Como "me reformei"


Peguei-me pensando sobre o que escrever para o dia 31 de outubro, "dia santo" dos reformados. Poderia falar de Lutero, Calvino, Zwinglio, Meno Simons... mas resolvi falar de alguém menos importante: eu. O que eu tenho a ver com essas pessoas? Quase nada, além da admiração e o fato de que creio em quase tudo que eles creram. E como passei a crer nisso é do que trata este post.

Como alguns sabem, fui chamado numa igreja pentecostal, onde sirvo até hoje. Fato que causa certa estranheza tanto a calvinistas como a pentecostais. Como alguém pode ter um pé na rua Azuza e outro na distante Genebra?

Quando eu fui trazido à fé, aos 17 anos, ninguém me ensinou que existia um livre-arbítrio e nem que a salvação poderia ser perdida. Comecei a ler a Bíblia e a convicção formada por ela era de que ninguém poderia ir ao Senhor sozinho e que uma vez que fosse salvo, seria preservado pelo Senhor. Quando alguém disse que a salvação poderia ser perdida, pensei ter lido a Bíblia de forma errada.

Já quanto a eleição, eu lia na Bíblia mas não entendia muito bem, e assim não tinha uma posição a respeito. Foi quando me deparei com uma lição de escola dominical da CPAD em que o autor apresentava a explicação da eleição sob a ótica da fé antevista. A explicação me pareceu superficial e foi ali que pela primeira vez na vida ouvi falar em calvinismo. De forma negativa, é claro. Depois disso, li um artigo sobre a eleição, em que a posição defendida era a posição reformada, embora nela não aparecesse termos como calvinismo e arminianismo. A explicação não me agradou muito, mas me pareceu mais de acordo com o que eu tinha lido na Bíblia. Como tinha presenciado uma discussão entre dois pastores, na qual criticavam o calvinismo, senti um certo desconforto por tender para uma posição até então só criticada.

A essa altura eu era um calvinista de três pontos, embora nunca tivesse ouvido falar que havia pontos ou que eram cinco. Eu nunca tinha lido nada sobre a controvérsia entre arminianismo e calvinismo e as referências ao segundo eram todas negativas até então. Foi quando comecei a ter acesso a literatura reformada.

Li sobre a chamada eficaz e confesso que mais que a argumentação, o que me fez aceitá-la de imediato foi a minha experiência de conversão. Decididamente, eu não "fui à frente", resisti e resisti com todas as minhas forças. Até que me vi em lágrimas recebendo a oração, sem sequer atinar como fui parar ali. E desde então o Senhor tem me segurado e sustentado.

Quanto ao ponto faltante, a redenção particular, eu simplesmente disse: jamais acreditarei nisso. E passei anos lutando contra ela. Até que não mais podendo negá-la, rendi-me, mas a contra- gosto. Até que li um livro que expunha os argumentos bíblicos e entendi como a redenção específica glorifica a Deus mais que a redenção universal e então passei a amar essa doutrina.

Num processo que levou anos, em que alternei aceitação tranqüila com forte lutas internas, tornei-me um calvinista. Mas não manifestei isso a ninguém. Era uma espécie de calvinista secreto. Até que numa reunião de pastores, fui traído pelos meus comentários e acabei sendo confrontado. Alguém me olhou firmemente e perguntou: você acredita na predestinação?! Não admitir seria mentir e negar a verdade. Então "saí do armário" das minhas convicções pessoais.

Graças a Deus, estou numa igreja arminiana na qual um calvinista é apenas mais um crente salvo por Jesus.

110 comentários:

  1. Só falta isso tudo ter acontecido em um 31 de outubro de alguns anos atrás.

    Temos que dar graças a Deus pela tua vida Clóvis, porque pelo menos eu, tenho aprendido muito através do teu blog, já que equilibrio parce ser contigo mesmo. rsrs

    Apesar de não ter me tornado calvinista da mesma forma, realmente o modelo arminiano me deixava com mais pulgas atrás da orelha, e me deixava mais confuso, felizmente aprouve a Deus nos revelar a Verdade dessas doutrinas sobrenaturais. Porque como diz um arminiano amigo nosso "arminianismo é a interpretação NATURAL da Bíblia"

    Em Cristo,

    Ednaldo.

    ResponderExcluir
  2. Ednaldo,

    Infelizmente sou péssimo para datas. Não lembro sequer a data de meu batismo.

    Você tem razão, uma das evidências da veracidade do calvinismo é o quanto ele é indigesto ao homem. Ser arminiano é molezinha, mas dá um medo...

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  3. Olá Clóvis, graça e paz!

    Muito interessante sua "conversão" ao calvinismo. Pelo que eu me lembre, a ordem de aceitação dos Cinco Pontos por mim foi a seguinte: depravação total, graça irresistível, perseverança dos santos, eleição incondicional e expiação limitada. Isso num longo processo, que começou a ter fim com seus debates no Fórum Evangelho, sobre predestinação e livre-arbítrio.

    Agradeço a Deus pela sua vida e peço que Ele continue te abençoando cada vez mais!

    Abraços,

    André Aloísio
    O principal dos pecadores (I Tm.1.15)
    http://teologia-vida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Clóvis,

    bonito esse seu Post. Gosto dessas minuncias particulares e subjetivas.

