Por que não sou pedobatista? - 1

Por que não advogo o batismo infantil, bastante comum em meios reformados? Positivamente, porque creio que o ensino e os exemplos bíblicos implicam o batismo de crentes, conforme demonstrei no artigo "Por que sou credobatista?". Negativamente, porque depois de analisar os argumentos em favor do batismo infantil concluo que são inconsistentes e incapazes de demonstrar que a prática da igreja apostólica era a de batizar recém-nascidos, e que trazem mais prolemas que respostas. No que segue, procuramos analisar os argumentos mais comuns.


Diferentes pedobatismos


O batismo é o primeiro das duas ordenanças ou sacramentos revelados no Novo Testamento. É um ritual comandado por Deus e consiste de um sinal visível da graça de Deus, acompanhado de promessa divina. Há diferenças entre batismo de adultos e batismo de crianças, e diferenças próprias nas concepções dos que adotam este último. Para os católicos romanos e a igreja ortodoxa, o batismo oferece as funções normais ou meios ordenados para a regeneração. Tanto para luteranos como para reformados, o batismo é visto como sinal ou selo do pacto da graça, mas os luteranos afirmam que as crianças não participam da aliança até que sejam batizadas, já os reformados crêem que a aliança precede o batismo. Os metodistas ensinam que todas as crianças foram redimidas por Cristo, e portanto estão aptas ao batismo, apesar de John Wesley não hesitar em rebatizar os que não haviam sido batizados na Igreja da Inglaterra.

Leia Por que não sou pedobatista? - 2

66 comentários:

  1. Até o momento, estou assinando em baixo!

    Os irmãos "mais reformados" do que eu me perdoem, mas assim que fui salvo, em 2008, e comecei a pesquisar mais sobre igrejas, estranhei o fato de existirem igrejas reformadas que batizam crianças!
    Alguém pergunta: "Mas porque?"
    Minha resposta é a mesma do Clóvis, sem tirar nem por: "depois de analisar os argumentos em favor do batismo infantil concluo que são inconsistentes e incapazes de demonstrar que a prática da igreja apostólica era a de batizar recém-nascidos".

    Deus abençoe a todos.

    Clóvis, parabens!

    ResponderExcluir
  2. Neto,

    Por esse argumento não não chegaremos a lugar nenhum, como mostrou os argumentos do Helder, acho que tudo deve ser analisado pelo que cremos ser o batismo. Daí deve-se fazer conforme o que cremos.

    Eu creio que sou do povo de Deus, meu filho por conseqüência é parte do povo de Deus. Se o batismo, sengundo eu creio, é a marca daquele que são povo de Deus, então que motivo eu teria para não batisar meu filho?

    Esli Soares

    ResponderExcluir
  3. Amado Esli,

    Ainda é cedo para falar algo. Vamos aguardar o término da série do "Amado Batista" (Clóvis).

    Pois eu creio que o Clóvis postará sobre esse assunto que o irmão levantou tambem.

    Deus abençoe.
    (quanto tempo que não falamos, não?)

    ResponderExcluir
  4. Neto,

    É cedo mais tu falou...

    Vamos ver mesmo o resto das postagens... mas veja bem foi vc que já saiu alfinetando (rsrsrs), segundo vc a história não mostra que a Igreja batisava crianças, mas ela também não mostra que não se batisava.

    No artigo Credobatista, o Helder maestralmente deixou claro que se pode pensar em família incluindo filhos, a mulher, etc. O Clóvis até disse algo sobre incluir os escravo.

    Volta a dizer por aí não avançaremos!

    No mas em paz,
    Esli Soares

    p.s.: Por e-mail, e te fiz uma proposta vc que nunca mais falou comigo...

    ResponderExcluir
  5. Os Batistas aproveitam de uma calúnia, na maioria dos casos. Quantas pessoas estão dizendo que o batismo infantil é invenção católica!
    Pr Esli, com certeza já teve que clarear esse problema. Eu já tive que esclarecer isso. E quantas vezes notamos que a associação pedobatismo e romanismo, tiram pessoas das fileiras presbiterianas.
    O 'Amado Batista' ( rsrsr ) mostra contra-argumentos, mas infelizmente não é esse o pressuposto. Muitos negam o batismo infantil pelo princípio da associação e a predominãncia batista/pentecostal tem contribuido para essa calúnia. Noto que pentecostais e batistas (a maioria tb desinformadas) gostam de deixar as pessoas acharem que o pedobatismo é do romanismo idólatra.
    Mas tb sei que a teologia batista apresenta seus contra-argumentos de forma séria, como fez nosso amado irmão Clóvis, que lá no céu, junto a tantos outros vão ter que andaram errados não batizando seus filhos.
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  6. Amado Esli,

    Perdão se pareceu que fui desonesto contigo (tipo "eu posso comentar, você não", ou algo do tipo), mas eu realmente afirmei, ou comentei, algo que já estava no post inicial do "Amado Batista". No caso, a "inconsistencia e incapacidade" dos argumentos. Ele afirmou isso numa visão geral, mas ainda não abordou cada um deles especificamente.

