Deus tira nossa parte do Livro da Vida?


E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro. Ap 22:19 ACF

Um leitor deste blog, após ler o artigo "O Livro da Vida foi escrito a lápis?", fez uma pergunta sobre o versículo acima, pois numa pregação em sua congregação pentecostal o mesmo foi utilizado "para afirmar que os nomes podem ser tirados do livro da vida". Prometi comentar a referida passagem e o faço agora.

Apocalipse 22:19 está envolto numa controvérsia textual. Em várias traduções, ao invés de Livro da Vida, a expressão utilizada é Árvore da Vida. É assim que a Almeida Revisada da Imprensa Bíblica do Brasil, as Revista e Corrigida e Revista e Atualizada da SBB, a versão da Sociedade Bíblica Britânica e a Nova Versão Internacional traduzem a expressão.

Qual a fonte dessa divergência? O Textus Receptus, que é seguido pela ACF, trás a expressão "απο βιβλου" enquanto que outros textos trazem "απο του ξυλου". O erro começou com Erasmo, quando para fornecer uma cópia em grego dos seis últimos versos de Apocalipse, os quais faltavam na única cópia que tinha em mãos, ele os traduziu para o grego a partir da Vulgata latina. A cópia da Vulgata que ele tinha também continha um erro de transmissão, pois um copista havia transcrito a palavra correta ligno (árvore) como libro (livro). O texto bizantino trás "ἀπὸ τοῦ ξύλου" e a edição de Screvenir do Textus Receptus, de 1881, indica esta expressão como variante. Para ler esses textos gregos recomendo o site Bible.Logos.

Reforça a tese de que a expressão correta é Árvore da Vida e não Livro da Vida a afirmação "Deus tirará a sua parte". Os crentes não são referidos como tendo parte no Livro da Vida e sim como tendo seus nomes inscritos lá. Árvore da Vida também é reforçada pelo verso 14, que diz "bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas".

Portanto, é muito improvável que Ap 22:19 esteja tratando do Livro da Vida, o argumento de que o crente pode ter seu nome apagado do Livro da Vida baseado nesse verso é muitíssimo frágil, tanto que deve ser colocado de lado.

Admitindo, portanto, que a expressão Livro da Vida é um erro de transmissão, resta ainda a pergunta: se alguém pode ter sua parte tirada da Árvore da Vida, significa que o crente pode perder a salvação? Creio que não. Deus conhece os corações e Ele sabe separar ignorância e imaturidade de rebelião. O que assegura o direito de participar da Árvore da Vida e entrar na Cidade Santa é lavar as vestiduras no sangue do Cordeiro (Ap 22:14).

2 comentários:

  1. Tem um texto do MacArthur que trata de um versículo semelhante: http://www.monergismo.com/textos/perseveranca/riscar--nomeap3-5_macarthur.pdf

    ResponderExcluir
  2. Irmãos,

    Estive viajando em auditoria na semana passada, praticamente sem tempo para acessar e comentar. Tentarei recuperar uma parte do tempo.

    Thiking, não lembro se já li o estudo do MacArthur sobre Ap 3.5, vou procurá-lo neste final de semana. Eu também comentei essa passagem aqui.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.