    Também só vejo a salvação como imperdível, ou não seria salvação!!??

    Uma vez filho, sempre filho.

    Por outro lado creio no livre arbítrio, no sentido que Deus nos dá liberdade como pessoas. A todo tempo temos que perseverar e fazer escolhas. Em outras palavras, ninguém está com Deus forçado.

    Enfim a controvérsia tem seu sentido, mas acho que são dois lados de uma mesma moeda: para vermos um temos que obrigadoriamente deixar de contemplar o outro e vice versa.

    Abraços,

    Roger

    ResponderExcluir
  5. André,

    Você comentou que sua "migração" se deu "num longo processo, que começou a ter fim com seus debates no Fórum Evangelho, sobre predestinação e livre-arbítrio".

    Interessante que para ser arminiano o processo "é natural", há quem diga inclusive que todos nascem arminianos, a aceitação das doutrinas da graça conforme ensina o calvinismo, envolve um processo geralmente longo e quase sempre doloroso. A minha história, a sua e a do Eduardo Honorato demonstram isso.

    Eu sei o que me custou aceitação a expiação eficaz. As evidências ali, como aguilhões, e eu recalcitando. Mas que paz quando, finalmente, rendi-me ao que ensina a Bíblia!

    Que Deus te abençõe, André. Você tem me dado muitas alegrias com suas postagens e participações na lista FE.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  6. Roger,

    Que a paz inunde seu coração.

    Como você disse, a salvação é imperdível ou não seria salvação. Vida eterna que se acaba pode ser qualquer coisa, menos eterna. Se uma vez filho sempre filho, e se alguém que foi adotado se perde, Deus teria filhos no inferno?

    Você tocou na questão do livre-arbítrio, dizendo que crê que "Deus nos dá liberdade como pessoas. A todo tempo temos que perseverar e fazer escolhas. Em outras palavras, ninguém está com Deus forçado". Nesse sentido, concordo em gênero, número e grau. A maior parte dos problemas com a livre-arbítrio se resolve com uma definição precisa do termo.

    O homem tem liberdade? Sim, tem. O homem faz escolhas morais livres e reais? Sim, faz. O homem é responsável diante de Deus por suas escolhas? Certamente que sim. O homem tem capacidade de fazer uma boa escolha espiritual, a saber, querer e escolher por si mesmo a salvação? Não, de jeito nenhum.

    A diferença entre calvinistas e arminianos não é quanto ao fazer escolhas em si. Ambos acreditam nisso. A diferença é quanto a qualiade dessas escolhas. Deixado a escolher livremente, o homem sempre escolherá rejeitar ao evangelho.

    Você acrescentou que "a controvérsia tem seu sentido, mas acho que são dois lados de uma mesma moeda: para vermos um temos que obrigadoriamente deixar de contemplar o outro e vice versa" e novamente eu concordo com a analogia. Porém, o que tem em cada face da moeda? De um lado a soberania de Deus. Do outro a responsabilidade humana. Responsabilidade, não capacidade.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  7. Paz Clovis,

    Realmente é uma luta aceitar as Doutrinas da Graça, pena que alguns arminianos pensam que o calvinismo se resume a cinco pontos.

    Porém estou muito feliz por ter perdido essa luta.

    Em Cristo,

    Ednaldo.

    ResponderExcluir
  8. Oi Clóvis,
    Fiquei muito feliz em saber que você é um reformado "pentecostal".
    Acredito que passei por este mesmo caminho, até chegar aos pontos calvinistas (TULIP). A propósito, também continuo na minha igreja pentecostal.

    Deus seja louvado pela dom da vida eterna.

    Em Cristo,
    Daniel

    ResponderExcluir
  9. Daniel,

    Prazer em conhece-lo. Fico feliz com mais um calvinista pentecostal na área.

    Seu blog já está entre os meus indicados.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  10. Clóvis,

    terei que meditar um pouco nessa questão da capacidade humana de escolher.

    Quando falei da moeda estava me referindo, de um lado a predestinação e do outro o livre arbítrio.

    Volto a me questionar sobre as questões práticas destas doutrinas. O que isso muda em minha atitude evangelística por exemplo? Irei orar e interceder mais pelo não salvo, sendo que é só Deus quem poderia mudá-lo, abreviar o tempo ou sei lá o que? Irei partir para a apologética para tentar convencê-lo da sua necessidade de salvação? Estarei fornecendo elementos lógicos para que ele tome uma decisão, faça uma escolha pelo evangelho ou sairei à procura daqueles que já foram escolhidos para simplesmente colhe-los?

    Todas essas teorias só fazem sentido ao apresentarem desdobramentos práticos que sejam eficazes.

    ResponderExcluir
  11. Roger,

    Você disse que iria "meditar um pouco nessa questão da capacidade humana de escolher". Os calvinistas concordam com a liberdade de escolha do homem, no sentido que sua escolha não é condicionada por nada fora dele. Mas discordam que o homem tenham capacidade de fazer boas escolhas, sem o concurso decisivo da graça.

    "Quando falei da moeda estava me referindo, de um lado a predestinação e do outro o livre arbítrio."

    Eu entendi. Porém entendo que o paradoxo seja entre soberania divina e responsabilidade humana.

