar sua inteligência, se foi o que pareceu, perdoa-me!

    Mas gostaria de lembrá-lo que reconhecer Jesus como profeta não quer dizer muita coisa. Em minha opinião, ela ainda não tinha entendido nada... e vc cortou o versículo alí no "dá-me da água para que não tenha mais sede" e não cita que ela ainda pensava na água do poço pois não queria mais ter que voltar alí! Responda com sinceridade: Você bebe água regularmente mesmo depois de ter aceitado Jesus? Ou você nunca mais teve sede e nunca mais precisou ir até à geladeira tomar água fresca? Olha o contexto, frases completas, etc... não isola só o que vc quer insistir em crer.

    Por que digo que afirmar que Jesus era um profeta não diz muita coisa? Porque muitos diziam que Jesus era profeta, isso e aquilo... mas e tu, pedro o que diz que eu sou? Tu és o Cristo, o filho do Deus Altíssimo! Bem aventurado és porque não foi nem carne, nem sangue que te revelou quem sou, mas o Pai.

    Não existe mérito algum no homem em sua salvação! Não é a questão de achar que as pessoas são idiotas (e quem disse isso foi vc, não falei nada disso!), mas que a depravação total impede o homem de ver quem Cristo realmente é. Por acaso Jesus estava insultando a inteligência de Pedro e desfazendo-se de sua pessoa quando disse que o mérito não era da carne e nem do sangue, mas da revelação do Pai?

    Sabe aquela tal ilustração do recall... pois é, o problema é que o recall é feito em áudio, mas todo mundo é surdo; pode ser feito visualmente, mas todos estão cegos; pode ser até táctil, mas todos estão mortos!

    ResponderExcluir
  26. Sr. JCosta

    Você afirmou o seguinte: "o Espírito Santo não atua na vida das pessoas? "

    Onde foi que você falou isso? Tá lá no seu comentário! Você escreveu essa frase hoje às 12:03 com todas as letras, vou repetir: "o Espírito Santo não atua na vida das pessoas?" Você escreveu essa frase ou não escreveu?

    Tá vendo o que dá extrair texto de contexto?
    Na verdade o que você disse foi: "Uéééééé´, e em algum momento eu falo que o Espírito Santo não atua na vida das pessoas?"

    Tirar texto de contexto é puro pretexto!

    ResponderExcluir
  27. Ao JCosta

    Certamente você não conhece a doutrina Calvinista, senão não afirmaria que a ótica Calvinista implica na inocência do homem.

    Quanto ao endurecimento do coração de Faraó, talvez você precise ler mais um pouco:

    "O SENHOR, porém, endureceu o coração de Faraó, e este não deixou ir os filhos de Israel." Ex 10:20

    "Porque o SENHOR endureceu o coração de Faraó, rei do Egito, para que perseguisse aos filhos de Israel; porém os filhos de Israel saíram com alta mão." Ex 14:8

    "O SENHOR, porém, endureceu o coração de Faraó, e este não os quis deixar ir." Ex 10:27

    "mas o SENHOR endureceu o coração de Faraó, que não deixou ir os filhos de Israel da sua terra." Ex 11:10

    "Porém o SENHOR endureceu o coração de Faraó, e não os ouviu, como o SENHOR tinha dito a Moisés." Ex 9:12

    è inegável a afirmativa de Deus, de fato, endureceu corações.

    "Mas endureceu Faraó ainda esta vez seu coração, e não deixou ir o povo." Ex 8:32

    "Vendo, pois, Faraó que havia descanso, endureceu o seu coração, e não os ouviu, como o SENHOR tinha dito." Ex 8:15

    Mas ao mesmo tempo o mesmo livro de Êxodo diz que faraó endureceu seu coração. Como isso pode acontecer? Entenda que Deus não "arrasta" ninguém contra a própria vontade. É na sua vontade que Deus tem poder e domínio e por isso que Ele é onipotente, pois até mesmo na sua vontade Ele tem poder de fazer o que Lhe apraz.

    "Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade." Filipenses 2:13

    Eu ainda faço uso de uma citação de um site:

    "No livro de Êxodo, temos alguns texto que falam do endurecimento do coração de Faraó por Deus (Êx 4.21; 7.3,13; 9.21; 10.1,20,27; 11.10; 14.4,8). Há também um relato extra de Deus endurecendo o coração dos egípcios (Êx 14.17). Há ainda outros texto que dizem que o coração de Faraó está endurecido, sem informar quem o endureceu (Êx 7.14,22; 8.19; 9.7,35). Por fim, há somente três versículos que nos informa que o próprio Faraó endureceu o seu coração (Êx 8.15,32; 9.34)."

    "Se somarmos os números das ocorrências do endurecimento do coração pelo próprio Faraó e os números das ocorrências do endurecimento do coração por Deus, veremos que inegavelmente é o próprio Deus quem endurece o coração de Faraó, pois a declaração do endurecimento por parte de Deus é três vezes mais!"

    Extraído do site: http://www.eleitosdedeus.org/soberania-de-deus/soberania-de-deus-sobre-a-vontade-do-homem-heitor-alves.html#ixzz1dEbwZn72

    Caso se sinta interessado, leia o conteúdo dessa mesma página.

    Eric

    ResponderExcluir
  28. Inegavelmente Deus endureceu o coração de Faraó, nenhum Arminiano sensato pode negar isso!

    "Um pouco de estatística irá melhorar a perspectiva. Êxodo menciona o endurecimento do coração de Faraó dezoito vezes, aos quais pode ser adicionado um outro versículo que se aplica aos egípcios em geral. Êxodo 4:21; 7:3, 13; 9:12; 10:1, 20, 27; 11:10; 14:4, 8, todos dizem que o SENHOR endureceu o coração de Faraó. O versículo extra diz que o SENHOR endureceu o coração dos egípcios (êxodo 4:17). Isto [são] onze vezes de dezenove. Cinco ocasiões, 7:14, 22; 8:19; 9:7, 35, não especificam quem endureceu o coração de Faraó. Os outros versículos, três em número, 8:15, 32 e 9:32, dizem que Faraó endureceu seu coração. Quem, então, em face de onze indicações de que o SENHOR endureceu o coração de Faraó pode negar que Deus seja a causa de que o SENHOR endureceu o coração de Faraó pode negar que Deus seja a causa deste endurecimento? Não apenas essa indicação positiva é feita três vezes mais frequente, mas é feita três vezes antes de outra declaração ser feita uma vez. Após tudo, quem dirige o Egito - Faraó ou Deus?"

    --- Gordon Haddon Clark

    http://www.monergismo.com/textos/predestinacao/predestinacao_exodo_clark.pdf

    ResponderExcluir
  29. Ao JCosta

    "E, por fim, no verso 13 (que vc usou, Hélio), Paulo faz uma EXALTAÇÃO À ONISCIÊNCIA de Deus, que sabe todas as coisas, inclusive quem serão os salvos e perdidos, mesmo permitindo-lhes exercerem sua liberdade de escolha."

    O verso não diz nada disso, o verso diz o seguinte:

    "Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade." II Te 2:13

    Paulo dá graça a Deus por Ele ter elegido os membros da igreja de Tessalônica, alvos da sua carta, desde o príncipio para a salvação.

    O que para você é motivo de ódio (comprovando a veracidade do artigo) para Paulo foi motivo de ação de graças.

    E tem mais. A explicação do contexto do capítulo em pauta desta epístola em nada desabona a verdade nela expressa de que Deus, desde o princípio, elegeu os membros da igreja de Tessalônica para a salvação - e mais uma vez, Paulo deu graças a Deus por isso.

    ResponderExcluir
  30. "Interessante é que Paulo ainda diz que que os irmãos de Tessalônica deveriam "...permanecer firmes..." na fé (verso 15), atestando, ainda assim, que eles poderiam perder a salvação se não perseverassem."

    Sua falácia é fácil de ser desmascarada.

    Para você o fato de existir um conselho, uma exaltação por parte de Paulo para que aqueles que Deus elegeu desde o princípio para a salvação perseverem na fé é por que eles correm o risco de perder a salvação conquistada.

    Sua falsa premissa seguida da conclusão falaciosa pode ser resumida assim:

    1 - Existe um conselho, uma exaltação, um chamado.
    2 - Se existe um conselho, uma exaltação, um chamado, existe também uma possibilidade real de algo acontecer em virtude do conselho que foi dado.
    3 - Logo a doutrina da eleição é falsa.

    Por que essa lógica sua não passa de uma "falácia"?

    Por diversos motivos, mas citarei um apenas: Se a sua lógica for verdadeira Deus não é onisciente, senão vejamos.

    Deus sabe perfeitamente que o "Zé da esquina" vai morrer sem crer em Teu Santo Filho Jesus Cristo e portanto será condenado por sua incredulidade (Deus é onisciente). Mesmo assim Deus chama o "Zé da esquina" para que creia e se arrependa dos seus pecados, mesmo sabendo que ele não vai crer e nem se arrepender.

    E ai? Por que houve um chamado existe alguma possibilidade do "Zé da esquina" crer?

    A resposta é não.

    Caso contrário, Deus não é onisciente.

    Como eu sei que você acredita que Deus conhece TODAS as coisas a sua falácia cai por terra por depor contra a onisciência divina que tira QUALQUER possibilidade de alguém que não irá aceitá-lo dar um passo para o arrependimento posto que Deus conhece cada ser humano que jamais irá depositar sua confiança em Jesus Cristo e mesmo assim Ele os chama para que se arrependam e creiam.

    Seguindo sua lógica podemos desacreditar a onisicência divina da seguinte forma:

    1 - Existe um conselho, uma exaltação, um chamado para que alguem creia.
    2 - Se existe um conselho, uma exaltação, um chamado existe também uma possibilidade real da pessoa crer.
    3 - Portanto Deus não é onisciente, pois não faz sentido Ele chamar pessoas para que se arrependam sabendo Ele que essas pessoas não irão se arrepender.

    Sua falácia não deu certo, tente outra...

    Os ateus, teistas abertos e "cristãos universalistas" usam destes mesmos artifícios que você usa.

    Debata com um deles. A acusação que você lança contra os calvinistas eles usarão contra você.

    ResponderExcluir
  31. "O engradaço é que vc´s não falam da situação dos perdidos neste contexto de ensino da eleição...

    Falamos sim...

    Nos fale qual a situação daqueles que não confiam na obra que Jesus Cristo consumou na cruz negando veemente a sua pessoa enquanto Senhor e Cristo.

    Ele será condenado ou será salvo procedendo desta maneira?

    A sua resposta será a opinião de um calvinista e para um "universalista" você não passa de um propagador de "heresias demoníacas" colocando Deus como um "déspota tirano" que fala que ama mas pune as pessoas só porque elas rejeitaram o seu Filho além de lançarem elas no inferno contra a vontade deles desrespeitando o seu "livre-arbítrio" de escolher não aceitarem a Cristo ao mesmo tempo em que não escolhem irem para o inferno.

    "Não tem jeito, Hélio, a predestinação calvinista é demoníaca."

    Ah sim claro...

    Usando lógicas falaciosas do jeito que você usou até o sacrifício perfeito de Cristo pode se tornar algo demoníaco.

    ResponderExcluir
  32. Estamos progredindo, o JCosta já aprendeu a separar silabas! Um dia ele aprende a interpretar textos!

    ResponderExcluir
  33. Ateu cada vez mais descrente:
    Vc´s ficam discutindo, mais por um orgulho proprio de ser o dono da verdade do que passar uma mensagem positiva para vc´s mesmos crentes.
    Essa doutrina de predestinação combina mais comigo de que lá na frente não importa se vou acreditar em Deus ou não, pois sou um predestinado. Portanto, de que adiantaria acreditar que existe Deus se acreditando ou não eu não consigo mudar o final das coisas.

    ResponderExcluir
  34. Sr. Anônimo

    A predestinação é a causa da crença e as obras acompanhadas dessa fé em Deus, não o contrário. O que a Bíblia diz é que Deus nos predestinou; aos que predestinou, também chamou; etc... Veja que não é você quem chama a si mesmo, mas ele chama você como sinal, consequência de sua eleição, predestinação.

    Não fique aí achando que vc pode simplesmente decidir não crer em Deus e no final você ainda poderá ser salvo porque era predestinado, pois crer é evidência de ter sido predestinado. Se você não crê, é porque não evidenciou (ainda) ter sido predestinado. Pode acontecer lá na frente, mas quem vai saber, senão o próprio Deus? O que não pode é acreditar que uma pessoa viveu a vida incrédulo, morreu e foi salvo porque era predestinado. Isso não existe! Se a pessoa era predestinada, ela deve apresentar as evidências dessa predestinação!

    ResponderExcluir
  35. Sr.Anônimo

    Apostar na loteria não causa os resultados. Os números sorteados não foram causados pela sua aposta.

    Mas digamos que você ganhou, o que poderíamos concluir? Houve uma participação sua no resultado, que foi apostar nos números certos, mas a sua participação está longe de ser a causa dos números sorteados. Você apostou naqueles x números e por isso eles foram sorteados? Ou aqueles números foram sorteados e por isso você ganhou? A pergunta é quem causa o quê?

    Não é um paralelo perfeito, reconheço..., mas acredito que possa ajudar um pouco a entender que algumas pessoas se focam muito em suas participações no resultado. Eu apostei os números certos por isso ganhei - Eu tive fé por isso fui predestinado. Mas os calvinistas não estão focados na participação humana que não poderia determinar de forma alguma o resultado. Tratando o assunto superficialmente seria isso.

    ResponderExcluir
  36. Ateu cada vez mais descrente:12 de novembro de 2011 21:48

    Quem são os que odeiam esta ideia de predestinação?

    ResponderExcluir
  37. Ateu cada vez mais descrente12 de novembro de 2011 22:02

    Cara , isso ta muito confuso. A palavra verdadeira que vc´s deveriam usar é outra, pois predestinação significa que não importa o que eu faça meu destino já esta firmado. Então não importa se eu acredito ou não que Deus exista. Agora se preciso decidir jogar na loteria para ganhar, significa que eu tenho que decidir se jogo ou não pra ganhar. Desculpa ai cara, mais essa historia ai de predestinação soa como se uns fossem melhores do que outros, um mundo estaria dividido em classes de pessoas , uns " bonzão " e outros condenados. É por isso que os ateus não acreditam nisso e outras historias que vc contam e olha que eu vi na televisão um cara falando que " Deus é amor ", como? desse jeito ai?

    ResponderExcluir
  38. Ao ateu cada vez mais descrente,

    Por isso eu falei: tratando o assunto superficialmente...

    Estava tentando ilustrar por que há divergências de pensamentos em nosso meio... alguns focam demais a coisa pela decisão humana, outros por uma visão mais ampla das coisas. E avisei que não era um paralelo perfeito.

    Quando se diz que Deus é amor está correto! E se você entendesse a situação em que o homem se encontra, você não pensaria diferente. Os predestinados não são uns "bonzão" justamente porque foram predestinados não segundo suas próprias obras, mas a despeito de... Os que acreditam que poderiam ser "predestinados" pelo mérito da escolha é que poderiam se gabar de alguma coisa. Não acha?

    Somos beneficiados pelas leis da natureza o tempo todo mesmo sem entendê-las. Alguns gostam de pensar sobre elas e estudá-las. Podemos dizer que compartilhamos na religião a mesma realidade. Podemos ser agraciados com a salvação mesmo sem entender completamente como ela funciona.Posso não saber como representar a gravidade pela matemática, mas sei que tudo que sobe, desce. Posso não saber como descrever o processo de salvação pela predestinação ou não, mas sei que todos precisam se arrepender!

    Se você é realmente ateu e nunca teve contato com o evangelho, você não deveria se preocupar ou deter-se nesses pontos de predestinação e eleição etc... Mas sim na mensagem pura e simples do evangelho, do preço pago na cruz por Cristo pelo pecador. Isso é o que importa para você! Pelo menos para o momento.

    ResponderExcluir
  39. André disse:

    “Os predestinados não são uns "bonzão" justamente porque foram predestinados não segundo suas próprias obras, mas a despeito de... Os que acreditam que poderiam ser "predestinados" pelo mérito da escolha é que poderiam se gabar de alguma coisa. Não acha?”