    Isso ele disse inicialmente, coisa que eu concordei. Aí, você trouxe à tona o assunto especifico "filiação", assunto que ainda o Clóvis não abordou... Por isso eu disse "calma..." rs. Espero que tenha ficado mais claro.

    Peço perdão pelo e-mail, o enviarei ainda hoje, se Deus quiser.

    Deus abençoe a todos.

    ResponderExcluir
  7. Neto,

    Eu só estava zoando...

    Mas eu volto a afirmar que pelo argumento histórico nada será conclusivo.
    Se bem que eu não creio que seremos conclusivos no assunto batismo... hehehe

    Esli Soares.

    P.s.: Esperando o e-mail.

    ResponderExcluir
  8. Clóvis,

    Achei que vc tinha se esquecido deste assunto! rsrs. A nível de introdução, não tenho como discordar. Vamos ver os próximos posts, né??

    Neto,

    Já começou alfinetando!! rsrsrs. O Esli tem razão quando diz que tudo deve ser analisado pelo que cremos ser o batismo. Se formos procurar na Bíblia algum registro do pedobatismo, iremos perder tempo.

    É a busca da definição do pedobatismo que vai determinar se as crianças pequenas devem fazer parte ou não, e não a busca por algum registro histórico! Só lembrando que os registros históricos (registros ausentes ou não) não servem para compôr uma doutrina.

    ResponderExcluir
  9. Neto,

    Espero que continue assinando, e ampliando as argumentações que serão apresentadas.

    Contudo, não nutra muitas expectativas. O texto não é lá aquelas coisas. Mas serve como ponto de partida.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  10. Esli,

    Não pretendo levar ou chegar a algum lugar específico sobre esta questão. São minhas razões pessoais, abertas ao debate.

    Quando ao argumento histórico, acho que demonstrarei que se inclina para os credobatistas. Mas como você disse, ele não é conclusivo.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  11. Luciano,

    "Os Batistas aproveitam de uma calúnia, na maioria dos casos. Quantas pessoas estão dizendo que o batismo infantil é invenção católica!"

    Minha intenção não é caluniar, tanto que de início procuro estabelecer a diferença entre o pedobatismo romanista e o batismo infantil praticado por cristãos evangélicos. Porém, o fato é que o batismo infantil veio na esteiras dos erros romanistas com relação a eclesiologia em geral e dos sacramentos em especial.

    "Mas tb sei que a teologia batista apresenta seus contra-argumentos de forma séria, como fez nosso amado irmão Clóvis, que lá no céu, junto a tantos outros vão ter que andaram errados não batizando seus filhos."

    Bom, espero merecer a consideração de que argumentei de forma séria, e convencê-lo, antes de chegar no céu, a esperar seus filhos fazer confissão de fé para batizá-los.

    Em Cristo,

    Clóvis

    PS.: Brincadeiras à parte, de forma alguma pretendo tratar com leviandade a convicção de meus irmãos presbiterianos.

    ResponderExcluir
  12. Heitor,

    "Se formos procurar na Bíblia algum registro do pedobatismo, iremos perder tempo."

    Neste ponto batistas e pedos estão de pleno acordo. Outro ponto que acho que concordamosé que todos os batismos registrados na Bíblia era de crentes. Acho que isso conta algum pontinho para os credobatistas, não?

    Quanto a validade do precedente histórico, é uma questão a ser aprofundada. Será que os relatos históricos tinha finalidade meramente informativa?

    De resto, conto com a sua contribuição para o tema, para revermos ou fortalecermos nossas convicções.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  13. Heitor, o que estou esperando dos irmãos batistas, e só uso esse argumento por que os batistas ( vc é?) acham que tal argumento é decisivo. É o seguinte: Onde tem crentes na bíblia que nasceram em lar cristão e só foram batizados na idade adulta??? Estou cansando de procurar também !

    ResponderExcluir
  14. Irmão Clóvis, desde a primeira vez que vi seu blog notei sua seriedade e fidelidade. Classifiquei sim vc entre os sérios que assim pensam. Fico feliz em poder conhecer esse blog.
    Deus o abeçoe.
    Mas você está errado, lamento em dizer, porém feliz, visto que estou certo. Acho que Abraão vai ter que puxar a orelha de muitos de seus 'filhos' que não seguiram seu exemplo!
    Brincadeiras a parte, os irmãos batistas são nossa herança!

    ResponderExcluir
  15. Uma pergunta: Os valdenses, batizavam crianças?

    ResponderExcluir
  16. Clóvis,

    De fato, o batismo era para os crentes. Mas será que os filhos de pais crentes não são crentes? Os filhos não são santos porque um dos pais o é?

    Os relatos históricos tinham finalidade meramente informativa: informavam o que a igreja cria. A ausência de algum precedente histórico, ausência de exemplos pedobatistas, por exemplo, não finaliza a questão. Porém, é claro que há um pressuposto teológico por trás de todo relato histórico. Mas a questão é: a definição teológica do batismo determinará se os filhos serão ou não batizados.