    "Volto a me questionar sobre as questões práticas destas doutrinas."

    Toda doutrina deve e tem implicações práticas. A doutrina da eleição especialmente. Eu creio que a eleição é um incentivo maior à pregação que o livre-arbítrio. Aliás, se estudarmos a história das missões mundiais, veremos que foram os que criam na predestinação os grandes missionários do passado.

    "O que isso muda em minha atitude evangelística por exemplo?"

    Se Deus elegeu pessoas para a salvação e elas só chegarão à fé pela pregação, devo pregar e pregar.

    "Irei orar e interceder mais pelo não salvo, sendo que é só Deus quem poderia mudá-lo, abreviar o tempo ou sei lá o que?"

    Se Deus é o único que pode fazer "sei lá o que" para converter o perdido, então nada mais acertado que orar a Ele não? Se Deus não pudesse fazer muita coisa (por exemplo, não pudesse "quebrar" o livre-arbítrio) ou se tivesse outros com capacidade de fazer algo, então talvez fosse melhor orar a esses outros e não a Deus. Mas se Deus é o único com poder para salvar, então devo orar a Ele e me lançar à evangelização com aquela confiança de que Ele irá fazer prosperar a minha enpreitada.

    "Irei partir para a apologética para tentar convencê-lo da sua necessidade de salvação?"

    A conteúdo da nossa pregação é demonstrar que todos pecaram contra um Deus santo, que todos estão sob condenação por um Deus justo mas que podem ser salvos por um Deus amoroso, mediante fé e arrependimento. O resto é com o Espírito Santo.

    "Estarei fornecendo elementos lógicos para que ele tome uma decisão, faça uma escolha pelo evangelho..."

    Embora seja apaixonado pela lógica e amante de um bom confronto de idéias, vejo pouca utilidade duma argumentação lógica para conversão dos pecadores. A palavra da cruz é loucura para os que perecem. A lógica da cruz é inaceitável.

    Se for evangelizar "arminianamente", sugiro o apelo às emoções e sentimentos...

    "...ou sairei à procura daqueles que já foram escolhidos para simplesmente colhe-los?"

    Deus não nos enviou a caçar eleitos, mas a pregar a todas as criaturas. Assim como o arminiano não sabem quem vai aceitar e por isso prega a todos, o calvinista não sabe quem é eleito e por isso também prega a todos. Qualquer tentativa de descobrir eleitos é inútil e creio proibida por Deus. Para todos os fins práticos, devemos considerar todos os perdidos como eleitos.

    "Todas essas teorias só fazem sentido ao apresentarem desdobramentos práticos que sejam eficazes".

    Sim. Porém, não devemos julgar uma doutrina pelos resultados práticos. Uma verdade continua sendo verdade, mesmo se a maioria não acredita nela. E uma heresia será sempre heresia, mesmo que lote igrejas. Devemos tomar cuidado para não transformar o reconhecimento de frutos em pragmatismo.

    Em Cristo,

    Clóvis

    PS.: Estou acompanhando seus artigos "anti-solas", vou esperar para ver onde vai chegar, antes de me pronunciar.

    ResponderExcluir
  12. Clóvis,

    tem sido um prazer esse diálogo. Só espero que você seja, como eu, um teólogo amador. Se você for da profissão, com títulos de doutorado disso e daquilo estarei perdido!! hahaha!!

    Pois bem, tentarei andar mais uma légua pois tem sido enriquecedor.

    Obviamente o homem em qualquer escolha que faça estará condicionado a seu ambiente, em parte. Por isso Deus trata não só com indivíduos mas com povos, cidades e etc.

    Existe um extremo bem verdadeiro ao longo dessa linha de raciocínio que é, tudo vem de Deus, tudo é graça. E ponto final.

    O outro extremo, porém é, o homem se afastou de Deus, qualquer escolha que o homem faz aqui será sem Deus! Pois o elo ainda não foi reestabelecido.

    Nisso eu vejo a justiça: Ele galardoa todo aquele que de fato crê que Ele existe e se achega a Ele. Ainda que isto seja impossível humanamente falando. Por que alguns se achegam a Ele? Por razões lógicas, por livre vontade e até por "pura" emoção também. Você diria: por "pura" revelação divina! E concordo. Mas acrescento, isso não anula a experiência humana de por si só, livremente, dizer sim para Deus.

    E aqui acaba meus argumentos, na próxima vez te mando um discípulo de Armino. rsrs

    Vamos agora ver se o Massa fatura essa aí no Brasil!!

    Um bom domingo e aguardo seus próximos textos.

    Roger

    ResponderExcluir
  13. Roger,

    Fique tranquilo, sou mais amador do que teólogo. Não tenho títulos algum, nem um bachareladinho sequer. Tenho um basiquinho de teologia, mas como não fiz as duas últimas matérias, não tenho certificado para provar. Mas no final do ano, se Deus quiser, terei um diplomazinho de um curso introdutório para botar banca por aí.

    Obviamente o homem em qualquer escolha que faça estará condicionado a seu ambiente, em parte

    Sim, creio que o meio condiciona, mas não determina.

    "Existe um extremo bem verdadeiro ao longo dessa linha de raciocínio que é, tudo vem de Deus, tudo é graça. E ponto final."

