Livro de Charles Spurgeon grátis!


O trecho seguinte foi extraído do livro "Diante da porta estreita" de Charles Spurgeon. Você pode ler o livro todo no blog do Projeto Spurgeon ou então baixá-lo em PDF para seu computador. Custo? Zero!
Qual, então, é o seu pecado querido? É alguma injustiça grosseira? Então muita vergonha deve fazê-lo parar com ele. É o amor a mundo, ou medo dos homens, ou desejo de enriquecer injustamente? Certamente, nenhuma dessas coisas o livraria da inimizade entre você e Deus, nem de Sua desaprovação. É um amor humano, que está comendo como um câncer o seu coração? Pode qualquer criatura se comparar ao Senhor Jesus? Não é idolatria permitir que qualquer coisa terrena se compare por um instante com o Senhor Deus? "bem", diz um, "para que eu desista do pecado particular pelo qual eu estou cativado, seria para mim uma grande perda nos negócios, arruinaria minhas estimativas, e diminuiria minha utilidade de várias formas". Se é assim, você tem o seu caso identificado com as palavras do Senhor Jesus, que lhe convida a lançar fora o olho, e cortar fora a mão ou pé, e lançá-lo de ti, ao invés de seres todo lançado no inferno. É melhor entrar na vida com um olho, com os piores resultados, que manter todas as suas esperanças, e ficar fora de Cristo. Melhor ser um crente coxo do que um pecador pulando. Melhor estar nos piores estados da vida no exército de Cristo que liderar o grupo e ser o grande oficial sob o comendo de Satanás. Se você ganhar a Cristo, não terá grande importância o que você perder. Não há dúvida que muitos tiveram de sofrer o que os deixou mancos e coxos nesta vida; mas se eles entraram assim na vida eterna, eles foram grandes ganhadores.

Um comentário:

  1. Obrigado Clóvis pela divulgação: que Deus o abençoe !

    Abraços
    Armando

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.