    Mas espero que os nossos próximos contatos aqui no blog sejam mais para edificação.

    Luciano,

    Não sou batista.

    ResponderExcluir
  17. Clovis...

    Eu adorei a piada, mas o bom que ter direito ao símbolo não o obriga a te-lo (o símbolo) de fato... então os seus filhos, mesmo tendo o direito do símbolo, podem por escolha deles ou sua, não usá-lo por enquanto. Isso não implicará em perderem o que é simbolizado...rsrsrsrs

    Sobre os relatos históricos, não dá para dar nem meio ponto, pois a questão é como devemos definir o termo casa. Se for todos, como vc disse, até os escravos eram batizados. O que corrobora muito mais para o pedobatismo, e mas teremos (ou teriamos), também, o conjugebatismo e o empregadobatismo. Assim é melhor deixar o argumento historico de lado. (rsrsrs)

    Por fim, lamento a idéia de calunia proposta, embora seja verdade em algum nível, claramente não é o seu caso. Sei que vc não está interessado em prosilitismo e que hoje, graças a Deus, essas questões já são tratadas como secundárias, basta ver que o batismo da IPB,em geral, é aceito.

    Na paz, naquele em que somos batizados, quer seja simbolizado quando criança, quer seja somente quando adulto.

    Esli Soares

    p.s.: embora seja possível um acordo tácito, vigente hoje na maioria das igreja, creio que pela razões já expostas o pedobatismo é a maneira certa de se proceder com os filhos dos crentes.

    ResponderExcluir
  18. Calvino na conclusão do capítulo sobre batismo infantil nas Institutas da Religião Cristã diz:
    “Eis aqui por que Satanás se esforça tanto em privar nossas criaturas dos benefícios do batismo; Sua finalidade é que se esquecermos de testificar que o Senhor tem ordenado para confirma-nos as graças que ele que nos conceder, pouco a pouco vamos nos esquecendo das promessas que nos fez a respeito disto. De onde não só nasceria uma ímpia ingratidão para com a misericórdia de Deus, mas também a negligencia de ensinarmos nossos filhos no temor do Senhor, e na disciplina da Lei e no conhecimento do Evangelho. Porque não é pequeno estimulo sabermos que educá-los na verdadeira piedade e obediência a Deus saber que desde seu nascimento foram recebidos no Senhor e em sue povo, fazendo-os membros de sua igreja.”

    ResponderExcluir
  19. Calvino mostra a importância bíblica de aplicarmos o batismo infantil em obediência a vontade revelada de Deus, inclusive sobre pena de sermos punidos se desobedecermos a essa ordenança ou menosprezar esse sacramento. É bem dito por Calvino que aqueles que são batizados têm privilégios. Dentre os quais de serem parte do povo de Deus, quando se tornarem adultos tem ocasião de voltar-se para Deus em gratidão por terem sido aceito desde a mais tenra idade.Os cristãos e os israelitas participam dos benefícios do mesmo pacto. McGrath, comentando acerca da posição de Calvino sobre batismo infantil diz:
    “Se as crianças cristãs não puderem ser batizadas, elas ficaram em desvantagem em relação às crianças judias, as quais eram pública e externamente seladas e introduzidas na comunidade da aliança através da circuncisão (Institutas da Religião Cristã, IV.xvi.6). Portanto, Calvino argumenta que as crianças deveriam ser batizadas, não lhes sendo negados os benefícios daí decorrentes.” E para as crianças o valor é descrito no livro IV, capítulo XVI, 9, das Institutas:
    “O proveito que os filhos recebem é que a igreja reconhecem-nos como membros seus, os tem em maior estima. E eles, ao se tornarem maiores tem ocasião de voltar-se mais ao serviço de Deus, que se manifestou como Pai antes mesmo que tivessem entendimento para compreende-lo, recebendo-os no número dos seus desde o seio de sua mãe .”

    Calvino entende que é grande desprezo deixarmos de batizar nossos filhos. “Mas se vemos que nossos filhos são batizados pela autoridade de Deus, guardemos-nos mui bem de fazermos uma injuria reprovando sua disposição”. Calvino também afirma que seremos castigados se menosprezarmos este sacramento. “... devemos sempre temer que se menosprezarmos selar nossos filhos com o sinal do pacto, o Senhor nos castigue por isso (Gn 17.14); por que ao fazê-lo assim renunciamos ao beneficio e a graça que nos oferece.”

    ResponderExcluir
  20. Rev. Carlos,

    Seja bem vindo ao Cinco Solas.

    O irmão citou Calvino:

    “Eis aqui por que Satanás se esforça tanto em privar nossas criaturas dos benefícios do batismo..."

    Estaria Calvino sugerindo que os batistas estão a serviço de Satanás? Hummm

    "Sua finalidade é que se esquecermos de testificar que o Senhor tem ordenado para confirma-nos as graças que ele que nos conceder, pouco a pouco vamos nos esquecendo das promessas que nos fez a respeito disto. De onde não só nasceria uma ímpia ingratidão para com a misericórdia de Deus,"

    Não creio que entre os credobatistas exista algo como "ímpia ingratidão para com a misericórdia de Deus".

