A tese arminiana e a calvinista sobre perseverança dos santos

A insistente tese do Arminianismo é de que o ser humano ainda é capaz de exercer livremente uma capacidade que, de forma auto-determinante, define o seu destino. Esta capacidade é chamada “livre arbítrio”. Segundo os Arminianos, pelo simples exercício do seu livre arbítrio, o ser humano determina o seu estado espiritual. Determina rejeitar e frustrar, ou aceitar o soberano propósito de Deus. Deus depende do livre arbítrio humano para poder agir. Logo, quando este pressuposto é aplicado à doutrina da Perseverança dos Santos, percebemos que os Arminianos são levados, por coerência, a negar a permanência na graça. Pois, se o ser humano é capaz, de modo auto-determinante, de resistir ou permitir-se ser influenciado pela graça, também pode ser capaz de mesmo depois de tê-la recebido, novamente desprezá-la, e assim decair da graça, e perder total e finalmente a sua salvação.
 
O pressuposto orientador do Calvinismo é que Deus é absolutamente soberano. Aplicando este princípio a doutrina da Perseverança dos Santos, entendemos que eles permanecem em estado de graça, porque Deus os preserva. Deus preserva imutável o seu eterno propósito (Rm 8:28), iniciando na predestinação e findando na glorificação (Rm 8:30). Pois “aquele que começou a boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus” (Fp 1:6).

 

29 comentários:

  1. Onde eu assino?

    "E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; PORQUE TEU É O REINO, E O PODER, E A GLÓRIA, PARA SEMPRE. Amém." Mt 6.13

    ResponderExcluir
  2. UHHH! Neto,

    Pegou pesado... com essa citação do "pai nosso",

    Eu também assino em baixo.

    Esli Soares

    ResponderExcluir
  3. Esli? Dinha? WHAT???

    Quem és tu?

    ResponderExcluir
  4. Neto... num cumplica

    A Dinha (miha mulher disse/escreveu) eu ditei e assinei... rsrsrsrs

    Esli Soares

    ResponderExcluir
  5. Clóvis, Neto, Helder, PCA etc...

    Fora do assunto, mas bastante pertinente...

    Vamos nos encontrar na segunda, no Burger king do Patio Brasil, acho que segunda lá é mais vazio e podemos bater um bom papo, e como o refri e free, vale a pena... e aí vamos lá pelas 19h?

    Esli Soares

    p.s.: Neto se precisar de carona, vamos comigo... de metrô - rsrsrs

    ResponderExcluir
  6. Quero assinar também!!! rsrs. Onde assino???

    O que Deus faz com o homem é basicamente o que Ele fez com Paulo: caiu por terra, cegou seus olhos durante três dias e abriu-lhes novamente. Deus fez tudo isso sem pedir permissão a Paulo. O próprio Paulo sequer esboçou uma reação contrária.

    Paulo foi simplesmente e absolutamente passivo na transformação da sua vida, operada tão somente e unicamente pelo Espírito de Deus, sem ajuda de Paulo ou até mesmo à força, contra a sua vontade!

    É exatamente isso que Deus faz com o pecador.

    ResponderExcluir
  7. Heitor,

    Parabéns, excelente comentário! Realmente o que houve com Paulo comprova enfaticamente que Deus não necessita da "autorização" humana. Ele simplesmente faz. E quando Ele quer Ele faz. E quando Ele faz ninguém resiste à Sua vontade.

    Dinha,

    Tudo bem? Eu não conhecia esse seu apelido Esli! Hahahaha.

    Abraços a todos!

    Ricardo

    ResponderExcluir
  8. Heitor e demais,

    Mas e o livre-arbítrio de Paulo? Deus violentou a sua vontade? Que Deus injusto!!!

    Clóvis

    ResponderExcluir
  9. Penso que alguns estão indo um pouco além do que diz o Calvinismo. Deus não traz ninguém para si à força, contra a vontade do pecador. Isto é o que, na teoria, dizem os calvinistas.

    Mas o que a experiência de Paulo pode provar? Não muita coisa. Pelo menos não tanto quanto vocês calvinistas gostariam.

    Acredito que todos concordamos que Deus agiu com Saulo o fariseu de uma maneira singular. Ninguém geralmente ouve a voz de Jesus, recebe um relampejo de luz na cara que, por conta disso, fica cego por 3 dias quando de sua conversão. Nem geralmente somos comidos por um grande peixe para que, só assim, possamos obedecer à voz de Deus. Eu diria que esses exemplos são exceções à regra e não que eles confirmam a regra.

    Eu ainda diria que Paulo não foi levado irresistivelmente à fé. As Escrituras nada nos dizem sobre se a conversão de Paulo foi irresistível ou não. Paulo não resistiu, mas isso é tudo que temos e nada mais do que isso. Mas creio que a evidência dada a Paulo foi tão grande que ele dificilmente resistiria. E vou além: se Paulo resistisse, Deus derrubaria sua resistência, mas sempre na base do convencimento e não da força.