    O problema não está no mérito, mas sim no prêmio. Pois se independente do mérito alguém ganha mais que o outro, significa que existem “bonzões, e ou, privilegiados no recebimento.

    E Deus não faz acepção de pessoas.

    ResponderExcluir
  40. Ateu cada vez mais descrente13 de novembro de 2011 12:22

    Meu camarada, desculpe se eu estou te importunando , na verdade eu cai de para-quedas aqui , pois estava procurando um artigo do Craig, achei vc´s e deu vontade de escrever. Eu sei que entre vocês há um monte de diferenças, o porquê dessas diferenças vocês é que têm que resolver. Eu só falei, colocando em palavras mais claras, é que se ao nascer foi colocada uma estrela em minha testa, eu sou um predestinado, agora se em algum momento da minha vida eu tenho que decidir se acredito em Deus ou não, já deixou de ser predestinação. Não precisa mais me responder, eu só coloquei a minha opnião porque o blog assim o permite.

    ResponderExcluir
  41. Ao Anônimo,

    Não fazer acepção de pessoas não é argumento válido para dizer que Deus não pode escolher um ou outro. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, basta entender o que fazer acepção de pessoas significa.

    "Quanto menos àquele que não faz acepção das pessoas de príncipes, nem estima ao rico mais do que ao pobre; porque todos são obra de suas mãos." Jó 34:19 isso quer dizer que: Deus não salvará somente os da nobreza, ou somente pobres, etc...

    Quando Pedro percebeu que Deus salvaria não somente os Judeus, mas também os gregos ele diz: "Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação..." Atos 10:34,35

    Veja que o termo é uma expressão aplicada a outras situações - "pois aquele que faz injustiça receberá em troco a injustiça feita; e nisto não há acepção de pessoas." Ou seja, não importa sua raça, gênero, idade, nacionalidade etc... ele pagará pela injustiça cometida.

    Tiago emprega a expressão para falar dos irmãos que valorizavam os ricos e desprezavam os pobres: Tiago 2:6 "Entretanto, vós outros menosprezastes o pobre. Não são os ricos que vos oprimem e não são eles que vos arrastam para tribunais?" Tiago 2:9 "se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo argüidos pela lei como transgressores."

    Deus realmente não faz acepção de pessoas, ele não predestinou ninguém por critério de raça, idade, gênero, escolhas e ações. De fato, Ele premiou alguns, os predestinando, para a salvação, mas sem fazer acepção de pessoas por suas nacionalidades, idade, sexo, etc... tá vendo, o emprego da expressão é completamente contrária ao que se tenta sempre afirmar com ela.

    ResponderExcluir
  42. O que eu acho interessante observar é que quando falamos de predestinação uma das respostas primárias é: "Então não adianta se eu creio em Deus ou não, no final se eu não for predestinado eu não vou para o céu!" Eu acho isso interessante porque já passei por algumas situações e percebi uma coisa; o trajeto da lógica.

    Em certo momento meu tio e eu entramos nesse debate. Era mais relacionado a questão da presciência divina, mas inevitavelmente caímos nessa questão. E a razão é muito simples. O argumento é bastante similar ao usado por Lutero em sua obra "A Escravidão da Vontade" e também é uma questão que Evódio fez Santo Agostinho.

    O argumento é mais ou menos o seguinte:
    "Se Deus é presciente, aquilo que Ele sabe que vai acontecer necessariamente precisa acontecer, pois, caso aconteça de forma diferente daquilo que Deus sabia como aconteceria então o conhecimento de Deus sobre os eventos futuros seria imperfeito. Logo, sendo o conhecimento de Deus sobre o futuro perfeito e sem qualquer falha, o que Deus conhece sobre o futuro necessariamente acontecerá."

    A parte engraçado é que meu tio ironicamente pergunta: "Então tudo está predestinado?" E a minha resposta é sim. Ora, através desse argumento ele entende que tudo está predestinado, mas ele entende isso através da afirmativa de que se algo aconteceu, como Deus sabia que iria acontecer, então aquilo deveria ter acontecido exatamente daquela forma. Através desse argumento é como se ele tivesse entendido: "Se eu cri então é porque eu estava predestinado a crer."

    O fato realmente engraçado vem logo a seguir. Depois que ele de forma tão perfeita entende toda a cadência lógica em certa direção logo em seguida ele parece perder toda o raciocínio que Deus lhe deu e diz: "Então por que eu preciso crer, se eu fui predestinado vou para o céu de qualquer forma."

    Entenda uma coisa (pelo amor de Deus!), quando afirmamos que Deus predestinou, não estamos dizendo que Deus predestinou somente o seu fim (céu ou inferno), mas também os meios (a pregação do evangelho, crer, arrepender-se, santificar-se). Apenas tente entender o que Paulo disse aos filipenses no cap 2 verso 13: "Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade." Ou seja, Deus muda é a sua vontade! A sua vontade é objeto da soberania de Deus!

    ResponderExcluir
  43. Eric,

    Uma curiosidade, e se enxergarmos a onisciência de Deus partindo do próprio Deus e não do nosso ponto de vista, ( está tudo determinado pra nós) já pensou?
    Estaria tudo determinado, ou teríamos liberdade de escolha, já que para Deus o que fazemos não tem a menor importância e por isso temos essa liberdade?

    Outra coisa lembre-se que não estamos no mesmo tempo e espaço de Deus, logo a sua lógica é furada.

    ResponderExcluir
  44. Bari,

    É lógico que não compartilhamos do mesmo tempo e espaço de Deus, mas com base em Is 14:24 e 27 + Is 46:8-13 penso que o que é anunciado por Ele para os tempos futuros não se dá apenas por sua onisciência, mas sim porque ele determinou que tais coisas aconteçam.

    ResponderExcluir
  45. Primeiramente digo aos nobres calvinistas que nem sempre estou tendo tempo para respondê-los, na medida do possível vou acessando o blog.

    Ao André R Fonseca,

    Vc diz em 09/11 às 15:08:
    "Mas gostaria de lembrá-lo que reconhecer Jesus como profeta não quer dizer muita coisa."

    RESPOSTA:
    Como não quer dizer muita coisa? Vc, André, defende a ideia de que a mulher de Samaria estava falando sobre a água física o tempo todo, mas quando ela entende que o Homem que lhe fala é um Profeta, significa dizer que o assunto dEle é espiritual, pois um profeta é um porta-voz de Deus para a humanidade.
    Logo, a mulher sabia im que água da vida a qual Cristo se referiu não se tratava do líquido físico.

    Vc diz:
    "Em minha opinião, ela ainda não tinha entendido nada... e vc cortou o versículo alí no "dá-me da água para que não tenha mais sede"..."

    RESPOSTA:
    Bom, vendo o contexto do diálogo dela com o Mestre vemos que ela entendeu que o assunto era espiritual, sim.
    A respeito do corte do verso, a fala dela "dá-me da água para que não tenha mais sede" em nada impede sua compreensão de que Jesus falava sobre assuntos espirituais, pois hoje posso suplicar a água da vida a Cristo para que eu não tenha mais sede e recorra ao pote, ou filtro ou geladeira, e sei que o Senhor se refere à água espiritual.

    Vc diz:
    "Não existe mérito algum no homem em sua salvação!"

    RESPOSTA:
    Diga-me, onde afirmo que o homem tem algum mérito em sua salvação, meu caro?! Vc está vendo demais!

    Vc diz:
    "Sabe aquela tal ilustração do recall"

    RESPOSTA:
    Realmente vc está, espiritualmente, cego, surdo, mudo e morto, pois, para acreditar nesta DOUTRINA MACABRA da predestinação calvinista, só mesmo em tal situação deplorável.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  46. Ao Eric,

    Vc diz em 09/11 às 16:43:
    "Se somarmos os números das ocorrências do endurecimento do coração pelo próprio Faraó e os números das ocorrências do endurecimento do coração por Deus, veremos que inegavelmente é o próprio Deus quem endurece o coração de Faraó..."

    RESPOSTA:
    Nosssssssssssssssssssssaaaaaaaaaa! Até que ponto os calvinistas irão para CULPAR A DEUS pelas más escolhas do ser humano!!!!!
    O cara está dizendo que o Deus de amor (1 Jo.: 04.08), que não age com parcialidade com ninguém (Rom.: 02.11), que só quer o bem para o ser humano (Jer.: 29.11) endureceu, por pura maldade, por pura incoerência com o que Ele fala de Si mesmo, o coração de faraó!!!!!
    Nossa! Meu amigo, cuidado! Se não vc vai acabar sendo ateu, pois os que não crêem no Pai eterno, agem assim porque dizem que Deus não quereria o bem para o ser humano, agiria fazendo acepção de pessoas e endureceria o coração de alguns para forçá-los a se perderem.

    E mais, se vc tira conclusões por estas suas matemáticas, então abandone a teoria calvinista, pois o irmão Leandro Quadros, examinando a Escritura (conf. Jo.: 05.39), ESMIGALHOU a teologia Clóvis-calvinista na argumantação:
    48 TEXTOS BÍBLICOS CONTRA 12 DESCONTEXTUALIZAÇÕES DA PALAVRA.
    Vc pode vê na seção debates do site: www.novotempo.com/namiradaverdade

    JCosta.

    ResponderExcluir
  47. Ao Hélio,

    Vc diz em 09/11 às 17:46:
    "E ai [sobre a história desse Zé]? Por que houve um chamado existe alguma possibilidade do "Zé da esquina" crer?"

    RESPOSTA:
    Existe sim, e é muito simples de explicar, meu caro:
    Deus o chama porque, caso o Zé venha a aceitá-Lo, Ele tem poder para mudar o transcurso de sua história, conduzindo-o à salvação em Cristo.

    Vc diz:
    "Caso contrário, Deus não é onisciente."

    RESPOSTA:
    Bom, isso é o que vc diz, atribuindo a mim, porém o fato é que eu sei que Deus é onisciente, portanto Ele sabe quem vai ser salvo e quem vai se perder independente de suas mudanças de escollha no decorrer de sua vida.

    Vc diz:
    "Falamos [sobre a situação dos perdidos dentro da teologia calvnista] sim...

    RESPOSTA:
    Se vc's falam, por que não expõem a suposta argumentação? Pois, até agora, vc não disse nada a respeito.

    Vc diz:
    "Usando lógicas falaciosas do jeito que você usou até o sacrifício perfeito de Cristo pode se tornar algo demoníaco."

    RESPOSTA:
    Se, para vc, responder biblicamente é falácia, com todo o repeito, o problema é seu.
    Quem está dizendo que o sacrifício de Cristo pode se tornar demoníaco é você, meu caro. Aonde vc quer chegar nesta sua defesa da teoria calvinista, que não passa de uma conspiração contra o Deus de amor?

    JCosta.

    ResponderExcluir
  48. Ao Ateu cada vez mais descrente,

    Perdoe-me por entrar na sua conversa com os supostos predestinados acima, mas gostaria de deixar bem claro para vc que os calvinistas jamais conseguirão provar que Deus é este déspota, tirano, autoritário que eles tanto dizem que o Pai o seria.
    Aqui estão uns textos bíblicos que atestam isto:
    "Deus é amor" (1 Jo.: 04.08).
    "Eu... tenho [pela humanidade]... pensamentos de paz, não de mal." (Jer.: 29.11)
    "...desejo [Deus] que todos se arrependam." (1 Ped.: 03.09)
    "Deus não faz acepção de pessoas" (At.: 10.34)
    "Todos compareceremos perante o tribunal de Deus" (Rom.: 14.10)
    "tenho [Cristo] o galardão a dar a cada um segundo as suas obras." (Apoc.: 22.11)
    "Quem quiser [peça e] receba de graça da água da vida." (Apoc.: 22.17)
    "Vinde a mim todos... e eu vos aliviarei" (Mat.: 11.28)

    Infelizmente existe esta doutrina demoníaca predestinista para confundir muitas pessoas, mas, meu caro Ateu cada vez mais descrente, sugiro que vc ignore tais teorias e seja CADA VEZ MAIS CRENTE, pois a Bíblia revela que Deus ama a todos nós e nos dar o dom da liberdade de escolha.
    Meu desejo é que vc faça a melhor escolha de sua vida:
    aceitar a Cristo como seu único e suficiente Salvador.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  49. Ao JCosta,

    Eu escrevi e apaguei umas 5 respostas completas antes de finalizar esta. Meu tom estava muito pesado e deselegante... E o conselho de Paulo é tolerar os irmãos em amor... Aqui vai a minha tentativa de tolerar a sua ignorância.

    A mulher disse que Jesus era profeta quando apresentou conhecer sua situação matrimonial, não foi referente à água. A partir desse ponto eles nem tocam mais no assunto.

    A mulher disse que sabia que um dia viria o Cristo e ele... observe (pelo amor de Deus!!!!) que ela está falando com o Cristo sobre ele mesmo, mas em uma terceira pessoa! Ela não o reconheceu como o Cristo. Jesus precisou declarar isso para ela.

    "Porventura não é este o Cristo?" Essas não são palavras de convicção. Ela ainda apresenta incerteza em sua declaração. E o que precede é: "vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito". Ela estava focada na última parte da conversa... esqueceu da água... ela, na verdade, ignorou a primeira parte da conversa porque não entendeu nada a respeito da água da vida que você quer insistir.

    JCosta, quem tem interesse em procurar chifre em cabeça de cavalo e evidências bíblicas de ETs na Bíblia não está interessado em ler essa mesma Bíblia para aprender sobre Deus. Para você, Deus não deve ser um assunto interessante e por isso deixa-se engambelar pelo Leandro Quadros nessas fantasias alienígenas (acredito ter lido alguns posts assinados por você alhures). Quando a revelação bíblica já não é mais suficiente para alimentar as suas fantasias, você recorre aos escritos de Ellen White e delírios de Quadros, que na sua cabeça deve descer redondo... Dado o seu grau de analfabetismo funcional, porque é evidente a sua deficiência na leitura e interpretação de textos, fica fácil para essa duplinha te discipular passando ao largo da realidade bíblica e pura.

    Sinto muito, JCosta, mas você não vai encontrar alimento para as suas fantasias aqui! Desiste mano!

    ResponderExcluir
  50. Pessoal, qual é o problema da eleição?

    1.Sabemos quem são os eleitos? Não. Então, cumprimos fielmente o “ide” para todos. E mesmo que por um acaso soubéssemos quem eram os eleitos, deveríamos cumprir o “ide” porque é uma ordem;

    2.O apóstolo Paulo comentou exaustivamente sobre a eleição (principalmente em Romanos e Efésios) e demonstrava com isto uma total aceitação para com a soberania divina;

    3.Ficamos mais satisfeitos neste caso, reconhecendo que não é através do nosso entendimento, argumentação, esperteza, coleções de livros ou imposição que o Evangelho provocará a regeneração da pessoa, mas pela graça de Deus nos eleitos (e justiça nos não-eleitos);

    4.Partindo do conceito de eleição, reconhecemos de forma muito mais concreta a soberania de Deus tão anunciada e pouco crida por muitos;

    5.Não seríamos marionetes e mesmo se fôssemos, que eu seja uma marionete nas mãos de um Deus justo, sábio e fiel e não uma marionete dos meus pensamentos variáveis e tolos. Toda a honra e glória a Ele!

    6.Deixando de lado o fato da eleição ser ratificada pelas Escrituras, porque o Livre-Arbítrio teria maior aceitação na salvação? A pessoa poderia argumentar que pela sua livre-escolha ela teria o direito de não escolher Deus e não ser punida, pois já que possuía uma escolha livre de Deus, não seria certo ser pressionada para a porta estreita para poder viver, isto não seria verdadeiramente uma escolha, seria coação. O inferno não seria justo, pois é claro que escolheria o Céu. Pera aí, o inferno não pode existir, deve ser linguagem figurada. E por aí vai... e bem vindos a teologia liberal;

    7.A interpretação calvinista vai além da eleição. Este (eleição) só é mais um tópico doutrinário ratificado pelas Escrituras.

    Tudo se resume em afirmar: Obrigado Deus pela Sua misericórdia na minha vida. Não tendo eu nada de bom para Te apresentar, Tu, somente Tu (sem a minha participação) me salvaste.