    Hum-hum

    "O outro extremo, porém é, o homem se afastou de Deus, qualquer escolha que o homem faz aqui será sem Deus! Pois o elo ainda não foi reestabelecido."

    Paremos um pouquinho aqui. O homem está alienado, mas mesmo assim não é independente, autônomo. Quando ele faz o mal, o faz utilizando-se daquilo que Deus lhe dá, pois do contrário nem vivo estaria para fazê-lo.

    "Nisso eu vejo a justiça: Ele galardoa todo aquele que de fato crê que Ele existe e se achega a Ele. Ainda que isto seja impossível humanamente falando."

    Exato.

    "Por que alguns se achegam a Ele?"

    Esta é a questão fundamental. Sabemos que Ele convida a todos. Sabemos que apenas alguns vão a Ele. O que faz com que um vá e o outro recuse, se tanto um como o outro estão na mesma condição de impotência espiritual?

    Vejamos suas respostas:

    "Por razões lógicas, por livre vontade e até por "pura" emoção também. Você diria: por "pura" revelação divina! E concordo. Mas acrescento, isso não anula a experiência humana de por si só, livremente, dizer sim para Deus".

    A operação sobrenatural e exclusiva de Deus não anula a escolha real do homem, pois Deus dá a fé, mas o homem crê, Deus concede o arrependimento, mas o homem se arrepende. Como pode ser isso?

    Deus muda a disposição do coração do homem, no dizer da Bíblia, dá um novo coração ao homem. Deus não violenta a vontade do homem, mas muda-a para que aquilo que naturalmente ele abominava agora passe a amar, o que antes lhe causava repulsa, agora é o anelo de sua alma. Assim, Deus não arrasta as pessoas pelas orelhas, antes elas apresentam-se "voluntariamente no dia do Seu poder", como diz Davi.

    Porém, isso não significa que há cooperação entre Deus e o homem. Nem é correta a posição arminiana de que a graça preveniente capacita a crer, mas apenas coloca o homem numa condição de neutralidade moral que ele pode tanto crer como permanecer incrédulo. A ação de Deus é tão decisiva que, sem ela, ninguém crê, com ela todos crêem. A isso chamamos de vocação eficaz ou, como prefiro, graça invencível.

    "E aqui acaba meus argumentos, na próxima vez te mando um discípulo de Armino."

    Sem problemas. Sou mais arminiano (se a referência fora a Jacó Armínio) que 80% dos arminianos. Vide meu post "Arminianos, ouçam armínio" e compreenderá".

    "Vamos agora ver se o Massa fatura essa aí no Brasil!!"

    Sim, está para começar a corrida. Mas fizeram tanto comentários a "cuecas da sorte" e a "mandigas contra Hamilton" que estou quase torcendo pelo inglês.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  14. Oi clóvis,

    Como você encara o fato de que a grande maioria dos pentecostais acredita que a salvação se perde?

    Pergunto isto pois fico muito contráriado quando vejo alguns pregadores na minha igreja afirmar que se não vigiarmos vamos para o inferno. Isto acontece na sua igreja? Como você reage? Você consegue dialogar?

    Bom, fico feliz porque alguns pastores da minha igreja são calvinistas e estão revendo os conceitos.

    ResponderExcluir
  15. Daniel,

    Paz seja contigo.

    Sim, apesar de meu pastor crer na segurança eterna dos regenerados, muito pregadores em minha igreja falam da possibilidade de perder a salvação.

    O que eu acho? Triste.

    É como alguém que entrou num trem e ao invés de apreciar a paisagem pela janela, fica o tempo todo olhando para o bilheteiro, na dúvida se o seu bilhete garante a viagem toda e com medo de ser posto para fora do trem a qualquer momento.

    Sempre que posso, procuro apresentar as evidências bíblicas de que o Senhor nos sustenta até o fim, quando completará a obra que já iniciou em nós.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  16. Navegando deparei-me com este blog e com este texto maravilhoso. Sou Pastor com forte convicção pentecostal e descobrindo-me a cada dia mais identificado com o pensamento reformado.Sem dúvida a soteriologia reformada calvinista é bíblica e como tal sinto o impacto do martelo de Deus que esmiuça a penha de meu orgulho e auto-justiça. Glorifico a Deus por tua vida e reflexões meu amado.
    Gratia, Fide, Scriptura, Christus,Deo Gloria
    pastor.mvida2@bol.com.br
    Pr. Lourival Nascimento

    ResponderExcluir
  17. Pr. Lourival,

    Louvo a Deus por sua vida e ministério. Sonho com o dia em que muitos pastores pentecostais levantarão as bandeiras da Reforma contra a babilônia em que está se tornando o meio evangélico brasileiro.

    Que Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  18. Amado irmão, sou membro da AD-Belém e também sou um calvinista pra mim é um prazer encontrar mais um em nosso meio que defende a fé reformada.
    Espero manter contato.

    Soli do glória

    aldairramosrios@hotmail.com

    ResponderExcluir
  19. Aldair,

    Glória a Deus por sua vida e por sua posição doutrinária.

    Vamos manter contato. Estou pensando a criar uma lista de discussão exclusivamente para pentecostais calvinistas. O que acha?