    "mas também a negligencia de ensinarmos nossos filhos no temor do Senhor, e na disciplina da Lei e no conhecimento do Evangelho. Porque não é pequeno estimulo sabermos que educá-los na verdadeira piedade e obediência a Deus saber que desde seu nascimento foram recebidos no Senhor e em sue povo, fazendo-os membros de sua igreja.”

    Parece-me que os que praticam o batismo de crentes se sentem estimulados a criar seus filhos na disciplina e temor do Senhor, procurando levá-los à fé e então serem batizados.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  21. Querido Clóvis,
    quero afirmar que todos que deixam de cumprir aquilo que Deus prescreveu como lei estão pecando, pode ser batista, presbiteriano, metodista ou outros.
    Todos que desviam os olhos desta importane doutrina, me refiro a Doutrina da Aliança, pedobaatismo é um aspecto, estão a serviço do reino parasita.

    Gostaria de sugerir a leitura de material na linha da teologia da Alinça, Calvino, Hodge, Hoeskema, Hanko, e tantos outros.

    porém nenhum nome que defenda a boa teologia Aliancista ou reformada, pode deixar de defender o batismo infantil, até aqueles que considero semi-reformados, nomes até conhecidos da teologia nunca ousaram escrever contra a teologia do batismo infantil. Gostaria que me fosse indicado bons nomes da teologia reformada que combatam de forma aberta esse sacramento.
    Em Cristo,
    Rev Carlos Jr

    ResponderExcluir
  22. Prezado Pr. Carlos,

    Concordo que descumprir a lei é pecado. Porém, ainda não vi demonstrado, biblicamente, que o batismo infantil é uma prescrição divina. Eu classifiquei a doutrina da aliança e o batismo como sucedâneo da circuncisão como sucedâneo da circuncisão como teológicos e não bíblicos, pois o seu desenvolvimento foi tardio, data da Reforma.

    Quanto a doutrina da aliança, eu creio nela, mas não vejo o batismo infantil como necessário a ela. E agradeço a indicação de leitura, as Institutas tenho aqui e a TS de Hodge também. Já os outros dois não estão ao meu alcance no momento.

    Quanto a teólogos que são aliancistas sem serem pedobatistas, tenho a impressão de que se eu citá-los não serão "bons nomes".

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  23. Catecismo de Heidelberg
    p.74: As crianças devem ser batizadas?
    r. Devem, sim, porque tanto as crianças como os adultos pertecem à aliança de Deus e à sua igreja.
    Também a elas como aos adultos são prometidos, no sangue de Cristo, a salvação do pecado e o Espírito Santo que produz a fé.
    Por isso as crianças, pelo batismo como sinal da aliança, devem ser incorporadas à igreja cristã e distinguidas dos filhos dos incrédulos. Na época do Antigo Testamento, se fazia isso pela circuncisão. No Novo Testamento, foi instituido o batismo no lugar da circuncisão.
    Gn 17.7; Sl 22.10; Is 44.1-3; Mt 19.14; At 10.47; Gn 17.14; Cl 2.11-12.

    ResponderExcluir
  24. Geralmente se levanta que o Batismo adulto considera a fé da pessoa batizada. porém como é possivel saber se essa fé é verdadeira, é grande o número de ímpios recebidos na igreja, falsas conversões, interreseiros, agradadores e outros milhares de motivos que se apresentam. Alguns são recebidos em um domingo e no outro estã ofora da igreja. Parece que p principio de verificar a fé é nulo, pois não existe um "espiritrometro" capaz de medir se a fé é verdadeira ou falsa.
    Quando aplicamos o batismo infantil aplicamos na esperança e sabendo que quem chama é Deus, se eleitos serão chamados se não eleitos para a vida eterna serão deixados de fora da igreja. Batizamos consoante a fé dos pais, e da aliança estabelecida com Deus.
    O batism onã osignifica que estajam salvos pois não cremos como os católicos Roamnos que acreditam que o próprio batismo salva, mas cremos que os leitos separados serão salvos mediante o poder do evangelho em Cristo.

    ResponderExcluir
  25. Caro Pr. Carlos,

    Durante o ano passado, em todos os domingos, o Cinco Solas publicou o Catecismo de Heidelberg. Mas fiz uma ressalva neste artigo.

    Li todas as passagens referenciadas (ei-las abaixo), mas em nenhuma dela vi o batismo infantil sendo prescrito, conforme o irmão disse que era.

    Eu creio que se pode ser pedobatista baseado em argumentos teológicos, mas afirmar que tal prática é prescrita na Bíblia é levar o argumento além de onde ele vai sozinho.