    Um abraço a todos.
    Eric

    ResponderExcluir
  51. Ao JCosta,

    Geralmente quando leio e-mails tenho o costume de imaginar o tom de voz de quem fala. Naquilo que eu vou falar a seguir entenda como se eu estivesse gritando!

    Nosssssssssssssssssssssaaaaaaaaaa! (parafraseando-o) QUEM FALA QUE FOI DEUS QUEM ENDURECEU O CORAÇÃO DE FARAÓ É A BÍBLIA, VAI RECLAMAR COM ELA MEU AMIGO!

    Pronto, agora que eu me aquietei do meu "chilique." Espero que você possa entender algo simples (uma criança já tem a capacidade de entender coisa tão simples). A Bíblia disse, em várias passagens, que "Deus endureceu o coração..." simples assim. Apenas espero que você possa entender que "Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade" (Filipenses 2:13).

    Não dizemos que o arbítrio (vontade) não existe, apenas dizemos que não é livre, afinal de contas, como vemos na própria Bíblia Deus endureceu o coração de faraó.

    Se você não gosta da afirmativa "Deus endureceu o coração de faraó" rasgue essas página da sua Bíblia e siga com sua vida.

    Um abraço a todos os eleitos.

    ResponderExcluir
  52. Ao JCosta

    Vc diz em 09/11 às 17:46:
    "E ai [sobre a história desse Zé]? Por que houve um chamado existe alguma possibilidade do "Zé da esquina" crer?"

    RESPOSTA:
    Existe sim, e é muito simples de explicar, meu caro:
    Deus o chama porque, caso o Zé venha a aceitá-Lo, Ele tem poder para mudar o transcurso de sua história, conduzindo-o à salvação em Cristo.


    Você não entendeu o "x" da questão.

    Sendo Deus onisciente Ele sabe perfeitamente que o "Zé da esquina" jamais ira crer e se arrepender dos seus pecados e morrerá nesta condição. Se no decorrer da sua vida Deus o chamar para crer e se arrepender, pela onisciencia divina que não falha, não existe NENHUMA possibilidade do "Zé da esquina" responder positivamente ao chamado.

    Se você afirma que existe tal possibilidade esta, nada mais nada menos, "matando" - mesmo que de forma inconsciente - a onisciência divina que tira QUALQUER possibilidade do "Zé da esquina" responder positiviamente ao chamado do evangelho.

    Mesmo assim Deus o chama, e nem por isso a oferta do evangelho deixa de ser sincera para o pecador que já tem o seu destino selado pela, mais uma vez, onisciência divina.

    ResponderExcluir
  53. Vc diz:
    "Caso contrário, Deus não é onisciente."

    RESPOSTA:
    Bom, isso é o que vc diz, atribuindo a mim, porém o fato é que eu sei que Deus é onisciente, portanto Ele sabe quem vai ser salvo e quem vai se perder independente de suas mudanças de escollha no decorrer de sua vida.


    Então você sabe perfeitamente que sendo Deus onisciente o resultado final dos que entrarão na glória é certo, invariável, sólido e seguro.

    Estes que serão "glorificados" por Deus no futuro foram por Paulo chamados de "predestinados" em Rm 8:29-30.

    Dos que foram apontados de predestinados, todos foram chamados. Todos os predestinados que foram chamados foram justificados e todos os predestinados que foram chamados e justificados foram por fim glorificados.

    Note que na glória só entrarão os que foram predestinados por Deus para serem conforme a imagem do Teu Filho Jesus Cristo.

    Sem entrar no mérito de quais são os critérios que Deus usa para predestinar, uma coisa a escritura ensina e você não tem como negar.

    1 - Todos os que foram predestinados entrarão na glória de Deus.
    2 - No inferno não existe NINGUEM que foi chamado de predestinado para ser conforme a imagem de Jesus Cristo.
    3 - O número dos predestinados é um número limitado e não abrange toda a humanidade, caso contrário você estara defendendo o dogma universalista em que todos os homens sem excessão serão salvos, posto quem em Rm 8: 29-30 afirma, mais uma vez, que TODOS os predestinados foram chamados, justificados e glorificados.

    Como eu disse antes, não entrei neste comentário nos méritos de como Deus predestina, por esta razão ao menos nessa parte você TEM que concordar comigo.

    Negar que Deus predestina indivíduos para serem confome a imagem de Seu Filho é negar as escrituras:

    "Porque, os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho; a fim de que ele seja o primogénito entre muitos irmãos." Rm 8:29

    Negar que aqueles que Deus dantes conheceu e os predestinou para serem conforme à imagem de seu Filho foram também chamados, justificados e glorificados é, de igual modo, negar as escrituras:

    "E, aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou." Rm 8:29-30

    Note que eu somente estou falando o que a escritura ensina, sem acrescentar nas mensagens os meus próprios pressupostos.

    Se você nega estes ensinos não faz sentido algum proseguirmos, caso contrário vale a pena continuarmos nossa amistosa conversa.

    ResponderExcluir
  54. Vc diz:
    "Falamos [sobre a situação dos perdidos dentro da teologia calvnista] sim...

    RESPOSTA:
    Se vc's falam, por que não expõem a suposta argumentação? Pois, até agora, vc não disse nada a respeito.


    Você simplesmente ignorou o teor da minha resposta e preferiu ser evasivo para fugir da questão que lhe propus, por esta razão vou replicar meu comentário feito acima, não precisa fazer de conta que não leu.

    Falamos sim...

    Nos fale qual a situação daqueles que não confiam na obra que Jesus Cristo consumou na cruz negando veemente a sua pessoa enquanto Senhor e Cristo.

    Ele será condenado ou será salvo procedendo desta maneira?

    A sua resposta será a opinião de um calvinista e para um "universalista" você não passa de um propagador de "heresias demoníacas" colocando Deus como um "déspota tirano" que fala que ama mas pune as pessoas só porque elas rejeitaram o seu Filho além de lançarem elas no inferno contra a vontade deles desrespeitando o seu "livre-arbítrio" de escolher não aceitarem a Cristo ao mesmo tempo em que não escolhem irem para o inferno.


    Você sempre afirma que o calvinismo é uma "doutrina demoniaca"(eu não teria coragem de falar que o "livre-arbítrio" é uma doutrina demoniaca), mas você se esquece que usando o mesmo artificio que você usa (lógicas falaciosas, argumentos emotivos) é possível também demonizar o seu "livre arbítrio", e destarte, se você conversar com um universalista ele vai lançar no teu rosto o que você lança em nosso rosto, em outras palavras, você vai provar do próprio veneno.

    Isso acontece quando as pessoas não aceitam o que a escritura ensina e em nome de um "falso alicerce do amor" acabam destruindo doutrinas bíblicas, seja a predestinação ou até mesmo a existencia do inferno onde o pecador será punido.

    ResponderExcluir
  55. Vc diz:
    "Usando lógicas falaciosas do jeito que você usou até o sacrifício perfeito de Cristo pode se tornar algo demoníaco."

    RESPOSTA:
    Se, para vc, responder biblicamente é falácia, com todo o repeito, o problema é seu.
    Quem está dizendo que o sacrifício de Cristo pode se tornar demoníaco é você, meu caro. Aonde vc quer chegar nesta sua defesa da teoria calvinista, que não passa de uma conspiração contra o Deus de amor?


    O sacrificio de Cristo não pode se tornar algo demoniaco, eu não disse isso. O que eu disse é que certas pessoas, pelas doutrinas que propagam, transformam e tem em seus corações o sacrificio de Cristo como algo demoniaco, inaceitável, intragável, inconcebível.

    O que você acha que a lógica pelagiana fez senão negar a obra expiatória que Cristo realizou na cruz?

    Foi o que eu disse. Por meio de lógicas falaciosas muitos tem afirmado por ai que o sacrificio de Cristo é algo demoniaco.

    Experimente afirmar para um espirita (ou um universalista) que somente por meio do sacrificio de Cristo o homem poderá ser salvo, caso contrário ele será condenado. Ele vai utilizar da mesma lógica que você usa e falará para você:

    "Aonde vc quer chegar nesta sua defesa da teoria do sacríficio de Cristo, que não passa de uma conspiração contra o Deus de amor?"

    Como eu disse, você vai provar do próprio veneno.

    Muita paz no seu coração.

    NaquEle que nos predestinou para uma nova vida em Cristo.

    Hélio

    ResponderExcluir
  56. Bari,

    Pare com esse blah blah blah de que não estamos no tempo de Deus. Isso já é óbvio! O fato de Deus estar externo ao tempo torna o argumento ainda mais válido. Se Deus vê o tempo e espaço externamente então isso mostra ainda mais que ele já sabe quais os destinos de indivíduos específicos tornando inevitável que tais destinos aconteçam de qualquer maneira.

    Além disso, a lógica da presciência divina não precisa partir do pressuposto de que Deus predestinou tudo, mas que ao se pensar na presciência a consequência lógica e óbvia inevitavelmente é essa: que todas as coisas devem acontecer da forma que Deus sabe que acontecerá. Ou seja, mesmo que você não acredita que Deus tenha predeterminado tudo (eu acredito porque está na Bíblia), se você crê na presciência então é lógica ver que a presciência implica nisso.

    Eric Lima

    ResponderExcluir
  57. Bari,

    Outra coisa. Simplesmente afirmar não significa nada: "lembre-se que não estamos no mesmo tempo e espaço de Deus, logo a sua lógica é furada." Apresente sua lógica do porquê o fato de Deus ser atemporal tornar o meu argumento inválido.

    ResponderExcluir
  58. Ao Eric,

    Vc diz em 21/11 às 13h38:
    "Se você não gosta da afirmativa "Deus endureceu o coração de faraó" rasgue essas página da sua Bíblia e siga com sua vida."

    RESPOSTA:
    Não preciso rasgar a minha Bíblia nesta passagem porque sei que ela apenas descreve um hebreu que exaltava sobremaneira a soberania de Deus.
    Isto é, tudo aquilo que o judeu via acontecer e que não podia impedir seu desenrolar (por exemplo, faraó endurencendo o próprio coração), ele, na sua mente, pensava que Deus o estava providenciando. Nada mais além disso.
    Deus nunca quis o mal para faraó (Jer.: 29.11, 1 Ped.: 03.09), acontece que o monarca egípcio disse: "Não conheço o Senhor" (Êx.: 07), ou seja, praticou o ateísmo e manteve-se rebelde por livre-escolha contra o Criador do universo.
    Portanto, vc, Eric, jamais me convencerá de que o Deus de amor faz pessoas pecarem para, consequentemente, se perderem.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  59. Ao André R Fonseca,

    Vc diz em 18/11, às 19h19:
    "A mulher disse que Jesus era profeta quando apresentou conhecer sua situação matrimonial, não foi referente à água."

    RESPOSTA:
    Situação matrimonial? Mas ela nem era casada! Pelo contexto, era uma prostituta...
    Acontece que esta mulher estava entendendo que não era uma Pessoa comum que lhe falava, desde quando Ele mencionou sobre a água da vida para ela e sobre sua vida pessoal.
    Ah, por favor, não continue fazendo dessa mulher uma idiota, pois o próprio Cristo falou que, há casos, em que meretrizes entram no reino dos céus antes de supostos religioso.
    Vc diz:
    "Quando a revelação bíblica já não é mais suficiente para alimentar as suas fantasias, você recorre aos escritos de Ellen White e delírios de Quadros..."

    RESPOSTA:
    A Escritura é minha (e de todos os adventistas) única regra de fé e prática. Acontece que há passagens que tenho muita dificuldade de entender (não é o caso da mulher de Samaria) e, por isso, lei os escritos que Deus revelou a Ellen White a fim de que eu compreenda tais citações bíblicas difíceis... nada mais além disso.
    Os livros de EGW são para nos ajudar a entender a Bíblia, o propósito de Deus em levantá-la como profetisa foi para termos a Palavra de forma inteligível.
    O Leandro Quadros é um estudioso da Escritura e seu programa tem a intenção de nos estimular a examinar este Livro Sagrado.

    Vc diz:
    "...Dado o seu grau de analfabetismo funcional..."

    RESPOSTA:
    Nossa! Vc então deve ter chegado até a última instância superior em assuntos bíblicos, não é mesmo, meu caro? Pois não é qualquer um que pode chamar os outros de analfabeto.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  60. Ao Hélio,

    Vc diz em 21/11, às 17h06:
    "Sendo Deus onisciente Ele sabe perfeitamente que o "Zé da esquina" jamais ira crer e se arrepender..."

    RESPOSTA:
    Então pra que pregar o evangelho? Pra que Cristo veio e esta Terra? Pra que plano de salvação? Pra que cruz? Se a salvação e perdição fosse por decreto predefinido, a mensagem divina não teria nenhuma relevância! Não faria sentido anunciar a breve volta do Salvador e, portanto, a necessidade de preparo para este glorioso Dia.
    A predestinação calvinista descredibiliza a Palavra de Deus, a qual não teria importância por que a salvação não seria pelo precioso sangue derramado na Cruz, bastaria uma assinatura de decreto em um livro celestial e pronto.

    Vc diz:
    "Então você sabe perfeitamente que sendo Deus onisciente o resultado final dos que entrarão na glória é certo, invariável, sólido e seguro."

    RESPOSTA:
    Alto lá! Não ponha palavras na minha boca. Eu disse que Deus sabe o futuro, que Ele é onisciente e soberano, mas não disse que isto seria predestinação calvinista.
    Ora, o Pai sabe conciliar Seus atributos com a livre-escolha do ser humano em aceitar (ou rejetiar) a Cristo como seu Salvador pessoal.
    Logo, a pessoa, sendo salva ou perdida, não o será porque Deus previu, mas sim conforme suas escolhas, dentro do período de graça estabelecido pelo Pai.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  61. Ao Hélio,

    VC diz em 21/11 às 17h06:
    "Você simplesmente ignorou o teor da minha resposta..."

    RESPOSTA:
    E vc continua inerte quanto à situação dos perdidos na concepção calvinista-predestinista.
    Responda a pergunta, Hélio:
    Como a pessoa chega à situação de perdida, dentro da concepção calvinista?

    VC diz:
    "Experimente afirmar para um espirita (ou um universalista)..."

    RESPOSTA:
    Não tenho problema em conversar com ninguém sobre a Escritura, acontece que, neste momento, estou falando é com vc, Hélio, não se preocupe com possíveis diálogos que poderei ter com quem quer que seja. Isto não diz respeito a vc.
    Quero saber é isto de vc:
    Como a pessoa chega à situação de perdida, dentro da concepção calvinista?
    E, por favor, não fuja da pergunta!

    JCosta.

    ResponderExcluir
  62. JCosta,

    Você não sabe ler a ponto de interpretar textos, e isso é fato! Não tem outro nome para quem insiste em dizer as tolices que você diz a partir de uma compreensão torta do texto. Sua compreensão do texto é resultado de sua incapacidade de ler e entender o que está escrito. Vamos no passo a passo:

    Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. João 4:10

    Se tu conheceras... Jesus está afirmando que ela não o reconheceu. Concorda?

    Disse-lhe a mulher: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? És tu maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, bebendo ele próprio dele, e os seus filhos, e o seu gado? João 4:11-12

    1) Não tens com que a tirar... Ela estava falando da água do poço, pois essa água precisaria ser tirada com um balde ou coisa parecida, certo? 2) Ela diz que Jesus não era maior do que o pai Jacó... Você acha o mesmo de Cristo? Se ela reconhecera Jesus como o Cristo, jamais afirmaria que ele seria menor que Jacó.

    Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede; Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna. João 4:13-14

    desta água... da água que eu lhe der... Jesus faz uma distinção clara entre as duas águas, a espiritual e a do poço.

    Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la. João 4:15

    e não venha aqui tirá-la... A água que Jesus oferecia precisava ser tirada? Você não vê que ela está falando da água do poço? Se ela tivesse respondido: "Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede" (e ponto final)eu poderia concordar com você, mas sua continuação implica que ela ainda falava da água do poço a qual precisava ser retirada e era esse trabalho que ela não queria mais ter. Se eu não tiver mais sede, não vou mais ter esse trabalho de ter que vir aqui. Lembre que essa era uma atividade típica das mulheres, lembra da Raquel?

    Continua...