    Clóvis

    ResponderExcluir
  20. Pode contar comigo...Fica na graça e na paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo

    ResponderExcluir
  21. Amado irmão quando puder visite meu blog e faça seus comentáriso ...ficarei feliz em vê-lo por lá
    http://reformaparaosnossosdias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. Aldair,

    Visitei seu blog, excelente. Já está entre meus "blogs amigos".

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  23. A algum tempo eu passei por experiência semelhante. Não é nada fácil para nós assembleianos; mas, pouco a pouco, de gota em gota, o orvalho simples do evangelho de Cristo se espalha, anunciando uma nova manhã para a Igreja de Cristo.

    Se alguém desejar conhecer um pouco da minha história, fica aqui o link: http://olharreformado.wordpress.com/

    Marcelo Lemos
    Graça e Paz

    ResponderExcluir
  24. Marcelo Lemos,

    Obrigado por sua visita e seu comentário. Visitei seu blog, por sinal excelente, e o mesmo já se encontra listado em meus blogs amigos.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  25. Nossa! Valeu, mesmo pela visita. Eu sou novato nessa coisa... Assim que eu aprender a mexer no wordpress estarei listando o seu também - que aliás, me inspirou a tomar a iniciativa do "olhar reformado".

    ResponderExcluir
  26. Clóvis, Parabéns!!!!!

    Valeu o texto, também tive um certo receio em me render, mas após ler textos e com a ajuda das lições bíblicas da CPAD, dentro de uma sala de aula, os alunos da classe em conjunto com o professor dos jovens, nos rendemos a esta doutrina, fomos eu que era o coordenador dos jovnes com o professor chamados a atenção, por final, em resumo, tanto eu, como o professor tivemos um "tratamento especial", que nos fez ainda mais perseverar nesta fé.

    Deus o abençoe

    ResponderExcluir
  27. Caro Clóvis

    Seja bem vindo à Fé Reformada! Viver coerentemente a convicção da soberania de Deus, reconhecendo que Ele é Senhor sobre todas as coisas, não é apenas confortante, mas consistente com toda a Escritura Sagrada.

    um abraço,
    Pr Ewerton B. Tokashiki

    ResponderExcluir
  28. Pr. Ewerton,

    Obrigado pela sua visita e suas palavras.

    O Tradctione tem sido uma fonte para muitos posts aqui.

    Em Cristo,

    Clovis

    ResponderExcluir
  29. Tive acesso ao seu blog através do "Olhar Reformado" e sendo de uma igreja local pentecostal tenho ficado muito feliz em ver tantas pessoas que como estou agora, conheceram uma ótica mais pura do evangelho: a soberania de Deus!

    ResponderExcluir
  30. Anônimo,

    Seja bem vindo, continue por aqui, lendo e comentando.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  31. Ubirajara - Pastor Presbiteriano Pentecosta e Reforamado23 de agosto de 2009 11:18

    Caro Clóvis!
    Que bom saber que a graça de Deus tem alcançado você! Digo alcançado pela graça, porque muitos acham que a salavação é pelo próprio mérito ou fruto do próprio esforço. Passei também por este processo doloroso, de ter que aceitar que eu sou nada e que sómente Deus pela sua soberania, graça e misericórdia é que pode me dar salvação!
    Hoje sou pastor de uma igrja Presbiteriana, não cessacionista, moderada, calvinista e atuante em missões, soisa que nossos criticos dizem que não fazemos. Fazemos sim e fazemos bem feito. Somos parceiros da Missão Asas de Socorrro, Parceiros com misswionários de outra denominações históricas que atuam na Amazônia e parceiros na formação teológica de obreiros nacionais, provindos do continemte africano, particularmente dos países de fala portuguesa.
    Bom seria que todo aquele queé contra o calvinismo, que o conhecesse primeiro para depois fazer juízo de valor. É uma posição centrada na graça e soberania de Deus, que anula todo o nosso "eu" e isso dói muito para muitas pessoas que gostam de se vangloriar no que fazem. O calvinismo, não anula a vontade humana, por nós tratada de "Livre Agência", quando no seu quinto ponto fala da "Perseverança na Santidade". Perseverar na santidade é um ato da vontade humana, fazer missões também é um ato da vontade humana. e vaí po aí a afora! O calvinismo preserva a palavra de Deus como centro da vida humana e não as experiências pessoais ou novas revelações como acontece na maioria dos movimentos dos dias atuais. Parabéns por sua firme posição! Você não é um herético como muitos consideram os qwue professam a doutrina da "Eleição" ou "Predestinação". Voc^é um servo de Deus que compreendeu o plano perfeiro de Deus e de seus decretos imútaveis.

    Em Cristo, Pr. Ubirajara Quintino - Americana -SP

    ResponderExcluir
  32. Pr. Ubirajara,

    Muito obrigado pela sua visita e comentário. Infelizmente é como o irmão diz, muitos combatem uma caricatura do calvinismo, como Dom Quixote pelejando contra moinhos de vento pensando que se trata de gigantes inimigos.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  33. Amado

    Sempre tive plena convicção na predestinação e debatia nos meus primeiros cursos telógicos, mesmo sem possuir muita bagagem em bíblia, isso há 18 anos. Sou filho de pr assembleiano. Em 02/05/2006, sofri um acidente de moto que mudou a minha vida na forma de pensar sobre o cristianismo. É uma luta diária.