    Em Cristo,

    Clóvis

    "E estabelecerei a minha aliança entre mim e ti e a tua descendência depois de ti em suas gerações, por aliança perpétua, para te ser a ti por Deus, e à tua descendência depois de ti. Gn 17:7

    "Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe." Sl 22:10

    "Agora, pois, ouve, ó Jacó, servo meu, e tu, ó Israel, a quem escolhi. Assim diz o SENHOR que te criou e te formou desde o ventre, e que te ajudará: Não temas, ó Jacó, servo meu, e tu, Jesurum, a quem escolhi. Porque derramarei água sobre o sedento, e rios sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes." Is 44:1-4

    "Jesus, porém, disse: Deixai os meninos, e não os estorveis de vir a mim; porque dos tais é o reino dos céus." Mt 19:14

    "Respondeu, então, Pedro: Pode alguém porventura recusar a água, para que não sejam batizados estes, que também receberam como nós o Espírito Santo?" At 10:47

    "E o homem incircunciso, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada do seu povo; quebrou a minha aliança." Gn 17:14

    "E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade; No qual também estais circuncidados com a circuncisão não feita por mão no despojo do corpo dos pecados da carne, a circuncisão de Cristo" Cl 2:10-11

    ResponderExcluir
  26. Prezado Pr. Carlos,

    O batismo de crentes se faz mediante confissão pública de fé. É evidente que tal confissão pode ser hipócrita, mas não nos cabe invadir o coração de ninguém, cremos que quem confessa é crente, a menos que suas obras demosntrem flagrantemente o contrário. Em apoio a esta prática temos as prescrições bíblias e os exemplos registrados nas Escrituras.

    Parece-me que o irmão defende a prática indiscriminada de batismo de crianças, e não apenas de pais crentes. Pois se se batiza baseado no fato de que os eleitos serão salvos e os não eleitos se perderão, então por que batizar apenas filhos de crentes, se entre estes há os que não são eleitos e entre os não eleitos há filhos que o são?

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  27. Querido Clóvis acredito que todos os filhos de pais crentes devem ser batizados. O entendimento dos textos bíblicos só será possivel mediante entendimento da doutrina da aliança. visite: http://www.protestantecalvinista.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  28. Não acho q nem um nem o outro estejam errados, essas são no meu ponto de vista discursöes eternas. O batismo infantil não interfere no plano de Deus de almas serem salvas, nem o desejo da espera , como acreditam os batista, tb não,.
    Não percebo onde isso pode chegar...Vamos nos engajar em uma controvèrsia necessària...como citado em cima.

    Paulo

    ResponderExcluir
  29. Paulo,

    Seja bem vindo.

    Há uma discordância entre nós, credobatistas e pedobatistas. Ela tem pode e deve ser discutida, pois mesmo que não se convença um ao outro, podemos compreender melhor a posição da outra parte.

    Falo por mim. Escrever sobre o assunto me levou a compreender melhor a posição dos irmãos que praticam o batismo infantil. Percebi, por exemplo, que não são apenas perpetuadores acríticos de uma tradição. Continuo discordando e achando que seus argumentos são frágeis, pois parece-me que é estruturada para justificar uma prática e não que a prática é derivada de uma doutrina extraída das Escrituras.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  30. Irmão Paulo, como pedobatista percebo que a posição batista é fraca pois parece que é estruturada para justificar a abandono da aliança familiar tão clara na bíblia.
    Mas respeito essa posição e aprendi a ver como eles veem, muito mal, mas assim eles pensam.

    ResponderExcluir
  31. VISITE http://www.protestantecalvinista.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  32. Foge um pouco do tema, mas há uma ligação, pois trata-se de batismo.
    Há uma passaem bíblica que fala de batismo de mortos, que os mormons utilizam. Está nas escrituras. Devemos batizar nossos parentes mortos?
    Carlos Roberto

    ResponderExcluir
  33. Não devemos batizar parentes mortos. A referência (se a aprovar) de Paulo é à prática de batizar pelos/em lugar dos mortos. É uma passagem difícil que fazia sentido para os destinatários originais, mas que para nós é praticamente impossível chegar a uma interpretação convinvente.

    Basta saber que não é normativo para a igreja.

    Em Cristo,

    Clóvis

    PS.: Seja muito bem vindo!

    ResponderExcluir
  34. Nós não batizamos as crianças porque elas são salvas, pois, ninguém pode ter absoluta certeza disto, do mesmo modo ninguém pode ter a mesma certeza quanto aos adultos. A base do batismo não é absoluta certeza da regeneração tanto de adultos como de crianças. Aqueles que vem ao batismo tanto adultos quanto crianças (filhos de crentes) são recebidos pelo batismo porque são tidos pela sua profissão de fé como membros do reino de Deus. Claro que no caso das crianças elas são recebidas pelo compromisso de fé dos pais. Dainte disso é bom esclarecer que nem todos que estão dentro do reino ou do pacto estão salvos, um exemplo classico disso é o de Judas, chamado para o Apostolado, mas não para salvação. Como tal experimentou os dons de Deus, recebeu os sinais e e promessas da aliança sem contudo receber a salvação.
    As crianças do Antigo testamento eram obrigatoriamente incluidas no pacto pelo sinal da circuncisão. Se houvesse alguém na igreja veterotestamentária que não recebesse a circuncisão deveria ser eliminado. Este princípio permance, Deus por meio do Batismo infantil nos obriga a batizar nossos filhos porque este pertenecem ao Reino. Basta quanto a isso as palavras de Jesus: "dos tais é o reino dos céus" Ora, se o reino que é maior do que o sinal pertence-lhes o que dizer então do mero sinal?
    Isso é muito importante, pois, quando não batizamos nosso filhos, nós os deixamos fora da igreja visível, pois, todos nós sabemos que este é o sinal de entrada na igreja visivel.