    ResponderExcluir
  63. Disse-lhe Jesus: Vai, chama o teu marido, e vem cá. João 4:16

    Por tratar os parceiros dessa mulher como maridos, eu resolvi classificar como uma questão matrimonial. Matrimonial é refente a casamente, mesmo que ela fosse uma prostituta (e é a primeira vez que vejo alguém afirmar isso).

    A mulher respondeu, e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não tenho marido; João 4:17

    Não tenho marido... nem ela, nem Jesus disse maridos (no plural). Agora vem a explicação de por que acho que você foi longe demais em chamar a mulher samaritana de prostituta.

    Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. João 4:18

    tivestes cinco maridos... não vejo aqui uma palavra do tipo homens, ou parceiros, etc. mas sim maridos (no plural) e isso não quer dizer que foram simultâneos. ... e o que tens agora... dá a entender que era penas um, mas não estavam casados. Veja que Jesus chama os anteriores de maridos, mas apenas esse último não é marido dela. Você tem como afirmar que os outros não eram maridos se Jesus os chamou de maridos? Você acha mesmo que pode rotular essa mulher como prostituta?

    Mais para frente... A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo. João 4:25

    A mulher está falando com Cristo a respeito dele mesmo como se fosse uma terceira pessoa na conversa. Isso é claro! Não dá para negar!

    Portanto, meu caro JCosta, não estou fazendo a mulher samaritana de idiota, mas você está certamente fazendo um papelão de idiota!

    ResponderExcluir
  64. JCosta,
    A propósito, você sabe qual a diferença entre adultério, prostituição e fornicação? Você conhece alguma prostituta de um homem só? Porque a mulher samaritana teve cinco MARIDOS, mas esse último(não inclui os outros e mais nem um além do último) era seu único parceiro com o qual ela não casou. Ela era uma prostituta de um homem só? Inédito!!!

    Seu problema, JCosta, é que você só aceita a opinião de seus "gurus" espirituais, a saber: EW e LQ. Se fossem eles que estivessem dizendo o que estou tentando desde o início te mostrar, você apenas diria: amém! amém! e amém!

    ResponderExcluir
  65. JCosta,

    quanto tempo hein?

    Estive lendo os debates aqui no 5S (quase sempre caladinho), mas lí algo que vc escreveu que tive que comentar.

    Vc diz em 21/11 às 13h38 (em negrito):
    "Se você não gosta da afirmativa "Deus endureceu o coração de faraó" rasgue essas página da sua Bíblia e siga com sua vida."

    RESPOSTA:
    Não preciso rasgar a minha Bíblia nesta passagem porque sei que ela apenas descreve um hebreu que exaltava sobremaneira a soberania de Deus.
    Isto é, tudo aquilo que o judeu via acontecer e que não podia impedir seu desenrolar (por exemplo, faraó endurencendo o próprio coração), ele, na sua mente, pensava que Deus o estava providenciando. Nada mais além disso."


    Você está afirmando então, JCosta, que a Bíblia contém partes que contém ERROS (afinal, se não foi Deus quem endureceu o coração de Faraó, e na Bíblia está escrito isso, então é um ERRO), por terem sido apenas "impressões" de humanos da época? Ou seja, que existem partes que NÃO são inspiradas por Deus na Bíblia, mas que são apenas escritos humanos?

    É isso o que você está afirmando???

    ResponderExcluir
  66. Ao Neto,

    Vc diz em 23/11 às 15:06:
    "Você está afirmando então, JCosta, que a Bíblia contém partes que contém ERROS..."

    RESPOSTA:
    Em nenhum momento afirmo que há erros na Bíblia, mas que devemos levar em conta que:
    1 - há passagens que dizem que faraó endureceu o prórpio coração;
    2 - existem citações que aparentemente atribuem a Deus o endurecimento do coração de faraó;
    3 - Deus não tem pensamentos de mal para com o ser humano;
    4 - o Pai não faz acepção de pessoas;
    5 - o dejeso do Criador seria que TODOS fossem salvos;
    6 - Deus a ninguém tenta (ver Tiago 01.13-14).

    Há outras considerações a serem analisadas, mas por enquanto ficarei só com essas, as quais nos permitem concluir que Deus NÃO ENDURECEU O CORAÇÃO de faraó como o senso comum de vocês (calvinistas) pensam, pois seria uma contradição de Suas características.
    E, quando há na Escritura que Ele endureceu o coração, lembremos que, apesar de o Espírito Santo ter inspirado Moisés a escrever o Êxodo, ele tinha suas características culturais de hebreu, como por exemplo, exaltar sobremaneira a soberania do Pai. E ele demosntrou isto quando fala que Deus endureceu o coração do monarca egípcio.

    Olha, calvinistas, qual seria o propósito divinio em endurecer o coração das pessoas, forçando-as a se perderem? Se isto fosse verdade, então toda pessoa que pratica o mal o faz porque o Pai estaria endurecendo o coração das pessoas para o bem e conduzindo-as à prática das maldades. O caso de faraó seria apenas um exemplo de várias e várias maldades supostamente feitas pelo Pai ao longo da História.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  67. Ao Andre R fonseca,

    Meu caro, vc não leu direito o que eu disse, pois afirmei:
    "... pelo contexto, era uma prostituta..."
    Eu não disse pronta e acabadamente que aquela mulher era uma prostituta (apesar de acreditar que sim), eu quis dizer que, pela análise do contexto, a mulher seria uma prostituta, pois que esposa é essa de 6 homens? E mais, ela disse que não tinha marido... ah, mas isto não é relevante.
    Ora, por que aquela mulher iria pegar água somente ao meio dia quando as mulheres, digamos, recatadas, não iam ao poço neste horário escaldante?

    Como o restante do seu comentário foi apenas uma repetição do que vc já disse (ou seja, é descartável) comento somente isto QUE VC DIZ:
    "...você está certamente fazendo um papelão de idiota!"

    RESPOSTA:
    Nossa! No início vc foi mais "respeitoso" comigo, mas tudo bem, vc deve tá ficando zangado de forma... evolutiva, né?
    Cuidado com a hipertensão! E não se esqueça: o homem de Deus é manso...

    JCosta.

    ResponderExcluir
  68. Que inveja de sua mansidão, JCosta!

    Quer dizer que, pelo contexto, a mulher era uma prostituta? Uma prostituta VIP, exclusiva, de um homem de cada vez, genial... o serviço que ela prestava era tão personalizado e dedicado que ela até casava com cada cliente... interessante!

    JCosta, não é uma esposa de 6 homens. Ela foi esposa de cinco homens, provavelmente um de cada vez, mas o sexto, e apenas este, não era casado com ela, diferente dos outros cinco que eram casados. Ainda que ela fosse uma esposa de 6 homens, isso não seria considerado caso de prostituição, mas adultério.

    Tivestes 5 maridos... o verbo está no passado. É tão difícil você perceber isso?

    Este que tens agora não é teu marido... a palavra "este" está no singular, e o verbo ter está no presente, diferente dos outros cinco maridos que é passado. Dá pra entender isso também ou tá difícil?

    Você disse: "Meu caro, vc não leu direito o que eu disse, pois afirmei: '... pelo contexto, era uma prostituta...' Eu não disse pronta e acabadamente que aquela mulher era uma prostituta (apesar de acreditar que sim)"

    Qual a diferença, JCosta? Não entendi. Você não afirmou, mas disse... é isso? Mas afirmou questionando o emprego do termo matrimonial que usei para falar dela.

    "Quando um homem não se faz entender o que quer dizer, é por que ele mesmo não sabe o que quer dizer." C. H. Spurgeon

    ResponderExcluir
  69. JCosta,

    Se você não pode afirmar que ela era uma prostitua (mas acredita que sim) por que você questionou o emprego da palavra matrimônio? Mais uma vez a sua incompetência para interpretar texto levou-o a deduzir que a mulher era uma prostituta.

    Conviver com um homem sem estar casado, após ter tido 5 maridos (não são clientes, são maridos), pois o normal seria uma mulher divorciar-se no máximo duas vezes, já seria vergonha o suficiente para uma mulher naquela época se esconder da sociedade e evitar as críticas. Ela não precisava ser uma prostituta para tal.

    JCosta, você é o mestre da eixegese! Preciso tirar o chapéu... E já que eixegese não é a minha praia e todo o meu esforço de mostrar a você que sua compreensão do texto da mulher samaritana está equivocada não passou de DESCARTÁVEL, dou por terminado aqui nosso diálogo.

    ResponderExcluir
  70. Ao Andre R Fonseca,

    Nossa, meu caro! Sua fúria me impressiona!
    Cuidado com a hipertensão!!!!! Já falei pra vc...
    Se vc não tem equilíbrio emocional para discutir assuntos bíblicos, melhor é realmente jogar a toalha, como vc já está fazendo.
    Ora, eu não quero ser achado como o responsável pelas possíveis consequências da hipertensão advindas sobre vc.
    Tchau, André! E cuide-se bem...

    JCosta.

    ResponderExcluir
  71. JCosta

    Percebe o que você está fazendo?
    Você está lendo e interpretando a Bíblia de acordo com a sua vontade, ou com o que é mais convêniente pra vc. As coisas escritas que você NÃO gosta, vc diz "Ah, mas isso aí era só opinião do escritor!". Mas as que você gosta, você mantém intactas.

    Com essa de faraó, por exemplo, você demonstra claramente essa desonestidade em manejar a Palavra de Deus (e será cobrado por isso).

    Eu poderia dizer usando a sua técnica:
    "E, quando há na Escritura que faraó endureceu o seu próprio coração, lembremos que, apesar de o Espírito Santo ter inspirado Moisés a escrever o Êxodo, ele tinha suas características culturais de hebreu, como por exemplo, exaltar sobremaneira o livre arbitrio humano para não culpar a Deus. E ele demosntrou isto quando fala que faraó endureceu o seu próprio coração."

    Quem usa essa técnica de interpretação "ao meu gosto" são os liberais, justamente um dos maiores inimigos do cristianismo verdadeiro.

    Essa aparente contradição não se resolve dizendo que a Biblia contém textos reveladores com "opiniões humanas". Isso não resolve nada, apenas piora a situação, pois se a Biblia contém opiniões humanas misturadas com as verdades reveladas de Deus, como você sabe que são as passagens que declaram que "Deus endureceu o coração de faraó" que são essas opiniõe pessoais do escritor, e não aquelas outras passagens que dizem que "faraó endureceu seu coração"? Não existe forma de saber, a não ser o seu gosto pessoal.


    Essa aparente contradição se resolve assim:
    1 - há passagens que dizem que faraó endureceu o prórpio coração;
    2 - existem citações que aparentemente atribuem a Deus o endurecimento do coração de faraó;
    3 - conclue-se então que Deus fez com que faraó endurecesse seu próprio coração


    "Olha, calvinistas, qual seria o propósito divinio em endurecer o coração das pessoas, forçando-as a se perderem?"
    Pergunte à Ele:
    "Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra." Romanos 9:17 e Exodo 9.16

    E foi o que aconteceu. Até incrédulos sabem da história do Mar Vermelho, de faraó, etc.

    Ou você vai afirmar agora que esses trechos também são apenas opiniões dos autores?

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  72. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  73. Antes de continuar com minha amistosa conversa com o caro JCosta, permitam-me comentar algo curioso de seus escritos.

    JCosta disse:

    "E, quando há na Escritura que Ele endureceu o coração, lembremos que, apesar de o Espírito Santo ter inspirado Moisés a escrever o Êxodo, ele tinha suas características culturais de hebreu, como por exemplo, exaltar sobremaneira a soberania do Pai."

    Essa foi demais!

    O JCosta reconhece que Moises e os hebreus de sua época "exaltavam sobremaneira a soberania do Pai" e diz que isso eram "características culturais de hebreu".

    Isso queR dizer que para o JCosta tanto os calvinistas quanto os hebreus, incluindo Moisés, são propagadores de "heresias demoniacas", como essa que exalta sobremaneria a soberania do Pai o transformando em um "déspota tirano" que endure o coração de determinada pessoa.

    Notem que eu coloquei os termos entre aspas, pois o nosso nobre debatedor JCosta vive gritando no 5 Solas que nós por exaltarmos a soberania de Deus como fazia Moises e os hebreus de sua época estamos espalhando uma "doutrina diabólica".

    Como disse o Neto para o JCosta.

    Quanto às coisas escritas que o JCosta NÃO gosta ele diz "Ah, mas isso aí era só opinião do escritor!". Mas as que ele gosta as mantém intactas.

    Isso é o típico manipulador das sagradas letras.

    ResponderExcluir
  74. Clóvis,

    Anota essa dai:

    Adventista confessa que Moises e os hebreus de sua época exaltavam sobremaneira a soberania do Pai ao endurecer o coração de quem Ele quer, mas em contrapartida afirma que isso era um "traço cultural" típico do povo hebreu:

    JCosta disse:

    "E, quando há na Escritura que Ele endureceu o coração, lembremos que, apesar de o Espírito Santo ter inspirado Moisés a escrever o Êxodo, ele tinha suas características culturais de hebreu, como por exemplo, exaltar sobremaneira a soberania do Pai."

    ResponderExcluir
  75. JCosta,

    As escrituras do velho testamento estão recheadas de declarações onde a "soberania do Pai é exaltada sobremaneira".

    Nós baseamos a nossas crenças na absoluta soberania do Pai nessas referências bíblicas, que digasse de passagem não são poucas.

    Qual o conselho que você daria para cada um de nós?

    Deixar de crer nessas inúmeras passagens bíblicas como puras, verdadeiras e inspiradas pelo Espírito Santo por que elas são opiniões pessoais equivocadas dos escritores que, conforme você mesmo disse, apesar de estarem inspiradas por Deus acabaram colocando nas escrituras declarações que são nada mais nada menos do que frutos de "características culturais de hebreu"?

    Devemos deixar de crer nestas inumeras passagens bíblicas por causa disso?

    Moisés, dentre outros escritores do antigo testamento, por exaltarem sobremaneira a soberania do Pai estavam errados por isso?

    ResponderExcluir
  76. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  77. Ao Jcosta (voltando para a nossa amistosa conversa)

    Ao Hélio,

    Vc diz em 21/11, às 17h06:
    "Sendo Deus onisciente Ele sabe perfeitamente que o "Zé da esquina" jamais ira crer e se arrepender..."

    RESPOSTA:
    Então pra que pregar o evangelho? Pra que Cristo veio e esta Terra? Pra que plano de salvação? Pra que cruz? Se a salvação e perdição fosse por decreto predefinido, a mensagem divina não teria nenhuma relevância! Não faria sentido anunciar a breve volta do Salvador e, portanto, a necessidade de preparo para este glorioso Dia.


    Pera lá. Eu afirmo que sendo Deus onisciente Ele sabe perfeitamente que o "Zé da esquina" jamais irá crer e se arrepender e logo em seguida você rebate a minha afirmação.

    Você esta negando a onisciência divina?

    A predestinação calvinista descredibiliza a Palavra de Deus, a qual não teria importância por que a salvação não seria pelo precioso sangue derramado na Cruz, bastaria uma assinatura de decreto em um livro celestial e pronto.

    Bem, aqui você usa mais uma lógica falaciosa chamada "falácia do espantalho".

    Você afirma uma coisa falsa dizendo que somos nós quem afirmamos e ataca as premissas que você mesmo inventou. É assim que se procede quem utiliza a "falácia do espantalho".

    Se não existisse a obra de Cristo na cruz, também não existiria predestinação e TODOS, absolutamente TODOS os homens, sem escapar NENHUM SEQUER seriam condenados.

    A eleição e a predestinação só existem por que um Cordeiro Santo e Imaculado foi imolado e condenado no lugar de pecadores para que estes fossem salvos em dado momento de suas vidas por meio da fé crendo que Jesus Cristo tomou o lugar deles ao ser condenado no duro madeiro da cruz. Não devemos nos esquecer também daqueles que confiaram nesta obra e morreram antes mesmo de Cristo a ter consumado na cruz.

    Tudo deve convergir para o Sacrifício Perfeito. A eleição e a predestinação convergem para o Sacrifício de Cristo. A graça de Deus que salva converge para o Sacrifício de Cristo. A fé que alguém recebe para ser salvo converge para o Sacrifício de Cristo. Todas as bençãos referentes à vida que o crente recebe para ser salvo emanam e/ou convergem diretamente desta obra expiatória realizada pelo Filho de Deus no duro madeiro da cruz.