    Mas Deus me surpreende a cada dia, sobre renúncia, crucificar meu "eu". Outro foi conhecer vocês, calvinistas.

    Entrem em contato comigo para aproximar-mos-nos mais nesta tão doce união em Cristo Jesus.

    diacers@yahoo.com.br

    No mesmo amor de Deus

    Elizeu

    ResponderExcluir
  34. Elizeu,

    Enviei um email para você. Entre em contato através dele.

    Paz!

    Clóvis

    ResponderExcluir
  35. Clóvis,

    se me permite, tenho uma ótima idéia de texto para você, para explicar uma barreira que as pessoas tem em receber as doutrinas da Graça.
    Tive um "insight" hoje de manhã, no onibus! rs

    Como faço para entrar em contato?

    Um abraço

    ResponderExcluir
  36. Neto,

    A você, permito tudo, rsrsrs

    Meu email é clovis5solas @gmail.com (elimine o espaço antes do @).

    Clóvis

    ResponderExcluir
  37. Olá que a paz de Cristo esteja contigo!Também sirvo ao Senhor numa igreja pentecostal e minha dúvida é como vocÊ desnvolve seu ministério, sendo um calvinista declarado,no contexto de uma denominação que não possui essa postura doutriária?Desde já que DEUS te abençoe sempre mais e mais , irmão Rafael

    ResponderExcluir
  38. Raphel,

    Deus me deu a graça de servir numa igreja (O Brasil Para Cristo em Medianeira), que embora de tradição arminiana aceita em seus quadros pastores calvinistas, embora sejam raros.

    Eu sou cooperador leigo, tendo sob minha coordenação, pela graça de Deus, o departamento de ensino e interinamente a coordenação da equipe de louvor.

    De minha parte, contribui para que meu ministério não fique comprometido, o fato de que eu não sou "chatinista" na igreja. Exponho minha posição com clareza, mas ensino a posição geralmente aceita, com o devido cuidado. Deus tem me dado graças neste sentido.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  39. Muito lindo esse testemunho! Que Deus continue te abençoando cada vez mais.

    ResponderExcluir
  40. Net,

    Obrigado pelos votos de bênçãos.

    Soli Deo Gloria

    Clóvis

    ResponderExcluir
  41. Olá Clóvis, muito interessante como a experiência de conversão conta. Qual o nome do livro sobre redenção particular que você leu?

    Deus o abençoe.

    Abraços,

    Filipe

    ResponderExcluir
  42. Acho que o título é Por quem Cristo morreu, da editora PES.

    Algum irmão pode dar uma informação mais precisa, pois meu exemplar está em casa.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  43. oi concordo com os pontos calvinistas sou pentecostal,estou aprendendo a lhe dar com essa diferença,Cristo é tudo pra mim,mas não posso dar opinião em minha igreja a respeito disso pois é uma afronta,mas graças a Deus,tenho guardado diligentemente minha vocação e eleição a qual o Senhor me outorgou,sou jovem ainda,mas gosto muito de teologia,gostei muito desse blog,Deus lhe abençoe,só uma pergunta tem me confrontado,que é:quando penso que os escolhidos vão vir a Cristo de qualquer jeito,o que vai nos entusiasmar para pregar o evangelho?amem

    ResponderExcluir
  44. Thyarles,

    É lamentável que crer e expressar as doutrinas da graça seja uma afronta em meios pentecostais. Mas continue firme em sua fé.

    Sobre a vinda dos eleitos, ela não é mais certa do que o fato de que virão pela pregação. O mesmo Deus soberano que determinou o fim também preordenou os meios.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  45. Thyarles,

    É exatamente por saber que existem eleitos de Deus espalhados pelo mundo que deveria TE MOTIVAR a pregar! Pois se você prega para 20 pessoas, você está convicto que entre eles pode haver aqueles que Deus escolheu. E esses OUVIRÃO E CRERÃO.

    Não se iluda: NÃO EXISTEM ELEITOS em sã conciencia que virão à fé e Salvação sem antes ouvirem o Evangelho, se arrepender e crer. Esse é o caminho que Deus escolheu para os chamar. Entende?

    Pensando-se da maneira correta, isso te motiva, e não te desanima!

    Atos 18
    9 E disse o Senhor em visão a Paulo: Não temas, mas fala, e não te cales;
    10 Porque eu sou contigo, e ninguém lançará mão de ti para te fazer mal, POIS TENHO MUITO POVO NESTA CIDADE.

    ResponderExcluir
  46. Clóvis,

    parabéns pelo excelente site, gostaria de te pedir um favor. que vc me passasse o nome do livro que vc disse ter lido e se convenceu da redenção específica, pois tb estou tendo problemas com ela...

    obrigado...
    Em Cristo,
    Alison.