    Ainda temos mais um coisa que, até então, foi desconsiderada. Paulo foi eleito para ser apóstolo dos gentios. Deus não estava convertendo mais um entre tantos outros cristãos, ele estava convertendo alguém que foi escolhido para levar sua palavra além das fronteiras judaicas. Era uma eleição para serviço, e eu, como arminiano, poderia sem problema algum concordar que ele foi eleito incondicionalmente, ou até mesmo que foi levado irresistivelmente à fé, mas repito, a conversão de Paulo não revela o modus oporandi de Deus com todos os crentes. Foi um caso único que não pode ser generalizado se não houver evidências para tal.

    ResponderExcluir
  10. Deus age como quer (vide topo do coment)...

    Deus não só arrasta (Jo 6;44) o pecador como "suplanta a sua vontade"(Fl 2;13). O que foi feito em Paulo é semelhante ao que é feito em todos, mas ou menos dramático (Jo 15;16).

    De veras Deus põem Sua vontade no coração do Eleito que então passa a querer o que Deus quer.

    Esse é o âmago das afirmações calvinistas; pois é Dele, para Ele, e por meio Dele...

    Na paz daquele que nos escolheu antes da fundação do mundo.
    Esli Soares

    ResponderExcluir
  11. Deixa eu fazer uns comentários adicionais. Antes disso, quero corrigir uma palavra que disse no comentário anterior. Não é modus oporandi mas modus operandi.

    Bem, há quem acredita, e possui boas razões para isso, que Paulo NÃO se converteu na estrada para Damasco mas em Damasco. Deus, portanto, não fez com Paulo diferentemente do que faz com os demais cristãos, ou seja, Paulo não foi convertido à parte da pregação do Evangelho. Quem teria se encarregado dessa parte seria Ananias (At 9.10-17). Nesse caso, a conversão de Paulo nem ao menos seria uma exceção à regra, seria a regra.

    Há também um fato que não podemos deixar de mencionar. Diante de Agripa, Paulo declara:

    "Por isso, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial" (At 26.19)

    Concluindo, nem Lucas nem o próprio Paulo fala de sua conversão como sendo irresistível. Como disse no comentário anterior, a única coisa que temos de concreto nessa história é que Paulo não foi desobediente à visão celestial. Se ele poderia ter sido (embora isso parece estar implícito em At 26.19) ou se Deus o levou irresistivelmente à fé, as Escrituras não nos dizem, e seria precipitado de nossa parte tirar esta conclusão.

    ResponderExcluir
  12. PCA...

    Sei não em... Paulo foi convertido com um fim específico, será que ele poderia dizer não???

    Esli Soares

    ResponderExcluir
  13. Esli,

    Aí entraria o que disse anteriormente, "se Paulo resistisse, Deus derrubaria sua resistência".

    ResponderExcluir
  14. PCA...


    Ou seja, a Graça é Irresitível...rsrsrsrs

    Na Paz, meu irmão.

    Esli Soares

    p.s.: estamos tentando marcar um encontro com o Clóvis na semana que vem, se vc puder ir, já que vc está em Brasília...

    ResponderExcluir
  15. Esli,

    Só estou aguardando baterem o martelo sobre o dia, hora e local. Não sendo na pastelaria da rodoviária, estou dentro. ;-)

    Pampa, Burger King, Habib´s, como foi sugerido aqui, são excelentes locais.

    Se quiserem trocar telefones, meu email é pca.brz@gmail.com

    ResponderExcluir
  16. É o Clóvis que decide... é aí segunda ou terça, Clóvis?

    ResponderExcluir
  17. PCA,

    Qual o problema com a Visçosa??? (rs)

    ResponderExcluir
  18. Pô, estive em Goiânia e Anápolis semana passada. Quase combinei com o Helder de nos encontrarmos. Seria legal conhecer pessoalmente meus confrades e amigos blogueiros.
    Mas, enfim, haverá outras oportunidades. Inclusive para Brasília e, Clóvis, aqui em SP ou no PR!
    Abraços, no Senhor,
    Roberto

    ResponderExcluir
  19. Neto,

    "Qual o problema com a Visçosa???"

    Fora aquele óleo preto usado para fritar os pastéis que eles nunca trocam, o pastel de lá é tão gostoso que me faz superar o medo de parar no hospital no dia seguinte.

    Para falar a verdade, faz muito tempo que não vou lá. Não sei como está hoje.

    ResponderExcluir
  20. Pessoal,

    Não depende muito do Clóvis. De minha parte, está tudo pronto, bilhetes, etc. Porém estou aguardando uma confirmação do Ministério da Agricultura. Espero saber amanhã, se não a data será remarcada, possivelmente para abril.

    Mas sendo na semana do dia 29, para mim pode ser qualquer dia, inclusive mais de um dia, se alguns não puderem na segunda e outros não puderem na terça.

    Quanto ao lugar, onde escolherem para mim está ótimo.

    Em Cristo,

    Clóvis

    PS.: Enviarei meu telefone para seu email.