    ResponderExcluir
  35. http://clodoaldobrunet.blogspot.com/,

    Entendí sua argumentação, mas falta você provar que a circuncisão da nova aliança é o batismo.

    ResponderExcluir
  36. Neto meu irmão 'amado batista' , se vc entendeu a argumentação dele, então nem precisa provar que a batismo é uma correspondencia da circuncisão.
    Vc terá que deixar as crianças fora da igreja visivel...
    De que reino é os filhos dos batistas? Nem da igreja, nem do mundo...

    ResponderExcluir
  37. Romanos 4.11 afirma que Abrão recebeu o selo da fé, a circuncisão. Então depois colocou esse selo da fé em seu filho, que não expressou a sua fé.
    Abraão não era batista.
    Lamento, mas o batismo infantil é tão lógico quanto o Domingo. Por isso, é uma necessiade lógica que os batistas tornem-se dispensacionalistas. os batistas que assim pensam, adotam o dispensacionalismo, são mais lógicos. Mas é melhor ser incoerente batista e reformado do que batista coerente dispensacionalista.
    te amo meu irmão, mas uma hora ou outra vc encotra o Senhor na estalagem em caminho do Egito...

    ResponderExcluir
  38. Amado Luciano,

    "Amado Batista" foi de doer hein? hahahahahaha

    vamos lá:
    Eu entendi a argumentação dele, se a pressuposição de que o batismo é a "nova" circuncisão estiver correta; mas como eu creio que não está, logo o a conclusão não é válida. Só porque eu entendí, não significa que concordo com ela e nem que a acho válida.

    Não creio que terei que "deixar as crianças fora da igreja visivel", pelo menos os filhos de crentes, já que só pelo fato delas serem ensinadas no Evangelho elas já podem ser consideradas da igreja da terra.

    Realmente "Romanos 4.11 afirma que Abrão recebeu o selo da fé, a circuncisão." Mas isso não significa que a mesma prática é válida até hoje.
    Aliás, é ao contrário. Deus já prometia que na nova aliança o sinal da fé não seria feito por mãos (Dt 30.6 entre muitos outros). Na Nova, Paulo reafirma isso (Cl 2 11-13).

    Ficarei com uma frase do Clóvis que ilustra perfeitamente o porque o batismo não é a nova circuncisão:
    "O correspondente neotestamentário da circuncisão não é o batismo, e sim o novo nascimento. "A circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne" (Fp 3:3).


    E não preciso ser dispensacionalista para crer assim =)

    ResponderExcluir
  39. Neto, o 'amado batista' foi do fundo do coração (rsrsrs)...

    ResponderExcluir
  40. Neto e Luciano,

    “No hospital, na sala de cirurgia, pela vidraça eu via, você morrendo a sorrir. E o seu sorriso, aos poucos se desfazendo, então vi você morrendo, sem poder me despedir.”

    Breguice pega!!!

    Clóvis

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. KKKKKKKKKKKKKKK... Eca!

      Ops! Perdão aos fãs do Amado. Não imagino o Clóvis escutando-o.

      Excluir
  41. Clóvis,

    Na hora de responder o Luciano eu tentei lembrar DESSA MÚSICA...
    Minha mãe era fanzoca dele, e quando a gente escutava essa música eu chorava imaginando a cena da minha esposa falecendo dando a vida ao meu filho...
    (Não chorem...)

    PS: Acho que sou de uma raça em extinção: "Tulipnista"/Batista/não-dispensacionalista...

    Abração.

    ResponderExcluir
  42. Neto e Clóvis, pior foi eu tentando lembrar uma musica que diz algo como 'os forasteiros da noite' algo assim...deve ser vcs 'amados batistas'...
    pelo menos agente toma um guaraná num boteco,...é tanta briga aqui.

    ResponderExcluir
  43. Mas Neto, eu me sinto desarmado ao defender o batismo infantil no assunto lógico, a santa ceia. Aqui nós presbiterianos nos tornamos batistas. Não tem jeito. (temos outras incoerencias, como apenas pastor impetrar a benção e batizar, já cansei de falar isso para o Rv Roberto Brasileiro e unica resposta dele, e de outros é, 'uma questão de organização'. )
    Porém, confesso. os metodistas são mais bíblicos do que nós nesse assunto.
    Neto, minha filha tem 5 anos e chegou no pastor esse ano disse: Pastor eu já sei o que significa o pão da santa ceia, é para lembar do corpo de Jesus, e o vinho é para lembrar do sangue...que jesus morreu por nós, agora posso participar?'
    Bem , admito, minha defesa pedobatista é destruida por nós mesmo.
    Seja batista convicto, incoerente, e eu pedobatista incoerente.