    ResponderExcluir
  47. GRAÇA E PAZ IRMÃO CLÓVIS!FIQUEI MUITO FELIZ EM CONHECER SEU SITE,ME IDENTIFICO MUITO COM A POSIÇÃO DOUTRINARIA DO IRMÃO,"PENTECOSTAL REFORMADO"SE É QUE POSSO USAR ESTE TERMO.EU E OUTROS IRMÃOS AQUI DAQUI DA CIDADE SOFREMOS NO MEIO PENTECOSTAL, ENCONTRAMOS MUITA RESISTÊNCIA Á TEOLOGIA REFORMADA,NA VERDADE MUITA IGNORÂNCIA A RESPEITO DO EVANGELHO EM SI,FALAR NO NOSSO MEIO SOBRE SPURGEON,LOYD JONES,WHITIFELD,É COMO SE TIVESSEMOS FALANDO EM LINGUA ESTRANHA,RSRSRS,FALAR EM CALVIMO ENTÃO...É MELHOR FALAR DO ADVERSÁRIO QUE EM SEU NOME.MAS VEJO QUE DEUS TEM REVELADO ESTAS VERDADES CHAMADAS CALVINISTAS A OUTROS IRMÃOS NO MEIO PENTECOSTAL Á DEUS SEJA Á GLÓRIA!

    ResponderExcluir
  48. Caro Anonimo,

    Ajuda falar menos em calvinistas e mais em doutrinas da graça, conforme compreendidas pelos calvinistas.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  49. Clóvis,

    Que Deus seja louvado em sua vida; Sua história assemelha-se muito com a minha, visto que sou Pentecostal e Calvinista também.

    Graça e Paz
    Mizael

    ResponderExcluir
  50. Louvo a Deus por que as doutrinas da graça tem recebido atenção nesses ultimos anos. De igual maneira tb muitos calvinista tem convencido-se que os pentecostais são cristãos protestantes genuinos ( embora eu tenha meus preconceitos=reservas ).

    ResponderExcluir
  51. Mizael,

    Deus seja louvado, mesmo. Nada mais raro que um pentecostal calvinista, rsrs.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  52. Luciano,

    Suas reservas são de ordem doutrinária ou prática?

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  53. é tão provado o livre arbitrio que tem pessoas por aí acreditando até que veio do macaco.Deus tenha misericordia por voce

    ResponderExcluir
  54. Mais prática. O pentecostalismo tem seu problema (pontencialmente) no uso do subjetivismo. Nesse aspecto, entendo, que mora um perigo.
    O quanto disso influencia a doutrina? Na vida diária de muitos uma intensa busca a Deus. Na vida de outros, um abandono relativo das escrituras.
    Mas fora o dispensacionalismo tão comum a esse grupo, não entendo possuirem erro herético. Desta maneira minhas reservas são práticas.

    ResponderExcluir
  55. Anônimo, o livre arbítrio é "tão" provado que o homem não consegue agir livre de sua natureza! O Livre arbítrio é tão provado que o homem agir livre da Soberania de Deus.
    A palavra não se garante por si mesma. >Livre( liberdade usufruida e garantidada) arbítrio( juízo, direito de estabelecer o que é certo ou errado). Onde vc encontra isso??? De que maneira vc é livre de seu estado pecaminoso? A ponto de estabelecer corretamente algo?
    O seu exemplo que muitos acham que vem do macaco ( o que é um caricatura da evolução ) apenas prova isso, o homem está preso arbitrariamente ao seu estado, a ponto de dizer coisas como essas.

    ResponderExcluir
  56. Deus é um 'déspota arbítrario', segundo a Escritura.

    ResponderExcluir
  57. Luciano,

    Acho que todo pentecostal consciente reconhece esse perigo. Como também os reformados sabem que as doutrinas da graça, mal compreendidas, oferecem o perigo do formalismo.

    Creio que podemos ser pentecostais de mente e reformados de coração. Podemos "sentir", mas sujeitar isso ao controle da Palavra.

    Não é algo fácil de se conseguir, mas há pentecostais sérios empenhados nisso.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  58. Se acreditar que descende de macaco prova o livre arbítrio, se isso é o melhor que se pode oferecer, que Deus tenha misericórdia de nós, mas principalmente dos que valorizam o livre-arbítrio.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  59. Olá Clóvis, sua história parece muito com a minha, me converti com 17 anos também e hoje tenho 21. Mesmo com todas as minhas convicções reformadas permaneço com a amor servindo a Deus na minha igreja Arminiana-Pentecostal. Tinha algumas dúvidas se iria conseguir permanecer na mesma, porém vejo que o irmão está conseguindo ligar com está diferente muito bem, isso me anima. Abraços!! Soli Deo gloria!