    Se você ignora aquilo em que realmente cremos é obvio que continuará usando da lógica "falácia do espantalho" para assim poder combater premissas que você mesmo inventa em relação à doutrina da eleição e predestinação.

    Deste jeito você troca o dito pelo não dito e por esta razão a nossa amistosa conversa poderá não chegar a lugar algum.

    ResponderExcluir
  78. Vc diz:
    "Então você sabe perfeitamente que sendo Deus onisciente o resultado final dos que entrarão na glória é certo, invariável, sólido e seguro."

    RESPOSTA:
    Alto lá! Não ponha palavras na minha boca. Eu disse que Deus sabe o futuro, que Ele é onisciente e soberano, mas não disse que isto seria predestinação calvinista.


    Ora, quer dizer que na sua opinião Deus não sabe qual o resultado final dos que entrarão em sua glória e que esse número em Seu coração é um número invariável, sólido e seguro, ou seja, o número de pessoas e as pessoas que Ele anteviu que entrariam nos céus serão exatamente os mesmos, sem por nem tirar, comprovando assim que Deus é onisciente?

    Ou Ele não sabe ao certo nada disso, quem e quantos entrarão na Sua glória?

    Ora, o Pai sabe conciliar Seus atributos com a livre-escolha do ser humano em aceitar (ou rejetiar) a Cristo como seu Salvador pessoal.
    Logo, a pessoa, sendo salva ou perdida, não o será porque Deus previu, mas sim conforme suas escolhas, dentro do período de graça estabelecido pelo Pai.


    Hum... Eu tenho pra mim que a pessoa é salva pela obra de Cristo na cruz e que quem escolhe é Deus e não homem, posto que ele é incapaz de escolher a Cristo. Se o homem natural escolhe (e realmente ele escolhe) é estar apartado de Cristo e não junto dEle, então é necessária a intervenção divina para que o tal possa crer e se arrepender dos seus pecados.

    Cristo cura a sua cegueira para que ele enxergue a sua condição de pecador perante Deus, lhe dá o dom da fé e o contrista para o arrependimento para que ele venha a ser salvo pela graça de Deus.

    Não é a toa que as escrituras estão recheadas de termos como "escolhidos de Deus", "eleitos de Deus". Nunca vi nenhum termo na escritura dizendo "escolhedores de Deus", "eleitores de Deus".

    Vai saber a minha bíblia é diferente da sua e por isso não falamos a mesma língua e nem usamos os mesmos termos.

    Ao Hélio,

    VC diz em 21/11 às 17h06:
    "Você simplesmente ignorou o teor da minha resposta..."

    RESPOSTA:
    E vc continua inerte quanto à situação dos perdidos na concepção calvinista-predestinista.
    Responda a pergunta, Hélio:
    Como a pessoa chega à situação de perdida, dentro da concepção calvinista


    A pessoa chega à situação de perdida, primeiro pelo pecado herdado de Adão, segundo negando em vida a obra expiatória que Jesus Cristo realizou na cruz, a única saída existente para que o injusto pecador se torne um homem justificado, perdoado e plenamente habilitado para adentrar na glória de Deus e terceiro por que ele quer.

    E ele se deleita nessa condição de perdido a tal ponto de escolher continuar assim caminhando a passos largos para a condenação, a não ser que tenha a intervenção do poder soberano de Deus sobre Ele o resgatando com mão forte e poderosa do domínio do pecado.

    ResponderExcluir
  79. VC diz:
    "Experimente afirmar para um espirita (ou um universalista)..."

    RESPOSTA:
    Não tenho problema em conversar com ninguém sobre a Escritura, acontece que, neste momento, estou falando é com vc, Hélio, não se preocupe com possíveis diálogos que poderei ter com quem quer que seja. Isto não diz respeito a vc.


    Tudo bem, sinta-se à vontade.

    Mas tudo isso foi para derrubar as suas lógicas falaciosas e a sua artimanha para demonizar o fato de "exaltarmos sobremaneira a soberania do Pai" tal como o hebreu Moisés e demais escritores bíblicos do antigo testamento, que na sua concepção faziam isso por "questões culturais".

    Senso assim essa é a nossa cultura JCosta, embora você tente a todo custo "demoniza-la".

    Mas fazer o que né? "Ta na bíblia..." e você mesmo reconhece isso:

    "E, quando há na Escritura que Ele endureceu o coração, lembremos que, apesar de o Espírito Santo ter inspirado Moisés a escrever o Êxodo, ele tinha suas características culturais de hebreu, como por exemplo, exaltar sobremaneira a soberania do Pai."

    ResponderExcluir
  80. Se já não bastasse tudo isso que falamos e mostramos ao JCosta, a coisa é ainda pior do que pensávamos.

    Olhe estes textos, onde DEUS diz que endureceria o coração de Faraó:

    "Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó, e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas."
    Êxodo 7:3

    "E eu endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, e saberão os egípcios que eu sou o SENHOR. E eles fizeram assim."
    Êxodo 14:4

    "E eis que endurecerei o coração dos egípcios, e estes entrarão atrás deles; e eu serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, nos seus carros e nos seus cavaleiros,"
    Êxodo 14:17

    "E disse o SENHOR a Moisés: Quando voltares ao Egito, atenta que faças diante de Faraó todas as maravilhas que tenho posto na tua mão; mas eu lhe endurecerei o coração, para que não deixe ir o povo."
    Êxodo 4:21


    Ou seja, se o JCosta está certo, e essas passagens são apenas "opiniões culturais de Moisés", mas que não é verdadeiramente DEUS FALANDO, Moisés mentiu nestas passagens, colocando coisas na boca de Deus que Ele não disse!

    Como explica isso, JCosta?

    ResponderExcluir
  81. JCosta,

    Ou seja, se o JCosta está certo, e essas passagens são apenas "opiniões culturais de Moisés", mas que não é verdadeiramente DEUS FALANDO, Moisés mentiu nestas passagens, colocando coisas na boca de Deus que Ele não disse!

    Como explica isso, JCosta? (2)

    ResponderExcluir
  82. JCosta, você leu os comentários acima?

    ResponderExcluir
  83. REPLAY:

    JCosta, você leu os comentários acima?

    ResponderExcluir
  84. Cada vez que leio esse e outros blogs vou entendendo o que já ouví e que não sabia do que se tratava.

    É adventista que acredita em ET e agora a predestinação ... não que se equivalem, pois, Ets eles estão de brincadeira rsss

    Mas não concordo com predestinação, pode até ter citações na bíblia, (que ainda falta eu ler, baseado nos textos citados pelos senhores) mas, também há sobre que todos tem a oportunidade de salvação pela Graça e Misericordia do nosso bom e eterno Senhor e Salvador Jesus Cristo.

    Sou batista, porem no meio batista conheço alguns pastores que defendem esta tese, e respeito, como também respeito alguns pontos de outras religiões.

    Mas alguns colocando coisa do tempo de Moisés, acho que isso era para provar ao povo de Israel que Deus existia, e que povo teimoso heim ... mas Deus com sua grande misericordia, enviou seu filho ao mundo "PARA QUE TODO AQUELE QUE NELE CRÊ" não pereça, mas tenha a vida eterna.

    E agora? Aonde se encaixa a predestinação?

    Porque se Deus enviou Jesus, para que todo aquele quer crer nele se salve, então não estamos falando de escolhidos =)

    Mas, longe de mim falar o que o sr JCosta fala que a predestinação é uma doutrina demoniaca, até pq os adventistas creem em ETs, não tem motivo para criticar ninguem ... só acho que cada uma denominação tem uma interpretação da bíblia, se está certa, não sei, mas Deus sabe.

    Abraço a todos e prometo ler as citações bíblicas, pq eu gosto de estuda-lá ... e isso me ajuda muito, não só para replicar em Blogs, mas, para poder falar do amor de Deus a todos.

    Paz!

    ResponderExcluir
  85. Flavio,

    Percebo que seus questionamentos são sinceros. E destaco positivamente a sua disposição de aceitar o que a Bíblia diz sobre o tema. Faça isso mesmo, procure se esforçar ao máximo para ler as passagens despido de pressupostos e com firme disposição de aceitar o que a Escritura diz, como diz.

    Vou tentar responder a dois questionamentos que você faz, quais sejam, a oferta sincera do evangelho e a promessa feita a todo aquele que crê em Jesus, como sendo incompatíveis com a doutrina da predestinação.

    1. A eleição de alguns não é incompatível com a oferta universal do evangelho. Não mais do que a própria doutrina da onisciência o faz. Pois se Deus já sabia desde a eternidade quem iria se salvar e quem não iria, porque não ordenou a pregação apenas ou antevistos como salvos? A explicação é que embora Deus saiba quem irá se salvar, não o revelou a nós e assim o chamado para a salvação é geral. O mesmo quanto a eleição: Deus não nos informou quem é eleito, logo, pregamos a todos.

    Quanto à responsabilidade individual, ela não é tirada pela eleição. Sendo o evangelho a Palavra de Deus e Deus sempre verdadeiro, todos estão sob obrigação de crerem no evangelho e se arrependerem de seus pecados. E considerando que Deus não obstaculiza a aceitação, além do obstáculo representado pela própria natureza humana, a responsabilidade pela descrença é do homem.

    2. Quanto aos que creem, a promessa é que todos aqueles que o fazem não morrerão eternamente, mas terão a vida eterna. A dificuldades aqui não é quanto à promessa feita, que é sempre fiel. Não importa quem seja, se crê no evangelho, será salvo. Ponto.

    Porém, temos que nos perguntar: quem vai crer? É fato que nem todos crêem, e alguns, em igualdade de condições rejeitam o evangelho que outros nas mesma situação aceita com alegria. O que os diferencia? Esta é a questão a ser feita e respondida, pois calvinistas aceitam tudo o que Jo 3:16 diz, sem restrições, apenas não veêm ali o que ali não está.

    Podemos continuar essa conversa, caso tenha interesse.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  86. Ao JCosta,

    "Sei que ela apenas descreve um hebreu que exaltava sobremaneira a soberania de Deus."

    Antes você ridiculariza minha afirmativa simplesmente porque eu argumentei que a maior abundância de afirmativa de que "Deus endureceu" dá o sentido de que Deus de fato fez isso. Então quando digo que isso simplesmente está lá você afirma esse tipo de coisa? O que me impede, então, de pensar que na verdade não seria o contrário? Que Deus realmente endureceu o coração, mas o autor de Êxodo tentou amenizar isso ao afirmar que (em apenas três momentos) que Faraó endureceu seu coração. Quem é o árbitro para definir o que parte da Bíblia é fruto da inspiração Divina e qual é parte dos excessos humanos? Depois dessa você ainda se diz protestante? Você também acredita que Paulo foi "um hebreu que exaltava sobremaneira a soberania de Deus?"

    Não tentemos alterar o sentido dos ensinamentos bíblicos. Por acaso não temos plena confiança na soberania de Deus quando estabeleceu Suas palavras na Sua Palavra? Não dizemos que essa é a Palavra de Deus, mas então afirmamos que o Judeus quis exaltar excessivamente a soberania Divina.

    "Portanto, vc, Eric, jamais me convencerá de que o Deus de amor faz pessoas pecarem para, consequentemente, se perderem."

    Não se convença, então. Mas é uma pena você não conseguir na sua mente conciliar a justiça de Deus com Sua infinita graça e misericórdia. Mas ao menos aceite que de fato está escrito que "Deus endureceu o coração de Faraó" e assim se fez, não porque pela corrupta vontade de alguém está escrito isso na Bíblia, mas porque Deus é de fato soberano para não permitir que a Sua Palavra tivesse sido adulterada ao seu bel prazer.

    Eric Lima.

    ResponderExcluir
  87. Flávio,

    Apenas para também tentar ajudar no entendimento da eleição. Como bem sabemos a Bíblia realmente menciona eleição e predestinação. Então simplesmente dizer que predestinação não existe é uma coisa descabida para quem diz que acredita na Bíblia. A questão, então, é como se da a predestinação.

    O argumento que usei sobre a presciência é um muito semelhante a um dos argumentos muito Lutero usa. Se você viu meu argumento lá em cima, quando falo da presciência, eu me referia ao mesmo engano que você está cometendo agora. Mas calma, deixe-me explicar porque. Observe que o argumento da presciência diz algo assim: "Se Deus sabia tudo que você faria num determinado dia da sua vida, então o que Deus sabia que você faria naquele dia necessariamente teria que acontecer daquele jeito, senão o conhecimento de Deus sobre o futuro não seria perfeito, e, portanto, Deus não seria perfeito." Por acaso o argumento nega que você quis fazer aquilo que Deus sabia? Não! Tudo que você quis fazer você fez, mas aconteceu da forma como Deus sabia que aconteceria desde toda a eternidade. Você tem vontade? Tem, mas ela não está livre para acontecer de qualquer forma, mas da forma como Deus sabia que aconteceria.

    Agora observe João 3:16 - "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." O versículo diz que é para o que crê tenha a vida eterna. Observe que na verdade ele não fala que ele veio para todo ser humano sem exceção seja salvo, pois afirmar isso seria universalismo. Ora, afirmar que Deus elege o seu povo não exclui o fato de que aquele que crê em Cristo terá a vida eterna.

    Deus predestinou os seus eleitos para a salvação, mas que todos eles certamente passarão pelos meios definidos por Deus para que isso aconteça, ou seja, pela fé em Cristo Jesus.

    Eric Lima

    ResponderExcluir
  88. Neto,

    O JCosta deve estar ocupado por esses dias, por esta razão ainda não nos respondeu a seguinte questão:

    Ou seja, se o JCosta está certo, e essas passagens são apenas "opiniões culturais de Moisés", mas que não é verdadeiramente DEUS FALANDO, Moisés mentiu nestas passagens, colocando coisas na boca de Deus que Ele não disse!

    Como explica isso, JCosta?


    Vamos ver qual será a próxima teoria que ele vai inventar ao dizer de maneira explicita que Moiséis não falou a verdade nas afirmativas de que foi Deus quem endureceu o coração de Faraó.

    ResponderExcluir
  89. Helio,

    O JCosta está sumido, e espero de coração que esteja ocupado.
    Ou ainda, que esteja revendo seus conceitos.

    Ou talvez as duas coisas ao mesmo tempo...

    Se ele estiver lendo, gostaria que ele soubesse que ninguém aqui (creio eu) tem o intuito de derrubar pessoas ou ganhar debates; mas apenas de "destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;" 2 Coríntios 10:5.

    Ou seja, não é pessoal

    Grande abraço amigo.

    ResponderExcluir
  90. Estou de pleno acordo com você Neto.

    O intuito do debate é a aproximação máxima da verdade entre os interlocutores. Não somente a aproximação como também a defesa desta mesma verdade.

    Se a verdade prevalecer em nosso meio e ser devidamente aceita por cada um dos participantes desta amistosa conversa todos nós sairemos vencedores, todos.

    Como você mesmo disse, não é nada pessoal.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  91. JCosta,

    você leu os comentários acima?

    Estamos aguardando as suas respostas.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  92. JCosta,

    no post "Leandro Quadros, a palavra Kosmos e os extraterrestres", você postou uma resposta em 6 de dezembro de 2011 22:20.

    Mas nós aqui estamos esperando uma resposta sua desde 23 de novembro de 2011, completando hoje 2 semanas.

    Seria interessante você dar as suas respostas às nossas questões tão importantes, relativas à inspiração da Bíblia. Algo que é fundamental para uma fé sadia e verdadeira.
    Muito mais importante do que as interpretações de Ellen White.

    Continuamos no aguardo das suas respostas.


    Um abração, Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  93. Neto.

    Parece que o JCosta desistiu deste debate depois que afirmou que a inspiração de Moisés por exaltar sobremaneira a soberania divina foi apenas cultural.

    Lamentável vermos alguém com a coragem do JCosta de atropelar a inspiração de um profeta que ouviu a voz de Deus tangendo em seus ouvidos literalmente, viu Deus pelas costas por meio da fenda de uma rocha, prescreveu os 10 mandamentos para Israel e falou que Jesus Cristo viria à este mundo 1500 anos antes mesmo dEle nascer.

    Fica claro e evidente que o nosso caro colega para defender sua cosmovisão adventista não poupa nem Moisés, o que dirá quanto a nós?