    ResponderExcluir
  44. Luciano,

    Resumidamente minha opinião é:
    Eu nunca achei pedobatismo errado, nem pecado. Eu compreendo e admiro a posição dos pais de passarem a fé em Cristo à família como uma herança de fé.
    O erro pra mim é dizer que ele é ordenança bíblica.

    Um abração, e vamos marcar o guaraná (Pra mim é Dolly!)

    ResponderExcluir
  45. Pelo amor de Deus, não escreve mais os textos nessa cor dá um trabalho para ler, acaba desmotivando a leitura

    ResponderExcluir
  46. Anonimo,

    Peço que tenha um pouco de paciência. Estou tentando resolver esse problema.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  47. Ola queridos,
    graça e paz

    Bem,
    na minha opinião. Não importa a idade da pessoa, seja ela criança ou adulta, pra ser batizada.

    O que importa é que a pessoa tenha a consciência de que se identifique pela fé com o sacrifício do Senhor Jesus Cristo na cruz poderá ser batizado.

    Eu não me batizei adulto,
    me batizei aos 12 anos de idade. E eu sabia o que estava fazendo, qual era propósito e o significado.

    Por isso então que discordo batizar recém-nascidos. A criança não sabe o que está acontecendo em volta. Não sabe nem o seu próprio nome. Como poderá ser batizado?

    ResponderExcluir
  48. A eterna briga pelo batismo infantil. Receber a criança na igreja através do selo do batismo(simbolo) e ela poderá confessar mais tarde se ela deseja permanecer na fé de seus pais. O batismo simboliza um novo nascimento de quem estava em pecado. Alguns dirão: criança com pecado? Sim, Nasci em pecado e em pecado fui concebido. portanto nada impede de batizarmos crianças como selo pois isso não garante se ela é salva ou não, da mesma forma que um adulto mesmo se batizando depois de estudar a Palavra não poderemos ter a certeza se ele é salvo.

    ResponderExcluir
  49. A paz de Cristo amados,

    Sou credobatista e leciono para classe de novos convertidos com vistas ao batismo. Na minha formação aprendi que o batismo representa o sepultamento da velha natureza e o nascimento do novo homem em cristo Jesus. Conforme: (Cl 2:12,13)"Nele também foste circuncidados, não por intermédio de mãos, MAS NO DESPOJAMENTO DO CORPO DA CARNE, que é a circuncisão de Cristo; tendo sido SEPULTADOS JUNTAMENTE COM ELE NO BATISMO, no qual foste RESSUCITADOS MEDIANTE A FÉ NO PODER DE DEUS, que o ressuscitou dos mortos". Por este texto entendo que o batismo deve ser realizado mediante a fé do batizando no sacrifício expiatório e na ressurreição do nosso Senhor Jesus.

    No amor do Pai.

    ResponderExcluir
  50. O ato físico do batismo representa simbolicamente os passos da conversão. Primeiramente, somos mergulhados na água, somos imersos completamente, da mesma forma que uma pessoa que morre é enterrada e coberta com terra. Isso mostra que estamos desejosos de morrer com Cristo e enterrar nosso velho estilo de vida. O batismo é um funeral, uma despedida formal de uma existência na qual o pecado nos dominava. Então, somos erguidos da água pela pessoa que está nos batizando, da mesma forma que uma pessoa é ressuscitada do túmulo. Isso mostra que somos uma "nova criação", que recebemos a "nova vida" prometida por Deus.
    Apenas o batismo por imersão pode demonstrar precisamente o verdadeiro significado do batismo: morte, sepultamento e renascimento. O "batismo por aspersão" não simboliza adequadamente o novo nascimento.

    O que realmente significa morrer com Cristo?

    "Pois sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com Ele, para que o corpo do pecado seja destruído ['seja deixado sem poder', e não mais sejamos escravos do pecado". Romanos 6:6

    Penso que um ato de tal importãncia e profundidade deva partir de uma escolha pessoal, coisa que infante não pode fazer.

    (No grego clássico, salvo raras exceções, a palavra baptizo tem o sentido de imergir ou submergir e é esse o seu significado etimológico).

    No amor do Pai.

    ResponderExcluir
  51. Entendo então que o batismo e o símbolo do novo nascimento, da conversão a Cristo, ato este que depende de juízo próprio.

    No amor do Pai.

    ResponderExcluir
  52. Juízo próprio, significando desição pessoal. Não com relação a salvação, mas ao batismo.

    No amor do Pai.

    ResponderExcluir
  53. Boa noite,

    Fiz os comentários do dia 07 de junho e gostaria de saber: Vc só responde as postagens dos temas recentes?
    É que descobri o blog a pouco tempo e gostei muito. Estou tentando me aprofundar na doutrina reformada, por isso estou lendo todos os assuntos do blog, até os antigos, para buscar melhor compreenção de todos os temas que envolvem a doutrina reformada. Fiquei aquardando alguma resposta dos comentários que fiz, mas até agora nada.