    ResponderExcluir
  21. Irmãos,

    estou no aguardo da confirmação do "Encontro Tremendo"! (rs)

    Eu tenho um Post-It que colei aqui no monitor na sexta feira escrito "Seg. Clóvis BK-19hs" Legenda: BK = Burguer King! rs

    Mas vou ter que jogar fora... =/

    Clóvis, tem alguma previsão de quando vem?


    PCA,
    Assim como dizia um amigo meu, a Visçosa é aquele tipo de lugar que deveria ter como Slogan: "Coma bem, passe mal" (muitos risos).

    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  22. Neto...

    Você é mesmo o odono da tal lanchonete que serve o "King Kong"...


    Roberto...

    Dá um pulhinho auqi em Brasília, venha visitar seus partidarios (Lula, Eloisa Helena, Chico Vigilante... rsrsrs)

    PCA...

    Você é sócio da Viscosa... digo Viçosa?

    Helder...

    A segunda que o Clóvis virá, e dia 29/3 vc vai poder ir?

    Clóvis...

    Se você não tem certeza que vem, nas custas do seu emprego... vem assim mesmo, seu horário de trabalho é flexível mesmo... rsrsrs

    Até mais, graça e paz...
    Esli Soares

    ResponderExcluir
  23. Esli,
    Rapaz, que turminha boa! Que blogueiros que nada, o negócio é visitar os vermelhos! rsrsrsrs
    Grande abraço, mano! No Senhor,
    Roberto

    ResponderExcluir
  24. Falando em vermelhos... e em off-topic...
    Estive numa loja de artigos esportivos (que é o mais perto que chego de qualquer esporte) e vi umas novas camisas da seleção (produtos oficiais, da patrocinadora). Tem uma preta com faixa amarela no peito e o escudo oficial que é muito bonita. E tem as tradicionais cores: azul (linda), verde (meio feinha) e amarelo (tradicional e emocionalmente linda). Mas tem também vermelho. Argh! O escudo do Brasil numa camisa vermelha ficou algo tenebroso. Daqui a pouco mudarão o escudo para uma estrela. Aí eu me mudo daqui!
    Grande abraço,
    Roberto

    ResponderExcluir
  25. Esli, Neto, Clóvis...

    Eu não posso segunda nenhuma, eu faço um curso preparatório todas as segundas, de 19h30 às 22h, pelo menos até outubro...

    Graça e paz do Senhor,

    Helder Nozima
    Barro nas mãos do Oleiro

    ResponderExcluir
  26. Esli,

    Essa frase "coma bem, passe mal" meu amigo citou justamente para descrever o King Kong! (rsrsrsrsrs)



    Helder,

    Esqueça o "curso prepatório" e "prepare-se para mudar o curso da sua vida" nesse Encontro Tremendo! (rs)

    Desculpe a propaganda tosca! rs
    Vamos esperar pra ver quando o Clóvis poderá vir. ;)

    ResponderExcluir
  27. "Pois, se o ser humano é capaz, de modo auto-determinante, de resistir ou permitir-se ser influenciado pela graça, também pode ser capaz de mesmo depois de tê-la recebido, novamente desprezá-la, e assim decair da graça, e perder total e finalmente a sua salvação."

    Se for assim, então até Calvino era arminiano:

    "Porque há um chamado universal com o qual Deus, mediante a pregação externa de Sua Palavra, chama e convida a si indistintamente a todos, incluindo aqueles a quem se propõe para cheiro de morte e matéria de maior condenação. Há outro particular — do qual não faz partícipes a maioria, senão só a seus fiéis — quando pela iluminação interior de seu Espírito faz que a Palavra pregada se arraigue em seus corações. Também às vezes faz partícipes dela àqueles a quem somente ilumina durante certo tempo, e depois, por assim merecê-la sua ingratidão, os desampara e os castiga com maior cegueira." (Institutas, III, 24, 8).

    Um abraço a todos e boa apetite,

    Rodrigo

    ResponderExcluir
  28. Rodrigo,
    Por que não lê o texto todo? Segue logo depois (Institutas, III, 24, 8):
    "Confesso que se deve entender esta referência daqueles que entram para a Igreja pela profissão de fé, mas de maneira alguma se revestem da santificação de Cristo. Tais desprezos, e dir-se-iam carcinomas, de sua Igreja, Deus não susterá perpetuamente, mas, segundo merece sua torpeza os lançará fora".
    "Em suma, quando os hipócritas, não diferentemente dos verdadeiros adoradores de Deus, se vangloriem da piedade, Cristo sentencia que serão, finalmente, lançados do lugar que indevidamente ocupam (...)".
    "E por isso, o Espírito exorta os fiéis à tolerância, de sorte que não suportem com má vontade que os ismaelitas se misturem com eles na Igreja, porquanto, tirada a máscara, afinal serão lançados fora com desprezo".
    NEle,
    Roberto

    ResponderExcluir
  29. Roberto,

    Belíssima citação! Veja só no que dá citar textos cuidadosamente "pinçados" como fez o arminiano logo acima... Sem esquecer que tal estratagema é espúrio e desonesto.

    Grande abraço,

    Ricardo

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.