    Vamos deixar de cobrá-lo. Depois dessa o melhor para ele é se calar mesmo por que voltar atras ele não vai (não vai mesmo) e é até capaz dele tentar se explicar e acabar afirmando coisas piores.

    Só falo uma coisa, a máscara caiu, agora eu sei até onde ele pode chegar a fim de defender suas crenças.

    Sendo assim não é possível levarmos um debate a sério em torno das escrituras sagradas quando verdades absolutas são vistas como algo relativo, ou nas palavras do JCosta, "fulano disse isso por questões culturais."

    Se Moisés escreveu coisas nas escrituras por questões culturais e quanto à profetiza EGW, escreveu algo por questões culturais?

    ResponderExcluir
  94. Neto e Hélio

    Passeando pelo blog do Leandro Quadros descobri que o JCosta na verdade apenas ecoava as palavras do Leandro aqui neste post.

    http://novotempo.com/namiradaverdade/2011/02/21/deus-faz-as-pessoas-pecarem-exodo-73/

    O JCosta tem ouvidos apenas para seu querido professor. Nosso discurso dá coceira no ouvido dele...

    ResponderExcluir
  95. Ta explicado.

    Bela estratégia, porém nada honesto. Primeiro eu dou um solavanco na verdade relativizando aquilo que é absoluto.

    Depois o campo fica limpo para que eu possa interpretar a escritura como bem entender.

    Sendo assim o que falar?

    "Questões culturais".

    Deixa pra lá...

    ResponderExcluir
  96. Helio, André e Jcosta,

    Se o Leandro Quadros é capaz de afirmar uma coisa dessas, que a Bíblia contém opiniões "culturais", ainda mais nas passagens onde Moisés afirma que DEUS FALOU. Isso é afirmar que Moisés MENTIU. Logo a Bíblia toda cai da nossa confiança.


    Cada vez mais me decepciono com esses mestres...

    ResponderExcluir
  97. Ops, cometi um erro!

    Esqueci de completar a primeira frase. Deveria ter ficado assim:

    Se o Leandro Quadros é capaz de afirmar uma coisa dessas, que a Bíblia contém opiniões "culturais", ainda mais nas passagens onde Moisés afirma que DEUS FALOU, ele é mais falso profeta/mestre do que eu desconfiava.

    ResponderExcluir
  98. Vejam que interessante...

    Abri o link que o André colocou aqui, e olhem o primeiro comentário:

    Cláudio Júlio disse:
    8 de julho de 2011 às 1:27

    Olá! Li o texto, mas ele não parece ser convincente. Corrija-me se eu estiver equivocado.
    Os cristãos dizem que conhecem a Deus através da bíblia. Ela diz que ele fazia coisas más. Com base em que o autor do texto diz que Deus não fazia o mal. Ele faz um ato moralmente questionável e a desculpa que dão é que as pessoas que escreveram a bíblia estão erradas. Como você sabe que elas estão erradas se a base das suas crenças é justamente os escritos desses povos? Isso é uma enorme contradição.


    leandroquadros disse:
    28 de julho de 2011 às 12:28

    Prezado Cláudio:
    A dificuldade reside no fato de, em nosso cultura, nos expressarmos de outra maneira quando queremos dizer que alguém “permitiu” algo acontecer. Usamos tal expressão (permitir) ao invés de atribuirmos ao indivíduo a ação que não foi executada por ele.
    Já na cultura hebraica é diferente. Muitas vezes Deus é apresentando como “fazendo” aquilo que, na realidade, Ele não impediu de acontecer. Se compreendermos que essa é uma maneira hebraica de expressão, não teremos problemas para compreender os demais textos das Escrituras.
    Estou a sua disposição caso queira maiores esclarecimentos.
    Fique com Deus!




    Percebam que o Leandro Quadros NÃO respondeu ao questionamento do rapaz!

    ResponderExcluir
  99. Neto,

    Mas que raciocinio falacioso contido na resposta do Leandro.

    Ora, Moises não somente disse que Deus iria endurecer o coração de faraó. Moises disse que Deus falou para ele que iria fazer tal ação de endurecer o coração do mencionado rei, o que é diferente, bem diferente.

    Replicando aqui as referências que você mostrou ao JCosta:

    Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó, e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas."
    Êxodo 7:3

    "E eu endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, e saberão os egípcios que eu sou o SENHOR. E eles fizeram assim."
    Êxodo 14:4

    "E eis que endurecerei o coração dos egípcios, e estes entrarão atrás deles; e eu serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, nos seus carros e nos seus cavaleiros,"
    Êxodo 14:17

    "E disse o SENHOR a Moisés: Quando voltares ao Egito, atenta que faças diante de Faraó todas as maravilhas que tenho posto na tua mão; mas eu lhe endurecerei o coração, para que não deixe ir o povo."
    Êxodo 4:21


    Em todas as referências mostradas acima temos Moises relatando uma fala direta de Deus para com ele.

    Nada tem haver com declarações pessoais de Moises. Ele narra algo que alegou ouvir direto da boca do próprio Deus.

    Temos duas opções então:

    1) Deus realmente endureceu o coração de faraó, pois é isso o que está escrito.
    2) Moisés mentiu por falar algo que Deus não falou.

    Pelo visto resolveram escolher a 2º opção.

    ResponderExcluir
  100. Hélio

    Tudo isso é movido pelo pavor de encarar a realidade.

    ResponderExcluir
  101. O que é verdadeiro não pode ser negado ou contrariado pela verdade. A mentira precisa ser criada, a Palavra precisa ser distorcida para aberrar da verdade e fazer o que é verdadeiro parecer falso. Pega isso e junta com um argumentum ad nauseam e pronto: a fórmula mágica para fazer guerra aqui no 5solas.

    ResponderExcluir
  102. "Seria o caso de Lídia em AT 16:14."
    Fail total: Lídia já servia ao Senhor antes de Paulo evangelizá-la.

    E não posso deixar de notar comentários preconceituosos aqui:

    *Como sempre, Pink fazendo bonito frente às doutrinas arminianas que destronam Deus e exaltam o homem à coisas que não é.*

    Que "doutrina arminiana" destrona Deus, calvinista? Aquela que diz que Ele vai em busca do perdido, o ilumina e lhe mostra uma escolha? Aquela que afirma que a soberania de Deus é tão importante quanto a sua misericórdia? Aquela que mostra um Deus que se compadece do que está perdido? Que interessante...

    *Certamente que se os irmãos calvinistas de hoje fossem mais vigorosos em sua pregação e condenação da doutrina arminiana, muitas coisas seriam mudadas em nossas igrejas.*

    Que nem na época do Sínodo de Dort, que os arminianos foram escorraçados e até mesmo mortos, só por que não concordavam com os mais de 200 delegados de um circo armado? Opa, Inquisição Calvinista comanda!

    ResponderExcluir
  103. Vamos responder quizzes!

    "1) Deus realmente endureceu o coração de faraó, pois é isso o que está escrito.
    2) Moisés mentiu por falar algo que Deus não falou."

    A resposta correta é obviamente 1. Mas a ela cabem duas outras perguntas:
    * Faraó era um cara legal, que Deus, diante de Seu capricho inconsequente e imprevisível, fez ficar malvadinho da noite pro dia?
    * O dito endurecimento, foi passivo ou ativo?

    ResponderExcluir
  104. *Hélio
    Tudo isso é movido pelo pavor de encarar a realidade.*

    Ou pelo prazer mórbido e egocêntrico de se achar que se está certo, sem em um instante sequer pensar nas consequências disto.

    Opa, espero não ter machucado o coraçãozinho de ninguém :P

    ResponderExcluir
  105. Caro crédulo,

    1-O caso de Lídia não foi "Fail". Ela servia a Deus, mas não era salva. Ou é possível ser salvo sem crer no Evangelho?
    Deus abriu o coração dela para que ela cresse, e isso é claríssimo em AT 16:14.

    2-No caso de Faraó e seu coração, você pergunta:
    A-Faraó era um cara legal, que Deus, diante de Seu capricho inconsequente e imprevisível, fez ficar malvadinho da noite pro dia?
    O endurecimento não foi pra "tornar faraó mal", porque, como você disse, ele já era mal. O endurecimento foi especifico: Não deixar o povo de Israel ir.

    B-O dito endurecimento, foi passivo ou ativo?
    Ativo, pois é o que a Escritura afirma.


    Amigo, ironias exageradas e chacotas não vão nos levar a lugar algum. Por favor, aja com seriedade e amor cristão.

    Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  106. Ué, se você publica ou permite sem chiar comentários que deturpam e xingam o arminianismo (destrona Deus e exalta o homem), você é conivente com os mesmos. E eu não sou obrigado a bater palmas para isto. Ou você realmente acha que arrazoar a crença alheia é sinal de sucesso evangelístico? Aliás, sempre foi assim desde o Sínodo Nacional, não é hoje que vai mudar...

    O caso de Lidia é fail sim. Não prova a graça irresistível per se. Em ponto nenhum se afirma que Lídia fora manipulada ou coagida a crer. Prova, no máximo, que Lídia não resistiu à atuação de convencimento do Espírito Santo.

    Quanto ao endurecimento ser ativo ou passivo, você tem um pequeno problema nas mão ao interpretar isto de maneira literal:
    1 - Em diversos pontos se mostra Faraó endurecendo-se a si mesmo, e depois é que Deus "toma a iniciativa".
    2 - No AT, Deus é tido como responsável moral pelo mal no mundo. Isto é visto tanto nos salmos quanto no livro de Jó. E até mesmo na crucifixão de Nosso Senhor Jesus o Messias.
    3 - Tem pelo menos uma passagem que eu creio ser providencial:
    aquela na qual Reis diz que Deus tentou Davi, e Crônicas diz que Satanás tentou Davi, para realizar o censo.
    E aí, Deus é o diabo?
    4 - Eu creio naquela analogia do Geisler: do mesmo modo que o mesmo calor do Sol faz a cera derreter e o barro endurecer, o ato de misericórdia de Deus pode tanto fazer uma pessoa se arrepender quanto se afastar dEle.
    5 - Em Romanos 1-2, Paulo mostra que Deus abandona os pecadores contumazes aos seus próprios desejos infames. E foi assim que Deus endureceu Faraó.

    P.S.: não é a eleição que é odiada - mas a eleição incondicional.

    ResponderExcluir
  107. "O que é verdadeiro não pode ser negado ou contrariado pela verdade. A mentira precisa ser criada, a Palavra precisa ser distorcida para aberrar da verdade e fazer o que é verdadeiro parecer falso."

    Palmas para ele! Agora me diz, e se o calvinismo fosse falso e você descobrisse isto hoje? Estas palavras se voltariam contra você, Mr. "Institutas=Bíblia". Pense um pouco antes de achar que detém a Verdade.

    ResponderExcluir
  108. Crédulo,

    Não sou hipócrita... a frase seria tão verdadeira para mim quanto é para você.

    Quando a escrevi, foi para comentar sobre as distorções do JCosta.

    ResponderExcluir
  109. Crédulo:

    Você disse:
    "O caso de Lidia é fail sim. Não prova a graça irresistível per se. Em ponto nenhum se afirma que Lídia fora manipulada ou coagida a crer. Prova, no máximo, que Lídia não resistiu à atuação de convencimento do Espírito Santo."
    Creio que vc interpretou errado o que o André disse. Olhe: “Deixar que o homem entenda sozinho, em seu estado depravado, só vai entender errado! O que você acha que foi entendido, não foi! Ela ainda não nascera de novo, não podia entender as coisas espirituais porque são discernidas espiritualmente. Quem nos habilita é o Espírito Santo em sua ação, nos levando à conversão. Seria o caso de Lídia em AT 16:14.
    O André falava sobre a capacitação do Espírito Santo para o homem entender o Evangelho e que, sem isso, ele não entenderá. Acho que nisso você concorda, não?
    O André (me corrija se eu estiver errado) não estava defendendo a Graça Irresistível (apesar de estar intimamente ligados). Estava defendendo o “necessário vos é nascer de novo”, afirmando que o homem carnal não entende as coisas do Espirito, e que é necessário a ação de Deus no coração capacitando o homem a crer. Onde está o “fail” ai? Em lugar algum.



    Você disse:
    Quanto ao endurecimento ser ativo ou passivo, você tem um pequeno problema nas mão ao interpretar isto de maneira literal:
    Ok, vamos lá:

    ”1 - Em diversos pontos se mostra Faraó endurecendo-se a si mesmo, e depois é que Deus "toma a iniciativa".
    Depois é que Deus toma a iniciativa? Mas qual aparece primeiro: um texto que diz que Faraó endurecerá o seu coração, ou um texto em que Deus diz que endurecerá o coração de Faraó? A segunda opção!

    Continua...

    ResponderExcluir
  110. Continuando...

    ”2 - No AT, Deus é tido como responsável moral pelo mal no mundo. Isto é visto tanto nos salmos quanto no livro de Jó. E até mesmo na crucifixão de Nosso Senhor Jesus o Messias.”
    Responsável moral não. A responsabilidade moral SEMPRE caiu sobre o homem. Já o AT afirma a Soberania total de Deus, até mesmo sobre o mal, e isso são coisas diferentes!
    Mas e você? Considera, como o JCosta, que a Bíblia contém material meramente humano?



    ”3 - Tem pelo menos uma passagem que eu creio ser providencial: aquela na qual Reis diz que Deus tentou Davi, e Crônicas diz que Satanás tentou Davi, para realizar o censo. E aí, Deus é o diabo?”
    Não estou desviando o assunto, mas é porque tem tudo a ver: Lembra-se do Livro de Jó? Quem destruiu a vida de Jó? Foi Satanás. Mas, curiosamente, a quem Jó atribuiu o que aconteceu? Atribuiu a Deus.
    “E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o SENHOR o deu, e o SENHOR o tomou: bendito seja o nome do SENHOR.” Jó 1:21
    Poderia ser que alguém dissesse: “Ah, mas foi apenas a opinião de Jó... Ele pode errar!” Mas, na continuação, a ESCRITURA afirma: “Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma.” Jó 1:22
    Ou seja, segundo a Escritura, Jó não errou no que disse.

    E não foi apenas Jó quem declara isso. A ESCRITURA afirma com todas as letras, lá no final do Livro de Jó:
    “Então vieram a ele todos os seus irmãos, e todas as suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro.” Jó 42:11

    Ora, se foi Satanás quem fez o mal (e isso é incontestável!), porque a Escritura afirma que foi Deus? Foi praticamente o mesmo caso que você deu como exemplo, sobre o censo. Como resolver essa situação?

    No início do Livro de Jó, é dito que Satanás pediu permissão a Deus para tentar a Jó. Inclusive Deus deu até limites para até onde Satanás poderia ir. Foi por causa disso – O controle soberano de Deus sobre todas as coisas – Que a Escritura atribuiu a Deus o mal que veio sobre Jó. Pois, no final das contas, tudo que ocorreu fazia parte dos planos de Deus, e estava debaixo do Seu Controle. A mesma coisa aconteceu no caso do Censo. Foi Satanás quem tentou a Davi: Mas, como no caso de Jó, o diabo estava debaixo da mão poderosa de Deus e nenhuma das suas ações sai do Seu controle.


    Continua...

    ResponderExcluir
  111. Finalizando...

    ”4 - Eu creio naquela analogia do Geisler: do mesmo modo que o mesmo calor do Sol faz a cera derreter e o barro endurecer, o ato de misericórdia de Deus pode tanto fazer uma pessoa se arrepender quanto se afastar dEle.”
    Sim, concordo!


    ”5 - Em Romanos 1-2, Paulo mostra que Deus abandona os pecadores contumazes aos seus próprios desejos infames. E foi assim que Deus endureceu Faraó.”
    PODERIA ser esse o caso, mas não é o que a Escritura afirma. Antes mesmo de Moisés se apresentar à Faraó, Deus afirma: “Quando voltares ao Egito, atenta que faças diante de Faraó todas as maravilhas que tenho posto na tua mão; mas eu lhe endurecerei o coração, para que não deixe ir o povo.” Êxodo 4:21. Deus disse isso ANTES de tudo acontecer.
    Vale lembrar, que não estamos dizendo que o “endurecimento do coração de Faraó” fez ele ser mal”. Ele já era mal. O endurecimento aqui foi especifico à uma ação: “para que não deixe ir o povo”.