    Em Cristo,
    sônia

    ResponderExcluir
  54. Sonia,

    Obrigado por visitar o Cinco Solas e por seus comentários.

    Eu procuro responder a todos os comentários, mesmo se feitos em postagens bastante antigas. O que ocorre é que no momento estou com o tempo muito apertado, em função do meu trabalho, e por isso não estou podendo responder com a brevidade que os leitores merecem.

    Mas se for paciente comigo, irei respondendo na medida do possível.

    Deus te abençoe.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  55. Sonia (é você?),

    Você disse:

    "Na minha formação aprendi que o batismo representa o sepultamento da velha natureza e o nascimento do novo homem em cristo Jesus. Conforme: (Cl 2:12,13)"

    Sobre essa passagem, recomendo a leitura do artigo "Batismo e Circuncisão em Cl 2:11-12", se ainda não o leu.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  56. Obrigada por me responder. Conte com minha paciência, rsrsrs...

    Vou ler o artigo e depois comento.

    Aproveito pra dizer que agora não consigo ligar o computador e não vir ao 5 solas. O que mais me atraiu nesse blog foi a forma como vc coloca a visão reformada; equilibara, inteligente e amorosa, expondo a verdade sem afrontas.
    Há líderes reformados que "pecam" contra o amor na defesa da visão reformada, especialmente contra nós pentecostais.

    Apartir de agora vou me identificar como: Soninha Buiatti, ok.

    Em Cristo,
    Soninha Buiatti.

    ResponderExcluir
  57. Soninha,

    Obrigado por suas palavras, fico muito feliz e dou toda glória a Deus. Às vezes "perco as estribeiras" também, não por necessidade, mas por causa da natureza humana. Nessas horas, preciso de um puxão de orelhas para voltar a expor a verdade em amor. Conto contigo para isso.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  58. Ok, Pode contar com isso.

    Soninha Buiatti.

    ResponderExcluir
  59. Batismo é rito de introdução na Igreja visível e graça é a maneira de Deus salvar o pecador eleito em Cristo e o crente tem isto revelado a ele mediante a fé. Os pedobatistas obedecem as Escrituras Sagradas que colocam na aliança todos os seus filhos na confiança que sejam eles eleitos de Deus para a salvação. Os credobatista nesta doutrina desobedecem as Escrituras Sagradas.

    ResponderExcluir
  60. Caro anônimo,

    Paz seja contigo.

    Para que se obedeça ou desobedeça a Escritura é necessário que haja um mandamento nela. Sendo assim, pergunto:

    Onde está o mandamento de batizar nossos filhos na esperança que sejam eleitos para a salvação?

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  61. Clóvis,

    Para entender o pedobatismo tem de ser aliancista. É uma longa discussão, porém, para mim é muito claro o paralelo entre o Antigo e Novo Testamento, isto é, entre a Circuncisão e o Batismo. Não podemos entender o novo testamento, sem o antigo. Ambos tem um fim comum: Cristo. Qual era o rito que identificava a pessoa como "povo de Deus" no AT? A circuncisão. E no NT? O batismo. Pense nisso.

    Mas, verdadeiramente, respeito a sua opinião.

    Soli Deo Gloria.

    ResponderExcluir
  62. Bem, se o batismo em águas "substituiu" a circuncisão, o correto então seria batizar somente crianças do sexo masculino ao oitavo dia do seu nascimento.

    ResponderExcluir
  63. Marcelo,

    Eu sou aliancista. Mesmo assim, não vejo o batismo como sucedâneo da circuncisão.

    Se desejar, por favor leia meu artigo "Batismo e Circuncisão em Cl 2:11".

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  64. Creio que o batismo de crianças não pode ser feito pelo simples fato de que, uma criança, por mais que ela seja temente a Deus e engajada na igreja, não sabe ainda o certo e o errado, mesmo sabendo que Deus é Deus, mas ainda não tem plena convicção de sua atitude, pois, é uma criança e normalmente criança não em juízo =)

    Eu fui batizado com 15 anos e sinceramente, se eu fosse batizado depois dos meus 30 anos seria o mais certo, até porque só agora me considero realmente convertido ... incrível para alguns, porém, mesmo sendo filho de crentes, pais com cargos de responsabilidade na igreja, eu era tímido (pra não falar vergonha) de falar que era crente e piorou falar de Deus para alguem, mas, graças ao meu bom Deus que minhas atitudes sempre corretas foram exemplo para muitos amigos.

    Mas me arrependo de não ter falado de Deus para alguns amigos que morreram e alegre por outros que se converteram antes de morrer e ficar sabendo que largaram o alcool ou drogas por causa das minhas atitudes.

    E Pr Carlos, o indivíduo mentindo sobre sua conversão é com ele e Deus, porque graças a Ele a salvação é individual.

    Abraço!

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.