    ”P.S.: não é a eleição que é odiada - mas a eleição incondicional.”
    É dela mesmo que estamos falando. ;)


    Você disse:
    “Ué, se você publica ou permite sem chiar comentários que deturpam e xingam o arminianismo (destrona Deus e exalta o homem), você é conivente com os mesmos. E eu não sou obrigado a bater palmas para isto. Ou você realmente acha que arrazoar a crença alheia é sinal de sucesso evangelístico? Aliás, sempre foi assim desde o Sínodo Nacional, não é hoje que vai mudar...”
    Primeiro, eu não publico ou permito nada. Quem publica ou permite é o Clóvis, o dono do blog.
    Segundo, não temos o poder de controlar as ideias das pessoas. Grande parte dos comentários colocados aqui (até mesmo contra o arminianismo), eu mesmo não concordaria jamais, por causa de alguns termos e chacotas usados.
    Nem você nem eu batemos palmas pra isso, acredite! Mas seria um erro seu e meu agir da mesma forma que condenamos em outros, não concorda? Seria no mínimo hipocrisia.


    Um abraço, Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  112. Somente pra completar...

    Em outro post você comentou:
    "Se Deus fosse mais malvadinho, Ele nem esperarias as nove pragas, já fulminaria os egípcios de cara. Mas Deus mandou Moisés avisar, e exibir a escolha a Faraó: deixa meu povo ir ou eu ferirei a terra do Egito. O castigo de Deus não é caprichoso e aleatório, ou esperaríamos que Faraó fosse fulminado logo pela primeira praga.
    Faraó foi objeto de misericórdia (porque não foi fulminado como merecia de cara), até que esta misericórdia se esgotou e o cálice da ira divina se encheu contra ele. Em sua obstinação, ele caminhou a passos largos para sua própria ruína.


    Não é isso o que a Escritura afirma. Deus QUIS que fossem as dez pragas, desde o início. E pra que que ele quis isso, ao invés de fulminuar logo o Egito (Como Ele fez com Sodoma e Gomorra, vale lembrar)?

    Primeiro: Deus quis que as pragas fossem várias:
    "Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó, e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas." Êxodo 7:3

    Segundo: Qual o propósito?
    "Porque agora tenho estendido minha mão, para te ferir a ti e ao teu povo com pestilência, e para que sejas destruído da terra; Mas, deveras, para isto te mantive, para mostrar meu poder em ti, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra." Êxodo 9:15-16


    Com certeza Deus não é caprichoso ou aleatório. Antes, é sábio e justo. Como eu sei isso?

    Justo és, ó SENHOR, e retos são os teus juízos. Salmos 119:137

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  113. ”1 - [...] Depois é que Deus toma a iniciativa? Mas qual aparece primeiro: um texto que diz que Faraó endurecerá o seu coração, ou um texto em que Deus diz que endurecerá o coração de Faraó? A segunda opção!
    Nope. Você está confundindo as coisas.
    Deus contou a Moisés que Ele endureceria o coração de Faraó.
    Mas Faraó endureceu seu próprio coração antes. O primeiro ato de endurecimento foi do próprio Faraó, depois é que Deus o endurecera. Para todos os efeitos, Deus não pegou um Faraó legalzinho e que, por "birra divina", ficou mau. Faraó já era duro, aliás esta era uma regra entre os governantes egípcios, não demonstrar fraqueza.
    Ẽxodo 7:13 afirma que o coração de Faraó endureceu-se, mas não afirma que Deus endureceu. Só lá pelo capítulo 8 é que diz explicitamente que Deus toma a iniciativa.


    ”2 -[...]
    Responsável moral não. A responsabilidade moral SEMPRE caiu sobre o homem. Já o AT afirma a Soberania total de Deus, até mesmo sobre o mal, e isso são coisas diferentes!
    Mas e você? Considera, como o JCosta, que a Bíblia contém material meramente humano?"

    * E quanto às vezes que Noemi diz que o Senhor a afligia? E quando Jó sentia as setas de Deus sobre ele? Deus nunca se isentou desta responsabilidade. Mas Deus está justificado em permitir o mal e o sofrimento no mundo (sim, eu estudo teodicéias e estas coisas de filosofia).
    E mesmo Isaias afirma que Deus agradou-Se do sacrifício de Jesus - o mesmo que disse "Por que me desamparaste?" Por acaso, Jesus tinha culpa?

    O tempo todo, Deus compartilha da dor da Sua Criação. Aliás, Jesus foi a expressão máxima desta cumplicidade.

    * Você bem deve saber que a Bíblia contém material humano, afinal ela foi escrita por humanos. Mas isto não significa que ela não seja inspirada. Onde uma coisa anula a outra?

    3 - Ué, isto se encaixa no caso que eu afirmei: Deus toma para Si a responsabilidade moral pelo mal e pelo sofrimento. E justamente por Ele se fazer responsável é que Ele é soberano. Afinal, como diria Dostoievski, se Deus não existisse tudo seria permitido.

    4 - Se concordamos, posso aplicar esta analogia a Faraó. Enquanto os israelitas e alguns egípcios olhavam as pragas e louvavam a Deus, Faraó seguia na sua obstinação. Por isto mesmo que Faraó foi objeto da paciência e depois da ira divina. Deus estaria justificado se fulminasse Faraó, mas Faraó não vai poder dizer que não sabia de nada.

    5 - Duvido. Deus apenas afirmou um fato futuro, para que Moisés soubesse da barra que iria enfrentar. Eu não preciso usar de predestinação para afirmar a presciência. Aliás, tem alguns artigos legais sobre o "paradoxo onisciência VS livre arbítrio" por aí na Internet.

    6 - É claro que Deus nao é caprichoso ou aleatório. Mas os calvinistas não seriam capazes de explicar isto facilmente, sem "apelar" pra Bíblia...
    Nada contra - é que eu ando em comunidades de Filosofia da Religião, e os argumentos calvinistas falham diante do Evil Problem por exemplo. Algo racionalmente inaceitável!

    7 - Depois eu respondo seu argumento das dez pragas contadas. Mas te adianto: molinismo.
    Aliás, isto tudo está num artigo que eu traduzi!

    ResponderExcluir
  114. Ah, não poderia deixar de anotar essa!

    "Não é isso o que a Escritura afirma. Deus QUIS que fossem as dez pragas, desde o início. E pra que que ele quis isso, ao invés de fulminuar logo o Egito (Como Ele fez com Sodoma e Gomorra, vale lembrar)?"

    Quem te disse que Deus fulminou Sodoma e Gomorra instantaneamente num dia de "ah, quero um churrasco de gente hoje"?
    Primeiro, tempos antes Ló fora morar lá, e Deus disse depois de algumas eras a Abraão que ele iria detonar a cidade por causa do pecado que tinha se multiplicado. Ou seja, a cidade vinha infringindo a lei moral há muito, mas muito tempo.
    E mais: quando Deus falou a Abraão que iria aniquilar as cidades, Abraão rogou a Deus que a poupasse se encontrasse 50,45,40,30, até 10 justos. E Deus topou cada proposta, sem pestanejar. E por quê? Porque Ele é justo e misericordioso.
    E ainda assim, Deus esperou Ló e sua família saírem da cidade. Só então executou Seu julgamento.

    Logo, mais uma pequena falha de sua parte: Sodoma teve todo tempo para se arrepender.

    Aliás, te faço a pergunta: "Acaso Deus destruirá o justo com o ímpio?"

    ResponderExcluir
  115. *Não é isso o que a Escritura afirma. Deus QUIS que fossem as dez pragas, desde o início. E pra que que ele quis isso, ao invés de fulminuar logo o Egito (Como Ele fez com Sodoma e Gomorra, vale lembrar)?*
    1 - Deus é longânimo e compassivo.
    2 - Para todos os efeitos, Faraó estava bem avisado. O fato de Deus saber o futuro não é causação dos atos de cada um deles. Deus planejou para que fossem as 10 pragas mais o afogamento, mas Faraó escolheu de sua livre vontade.

    *Primeiro: Deus quis que as pragas fossem várias:
    "Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó, e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas." Êxodo 7:3*

    E daí?

    *Segundo: Qual o propósito?
    "Porque agora tenho estendido minha mão, para te ferir a ti e ao teu povo com pestilência, e para que sejas destruído da terra; Mas, deveras, para isto te mantive, para mostrar meu poder em ti, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra." Êxodo 9:15-16*

    Tá, e daí? Aliás, está escrito "te MANTIVE".

    *Com certeza Deus não é caprichoso ou aleatório. Antes, é sábio e justo. Como eu sei isso?

    Justo és, ó SENHOR, e retos são os teus juízos. Salmos 119:137*
    Ou seja, não é pelo calvinismo voluntarista, mas pela afirmação bíblica. Aliás, tenho uma bem pior para você:
    "Provai e vede que o SENHOR é bom" - salmo 34
    O calvinismo sozinho não prova que Deus é justo, e na verdade este salmo nem fala da TULIP!

    "Um abraço."
    Idem! Apesar de minhas desavenças ideológicas...

    ResponderExcluir
  116. Credulo,

    Acho que você deve ter no máximo 17 anos ... pelas palavras que escreve...ou então, é melhor estudar mais a bíblia e deixar a internet de lado. (jogos, etc)

    Pois bem, "Logo, mais uma pequena falha de sua parte: Sodoma teve todo tempo para se arrepender" ... não teve não ... até porque, não havia nenhum justo além de Ló e sua família.

    Caros Clóvis e Eric,

    Como disse antes, estou lendo muito sobre predestinação, porém ainda não tenho o que dizer =) porisso ainda não comentei, mas, estou certo de que há muitas evidências sobre esse tema na bíblia, porém tenho que ainda ter o dicernimento correto ... mas não minto que, por mais que eu leia sobre o tema sempre caio em outros como joao 3:16, efesios 2, etc ...

    Vamos ver, mas que tem muitas evidências, isso tem.

    Um abraço e fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  117. Olá Flávio
    Qual seria a sua dúvida exatamente sobre os textos mencionados?

    ResponderExcluir
  118. Ao Hélio,

    Vc diz em 23/11, às 23h53:
    "Notem que eu coloquei os termos entre aspas, pois o nosso nobre debatedor JCosta vive gritando no 5 Solas que nós por exaltarmos a soberania de Deus como fazia Moises e os hebreus de sua época estamos espalhando uma "doutrina diabólica"."

    RESPOSTA:
    Epaaaaaaaaaaa, alto lá,meu caro!!!! Os hebreus, ao exaltarem sobremaneira a soberania de Deus, não estavam errado.
    Já os calvinistas não fazem o mesmo, mas dizem que Deus é quem faria o coração, de uma parte das pessoas, ser mau. Isto é erradíssimo. O Pai de amor não fez isto com faraó (por exemplo), mas este tomou decisões erradas para sua vida e receberá sua recompensa por isto.

    Veja Salmos 05.04:
    "Pois tu não és Deus que se agrade com a iniqüidade, e contigo não subsiste o mal."
    Ora, se em Deus não subsiste o mal como é que Ele faria uma pessoa ser má?

    E o que dizer de Tiago 01.13:
    "Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta."
    O verso é claro, 'ninguém diga: sou tentado por Deus', entenderam, calvinistas, 'NINGUÉM', inclusive faraó, pois o mal é satânico, meus caros, e satanás foi quem instigou a maldade no coração de faraó, e não Deus!

    Devido a estes versos (e outros) é que afirmamos que a expressão atribuída a Deus 'endurecerei o coração de faraó' é como um idiomatismo hebraico que expressa a exaltação sobremaneria da soberania de Deus que o hebreu fazia. MAS DEUS NÃO TENTOU FARAÓ NEM O FEZ SER MAL.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  119. JCosta,
    Poderia então explicar os versos abaixo?

    #Mateus 6:13 - E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal...
    #Mateus 4:1 - Então, foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo...
    #1Rs 22:22 - Respondeu ele: Sairei e serei espírito mentiroso na boca de todos os seus profetas. Disse o SENHOR: Tu o enganarás e ainda prevalecerás; sai e faze-o assim.
    2Cr 18:22 - Eis que o SENHOR pôs o espírito mentiroso na boca de todos estes teus profetas e o SENHOR falou o que é mau contra ti.
    #Ezequiel 14:9 - Se o profeta for enganado e falar alguma coisa, fui eu, o SENHOR, que enganei esse profeta; estenderei a mão contra ele e o eliminarei do meio do meu povo de Israel...
    Quem destruiu a vida de Jó, matou seus filhos, tirou sua saúde?

    ResponderExcluir
  120. JCosta,


    Uma coisa é Moisés dizer "Deus endureceu o coração de faraó". Neste caso, poderíamos até pensar em aceitar a sua teoria do "idiomatismo hebraico".

    Acontece que NÃO FOI ISSO o que Moisés escreveu, por exemplo, nestes textos:

    "Eu [Deus], porém, endurecerei o coração de Faraó, e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas." Êxodo 7:3

    "E eu [Deus] endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, e saberão os egípcios que eu sou o SENHOR. E eles fizeram assim." Êxodo 14:4

    "E eis que [eu, Deus] endurecerei o coração dos egípcios, e estes entrarão atrás deles; e eu serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, nos seus carros e nos seus cavaleiros," Êxodo 14:17

    "E disse o SENHOR a Moisés: Quando voltares ao Egito, atenta que faças diante de Faraó todas as maravilhas que tenho posto na tua mão; mas eu [DEUS] lhe endurecerei o coração, para que não deixe ir o povo." Êxodo 4:21

    Moisés afirmou com todas as letras que DEUS falou que endureceria o coração de faraó.

    Se nesses trechos temos apenas a opinião de Moisés, mas Deus realmente NÃO FALOU essas coisas, logo Moisés MENTIU, e a Bíblia contém erros.

    Agora, se nesses trechos temos realmente o que Deus falou, você deve aceita-los como eles são, e mudar suas idéias.

    Ou seja, ou você nega o que a Escritura afirma, nega sua inspiração e inerrancia, e nega a sua Divindade; ou muda suas idéias e as conforma ao que Ela diz.

    Isso, é claro, se seu temor for ao Senhor da Palavra.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  121. crédulo,

    assim que possível, responderei com atenção devida.

    Um abraço cara.

    ResponderExcluir
  122. Ao Neto,

    Vc diz em 23/11 às 21h35:
    "Pergunte à Ele:
    "Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra." Romanos 9:17 e Exodo 9.16
    E foi o que aconteceu. Até incrédulos sabem da história do Mar Vermelho, de faraó, etc.
    Ou você vai afirmar agora que esses trechos também são apenas opiniões dos autores?"

    RESPOSTA:
    Com este verso de Rom.: 09.17, o apóstolo apenas está dizendo que, ao faraó se rebelar contra Deus, o Senhor então mostrou Seu poder para libertar o Seu povo do cativeiro. Nada mais além disso.
    Olhem, calvinistas, o caso de faraó é análogo ao do cego de nascença. Veja Jo.: 09.01-03:
    "... Jesus, viu um homem cego de nascença.
    ... os ... discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
    Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus."

    Viu, meus caros calvinistas? Jesus, ao responder aos discípulos sobre a causa da cegueira do homem, disse que não foi nem uma coisa nem outra, no pensamento deles, que fizera com que o homem nescesse cego.
    Mas, ao estar ele naquela situação, a glória de Deus iria se manifestar na sua vida.
    Assim também em relação a faraó, Deus não o fez mal, mas já que ele se rebelou contra o Criador, o poder dEste se manifestou naquele episódio da libertação do povo hebreu do Egito.

    Hélio, vc diz em 24/11 às 00h21:
    "As escrituras do velho testamento estão recheadas de declarações onde a "soberania do Pai é exaltada sobremaneira".
    Nós baseamos a nossas crenças na absoluta soberania do Pai nessas referências bíblicas, que digasse de passagem não são poucas."

    RESPOSTA:
    Não, Hélio! A crença calvinista se baseia na culpabilidade de Deus pelo fato de algumas pessoas tornarem-se más! E isto não é exaltação à soberania de Deus!
    Exaltar a soberania divina é reconhecer que Deus anteviu o acontecimento, mas não interferiu na escolha da pessoa ao querer se tornar má.

    Jcosta.

    ResponderExcluir
  123. Um problema gigante (apesar de ser uma boa intenção) do arminianismo é a de pensar que Deus precisa de defesa.

    Com medo de fazer Deus "parecer mal" aos olhos das outras pessoas, os arminianos negam diversas declarações da Escritura como, por exemplo, o endurecimento do coração de Faraó. Pois, segundo eles, Deus seria "mal" se fizesse assim.

    O problema, amigos, é que isso parte de um julgamento do homem contra Deus. Com que base se julga Deus bom ou mal? Se não for com base na Escritura, estamos julgando Deus conforme nossa mente limitada e fraca, e com nossa noção caída de justiça. Logo, é certeza de que faremos errado tal julgamento, além de não termos direito algum de fazer isso.

    Mas, se a Bíblia afirma que Deus é santo, justo, sábio e bom, e diz ainda que ele endureceu o coração de faraó, é nosso dever com corações humildes afirmar "então tal determinação de Deus TEM que ser santa, justa, sábia e boa, apesar de eu nunca entender profundamente isso".

    Deus não precisa de defesa, pois não há quem possa O acusar.

    Abração, Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  124. Neto,

    Vc diz em 25/11 às 10h03:
    "Ou seja, se o JCosta está certo, e essas passagens [das expressões "endurecerei o coração de faraó"] são apenas "opiniões culturais de Moisés", mas que não é verdadeiramente DEUS FALANDO, Moisés mentiu nestas passagens, colocando coisas na boca de Deus que Ele não disse!
    Como explica isso, JCosta?"

    RESPOSTA:
    Não, Neto, Moisés não mentiu, ele falou o que Deus lhe disse, dentro da concepção que ele tinha da soberania do Criador.
    Moisés, influenciado pela sua cultura hebraica, pensava que, aquilo que ele não podia impedir (no caso, a rebeldia de faraó), seria a atuação de Deus no processo, mas não o foi. Então ele expressava a frase, aparentemente, indicando Deus como o autor da incredulidade faraônica.
    E mais uma questão importante, meus caros: Moisés não escreveu o livro do Êxodo ao mesmo tempo em que os fatos iam acontecendo, ele o escreveu algum tempo depois. E, quando o fez, apresentou características culturais suas, típicas de um hebreu, exaltando a soberania do Pai com sua frágil compreensão sobre esta soberania.
    Portanto, Não foi Deus quem instigou a maldade no coração de faraó.
    Parem de culpar ao Pai de amor por essas crueldades!

    JCosta.

    ResponderExcluir
  125. Flávio,

    Que bom que esteja interessado em entender de fato a verdade de Deus. Acredito que seria mais imparcial que você buscasse o entendimento de cada doutrina com pessoas que acreditam nas respectivas doutrinas, ou seja, arminianismo com um Arminiano e calvinismo com um Calvinista.

    Pensei que meu argumento talvez pudesse esclarecer sobre essa passagem, mas aparentemente não obtive sucesso. Já que é assim gostaria que você visse mais sobre o assunto nesse site: http://amecristo.com/

    Exatamente essa semana concluiremos uma série de cinco semanas que fala sobre a TULIP: http://amecristo.com/2011/12/08/especial-soteriologia-calvinistas-indice/

    Os textos não são de nossa autoria. Todos eles são extrações de livros ou traduções (em sua maioria).

    Não que eles venham a elucidar de forma completa o entendimento da soteriologia calvinista (lembre-se que a TULIP se refere somente a soteriologia calvinista e não que o calvinismo se limita a isso somente), mas que ao menos eles venham a trazer mais luz ao seu entendimento.

    Eric Lima.

    ResponderExcluir
  126. Errata:

    "(lembre-se que a TULIP se refere somente a soteriologia calvinista e não que o calvinismo não se limita a isso somente)"

    ResponderExcluir
  127. Ao Neto,

    Vc diz em 20/12 às 21h22:
    "Com medo de fazer Deus "parecer mal" aos olhos das outras pessoas, os arminianos negam diversas declarações da Escritura como, por exemplo, o endurecimento do coração de Faraó. Pois, segundo eles, Deus seria "mal" se fizesse assim."

    RESPOSTA:
    Nós, adventistas não negamos nada, o verso de Êxodo diz que Deus endureceu o coração de faraó, acontece Moisés o escreveu influenciado pela sua cultura hebraica, logo, o Senhor não faz faraó se tornar mal, as más escolhas deste o fizeram ser uma pessoa má.
    Se fosse Deus quem fizesse faraó ser mal, então logica e consequentemente o Pai seria um ser mal sim.
    Mas Ele disse que, Consigo, não subsiste o mal (Salm.: 05.04) e que não tenta o ser humano em nenhuma aspecto (Tiag.: 01.13), portanto não o faz ser mal.
    As pessoas que se tornam más, o fazem pelas suas próprias escolhas. Veja Tiag.: 01.14:

    "Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz."


    Vc diz:
    "se a Bíblia afirma que Deus é santo, justo, sábio e bom, e diz ainda que ele endureceu o coração de faraó, é nosso dever ... afirmar "então tal determinação de Deus TEM que ser santa, justa, sábia e boa, apesar de eu nunca entender profundamente isso"."

    RESPOSTA:
    Como é que, em meio à graça, que nos está disponível desde o Éden, ao alguém, mesmo Deus, instigar uma pessoa a cometer iniquidades, maldades, crueldades, isto seria algo santo, justo e bom?
    Isto é inconcebível, meu amigo Neto, Deus não é assim!
    Após o tempo da graça, quando os que escolheram permanecer na iniquidade forem destruídos pelo fogo, junto com a besta, o diabo, etc., aí sim a atuação de Deus será justa, pois Ele está alertando todos a aceitarem a Cristo hoje, até o fechamento da porta da graça, e, caso não O aceitem, Ele diz que receberão a paga por isso. Isto sim é justiça!!!!!

    JCosta.

    ResponderExcluir
  128. Ao Andre R Fonseca,

    Vc diz em 08/12, às 19h06:
    "Passeando pelo blog do Leandro Quadros descobri que o JCosta na verdade apenas ecoava as palavras do Leandro aqui neste post.
    http://novotempo.com/namiradaverdade/2011/02/21/deus-faz-as-pessoas-pecarem-exodo-73/
    O JCosta tem ouvidos apenas para seu querido professor. Nosso discurso dá coceira no ouvido dele...

    RESPOSTA:
    Oh, rapaz, o Andre me descobriu (heheheheh)!
    Realmente eu sou um telespectador assíduo do programa 'Na Mira da Verdade' e acesso constantemente o blog do 'Na Mira'.
    Mas o SENHOR faz o cara ser muito bom de Bíblia, convenhamos, né?
    Louvado seja Deus, pela sabedoria que Ele concede ao Leandro!
    Aprendi e aprendo muito assintindo ao 'Na Mira' na TV e o acompanhando pelo blog também.
    Sugiro a vc's que façam o mesmo.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  129. JCosta,

    "Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?"

    Deus criou todos os animais, menos a serpente? A serpente nasceu sagaz espontaneamente sem Deus?

    "A terra está entregue nas mãos dos perversos; e Deus ainda cobre o rosto dos juízes dela; se não é ele o causador disso, quem é, logo?" Jó 9:24

    "Tocar-se-á a trombeta na cidade, sem que o povo se estremeça? Sucederá algum mal à cidade, sem que o SENHOR o tenha feito?" Amós 3:6

    Algum comentário?

    ResponderExcluir
  130. JCosta,

    Sim, aprender o que não se deve fazer, também é aprendizado valiosíssississimo!!! como dizia o chavinho do 8

    ResponderExcluir
  131. Ao Flávio,

    Vc diz em 28/11 às 16h03:
    "Mas, longe de mim falar o que o sr JCosta fala que a predestinação é uma doutrina demoniaca, até pq os adventistas creem em ETs, não tem motivo para criticar ninguem..."

    RESPOSTA:
    Meu irmão, o predestinismo calvinista é antibíblico, e tudo que é contrário à Escritura vem do malígno.
    Outra questão, nós, adventistas, não cremos em ET's como vc diz e pensa acima.
    Os Et's do seu senso comum são aparições satânicas. Os que crêem nisto, dizem que os supostos seres teriam contato com humanos deste planeta.
    Nós, adventistas, cremos na existência de mundo imaculados em que haja homens não-caídos, os quais não têm contato com nós pecadores. E isto não é crer em Et's do senso comum e ufológico.
    As bases bíblicas de nossa crença são, por exemplo, 1 Cor.: 04.09b (em que mundo=cosmo=universo) e Jó 01.06 (se a reunião dos filhos de Deus tivesse havido aqui na Terra, Jó estaria no meio deles, pois era íntegro, reto e se desviava do mal).

    JCosta.

    Que a Palavra seja sempre engrandecida!

    ResponderExcluir
  132. Ao Hélio,

    Vc diz em 24/11, a 01h56:
    "A pessoa chega à situação de perdida, primeiro pelo pecado herdado de Adão, segundo negando em vida a obra expiatória que Jesus Cristo realizou na cruz, a única saída existente para que o injusto pecador se torne um homem justificado, perdoado e plenamente habilitado para adentrar na glória de Deus e terceiro por que ele quer.
    E ele se deleita nessa condição de perdido a tal ponto de escolher continuar assim caminhando a passos largos para a condenação, a não ser que tenha a intervenção do poder soberano de Deus sobre Ele o resgatando com mão forte e poderosa do domínio do pecado."

    RESPOSTA:
    Nossa! Que fala confusa! Uma hora vc diz que o homem é perdido porque quer ou escolheu continuar na perdição, depois é porque Deus o deixou de escolher... e mistura livre-escolha com predestinismo calvinista... que coisa!!!!!

    Olha, tá ruim de entender, viu?
    Vc poderia explicar melhor?
    O homem torna-se perdido porque escolheu ser mal (rejeitando a Cristo) ou ele tem esta triste recompensa porque Deus teria deixado de escolhê-lo à salvação?

    Pra mim, vc falou 100000000000000000000000000... de toneladas, mas não explicou, claramente, nem um milionésimo de grama.

    JCosta.

    ResponderExcluir
  133. Ao Neto (e demais supostos predestinados),

    Olha, meu caro, só pude responder a estas questões... se puder responderei as demais quando der.

    Acontece que, devido a questões particulares, ficarei ainda mais sumido do blog, não sei quando poderei novamente estar por aqui.
    Quando for possível, conversaremos mais (se o Senhor permitir).

    Até não sei quando!

    JCosta.

    ResponderExcluir
  134. Ao anônimo de 20/12 às 22h16:

    Vc diz:
    Algum comentário? [sobre Gên.: 03.01, Jó 9:24 e Amós 3:6]

    RESPOSTA:
    Olha, vi este anônimo se dirigindo a mim, e não resisti a respondê-lo.
    Claro que tenho comentário, meu caro, Moisés (que escreveu Gênesis e a quem é atribuído o livro de Jó) e o profeta Amós expresam nessas palavras, também, as suas concepções particulares sobre a soberania de Deus.
    Mas, na verdade, eles dizem que tudo ocorre no mundo sob a permissão do Criador.
    E entre permitir e promover há um abismo inalcansável...
    Amigo, o Senhor não faz o mal a ninguém nem faz nenhuma pessoa ser má, veja Jer.: 29.11:

    "Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais."

    Veja também Tiag.: 01.13:
    "Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta."

    JCosta.

    Glória ao Pai, pelo Deus de amor que é!

    ResponderExcluir
  135. JCosta, você disse (e vou negritar uma parte importante):

    "Moisés, influenciado pela sua cultura hebraica, pensava que, aquilo que ele não podia impedir (no caso, a rebeldia de faraó), seria a atuação de Deus no processo, mas não o foi. Então ele expressava a frase, aparentemente, indicando Deus como o autor da incredulidade faraônica."

    Então, JCosta, Moisés errou? Ele pensava que era uma coisa, mas NÃO era. Foi isso o que você disse.

    Me responda isso: Moisés errou então nessas afirmações?

    ResponderExcluir
  136. JCosta,

    Acho que os Adventista deveriam parar com isso porque tá e é feio ... procurar na bíblia uma coisa que não tem e na base do "ACHISMO" tentar provar uma coisa da qual a bíblia claramente não fala, também pode ser |com suas palavras| uma "uma doutrina demoniaca" não acha?

    Até porque nenhuma outra denominação que eu saiba, consegue observar isso na bíblia.

    Sou Batista e gosto de estudar a bíblia e qualquer tema que me é proposto, gosto de estudar, tenho que saber, se caso errado, confrontar não com palavras, porém com a própria bíblia e sem ACHISMO.

    Eric, não é o que eu não entendí =). É que sim, existem evidencias claras sobre ter um povo escolhido para ser salvo, porem, acho que isso se encaixa na minha seguinte "não conclusão" rsss até pq como disse, eu não tenho uma concreta.

    -Bom, vou tentar explicar:
    >Acho que a predestinação, pode ser confundida sim e misturada ao livre arbítrio, mesmo eu entendendo que em certas passagens esta escrito : aí tem muito povo meu ou no caso de Deus ter endurecido o coração de faraó. Porque acho eu que todos os que supostamente não escolhidos, possam ser escolhidos pela misricórdia de Deus...como no caso de nossos próprios amigos (não é possível se ter somente amigos envangélicos), no meu caso, falo de Deus para eles porem alguns ouvem e outros a palavra entra em um ouvido e sai no outro.

    Ou quando os missionários vão ao campo e alguns aceitam e outros não ... sei que Deus sabe todas a coisas que antes mesmo de nascermos Ele já sabia, etc ... porem acho que alguns não não por não serem escolhidos e sim por não entenderem e tb por não conseguir deixar algum vício (ex: mulheres, bebida, festas, etc).

    Consegue entender meu ponto de vista ainda não conclusivo?

    rss Abraço!

    ResponderExcluir
  137. Ao Neto,

    Vc diz em 21/12/11 às 08h24:
    "Então, JCosta, Moisés errou [sobre o coração de faraó]? Ele pensava que era uma coisa, mas NÃO era. Foi isso o que você disse."

    RESPOSTA:
    Prefiro não dizer que ele tenha errado, mas sim, influenciado pela sua cultura hebraica.
    Vemos que Deus não endureceu o coração de faraó por causa de passagens que mostra a Deus como um Ser incapaz de pôr maldade numa pessoa (no sentido de não optar em fazê-lo) [ver Jer.: 29.11, Tia.: 01.13, 1 Jo.: 04.08, etc].
    O problema de vocês, calvinistas, é que insistem em "tentar" se esquecerem dessas citações bíblicas, quando falam que Deus faria uma pessoa ser má, agente de satanás, e coisas do gênero...
    Ah, por favor, meus caros, parem de acusar a Deus de tais atrocidades, o Senhor não é igual a grande parte dos seres humanos, tá ok?

    JCosta.

    ResponderExcluir
  138. Neto e JCosta,

    A propósito, se Deus quiser amanhar postarei um artigo despretensioso sobre o coração de Faraó. Toco de leve nessa questão cultural.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  139. JCosta,

    acho que vc realmente não percebeu o que a sua crença significa.

    Se Deus NÃO FALOU o que Moisés disse que Deus FALOU, então Moisés MENTIU. Não foi apenas opinião cultural. Moisés não apenas disse "O Senhor endureceu o coração de Faraó", mas além disso, ele disse "Deus me disse que vai endurecer o coração de Faraó". Não foi apenas opinião, podemos dizer que ele profetizou, ou seja, comunicou algo que DEUS DISSE.

    Se não passa de uma opinião e Deus não disse aquilo, Isso é mentira, e da pior espécie, colocando palavras na boca de Deus, que Ele não disse. Lembra da punição para o falso profeta que fizesse isso? A MORTE. Mas, ao contrário disso, Moisés é elogiado e protegido por Deus por toda a Bíblia, o que nos leva a crer que em nenhum momento Moisés mentiu. Ou seja, foi Deus quem endureceu o coração de Faraó, pois Ele mesmo disse que faria isso.

    Se estou errado, gostaria que você me mostrasse.

    Resta saber se você vai abandonar essa opinião apenas humana e não bíblica, e vai realmente acreditar no que a Bíblia diz.

    Um abraço

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.