    ResponderExcluir
  60. Clovis, independente de qualquer coisa, se voce se sentiu ofendido, me perdoe. Nós não pregamos ódio contra ninguem, muito menos contra nossos irmãos EM CRISTO. Pois sabemos que a “vereda do justo é como luz da aurora”, e que Deus não leva em conta o tempo da ignorancia”.
    Agora, suas afirmações e insinuações de que:
    - E quanto à própria Ellen White? A posição dela é bastante ambígua (Pessoa insegura, confusa, duvidosa, imprecisa?). Quanto a Divindade do Espírito Santo? Ela escreveu mais de 100.000 paginas, e em seus escritos ele aponta o Espírito Santo, como Deus.
    -“E se não as reprovou jamais, como fez com o panteísmo de Kellogs, por exemplo, é porque concordava com eles”. Insinuando que EGW era antitrinitariana.
    -“os adventistas desculpam-se pela sua heresia dizendo que foi contaminada pelos unitaristas que se juntaram a ela e aparentemente era uma doença incurável, da qual só puderam se ver livres com a morte de seus fundadores”.
    -“O adventismo começou sua guinada para o trinitarianismo, isso porque queria deixar de ser considerada uma seita e ser reconhecida como igreja evangélica
    -“Quando a IASD percebeu que, enquanto antitrinitariana suas pretenções de ser reconhecida como igreja evangélica tinham chance zero, esperou os pioneiros morrerem para, aos poucos, se tornar trinitariana”.
    Clovis não entendi porque você ainda não postou a declaração oficial da Conferencia Geral da IASD que apóiam sua afirmações de que EGW era ambígua. Era antitrinitariana. Que IASD esperou que os pioneiros morrerem para se tornar trinitariana. Que guinou para o trinitarianismo, porque queria deixar de ser considerada uma seita e ser reconhecida como igreja evangélica. Que os adventistas desculpam-se pela sua heresia dizendo que foi contaminada pelos unitaristas que se juntaram a ela.
    Não creio que foi por falta de desculpa ou perdão. E, se for não será mais.
    Agora, observe uma curiosidade:
    Art. 208 C. Penal- Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso;
    Escarnecer: achincalhar • caçoar • empulhar • mofar • motejar • ridicularizar • troçar • zombar • zombetear
    Art. 299 do C.Penal - Omitir, em documento público ou particular , declaração
    que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa
    ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar
    obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante:
    Calúnia é uma afirmação falsa e desonrosa a respeito de alguém, inclusive mortos. Consiste em atribuir, falsamente, a alguém a responsabilidade pela prática de um fato determinado definido como crime, feita com má-fé. Pode ser feita verbalmente, de forma escrita, por representação gráfica ou internet. Wikipédia, a enciclopédia livre
    Portanto, uma coisa é discordância ou posições Doutrinárias, outra é postar algo sobre pessoas e igrejas que não condiz com a verdade.
    Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br

    ResponderExcluir
  61. Clóvis, Graça e Paz.

    Você é de qual estado brasileiro?

    ResponderExcluir
  62. Clóvis,

    Você disse: "Até que numa reunião de pastores, fui traído pelos meus comentários e acabei sendo confrontado. Alguém me olhou firmemente e perguntou: você acredita na predestinação?! Não admitir seria mentir e negar a verdade. Então "saí do armário" das minhas convicções pessoais.

    Eu gostaria de saber, se o irmão quiser falar, qual a continuação dessa parte. Qual foi a reação dos pastores? E como ficou o clima depois disso?

    *motivo da curiosidade: Semelhança de experiencias... rs

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  63. Eu gostaria de saber o pq dos membros da igreja Adventista noa pode usar joias

    Grato Jefferson Franco

    ResponderExcluir
  64. Wagner,

    Eu creio que não podemos nem devemos mudar de igreja ao sabor de nossas preferências. Se uma igreja não for culpada de heresia grave, não é correto abandoná-la. Mas as vezes podem botar para fora quem pensa diferente.

    Graças a Deus, parece que regra geral, depois de uma perplexidade inicial, a maioria das igrejas pentecostais aceita calvinistas em sua membresia.

    O que devemos tomar cuidade é de não pensar que nossa missão é levar nossa igreja local ao calvinismo. Ou causar divisões por causa disso.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  65. Diego,

    Moro em Medianeira, no Paraná.

    Qualquer coisa estou à disposição.

    Clóvis

    ResponderExcluir
  66. Paula e Jeff,

    Não estou bem inteirado sobre essa restrição na IASD. Se me perguntassem, eu diria que não haveria proibição. Sugiro que pergunte para o Leandro Quadros no blog "Na Mira da Verdade". Ele certamente saberá lhe responder de forma mais apropriada.

    Já no meio pentecostal, onde convivo isso é mais comum. Às vezes trata-se de uma saudável moderação, mas na maioria é legalismo mesmo.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  67. Neto,

    Na ocasião houve um silêncio algo constrangedor, mas nenhuma consequencia negativa. Pelo contrário, continuei sendo convidado para reuniões da liderança e sendo ouvido em questões de doutrina.

    Atualmente coordeno o curso de teologia em minha igreja local e em outra igreja, a 100km da minha. Outra igreja convidou-me para estruturar o curso, mas tive que declinar pela falta de tempo e pela distância. Coordeno a área de ensino de minha igreja local, pela graça de Deus.

    Cerca de um mês atrás, dois pastores estiveram na casa de minha sogra, onde fui almoçar. Um deles sabia que eu era calvinista (visita o blog), o outro parece que não (ele é o atual líder regional). Não chegamos a entrar no assunto, mas não percebi resistência aberta.

    Enfim, graças a Deus minha denominação, até onde eu saiba, não discrimina calvinistas, havendo inclusive pastores "assumidos" em seus quadros.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  68. Depois destas experiências acho que vou ficar na assembléia,assim como alguns de vocês sou membro de uma denominação arminiana mas em 2010 eu com 17 anos,me entreguei a doutrina da graça,sou calvinista confesso,até o pastor já sabe da minha posição calvinista,ele não se agradou nem um pouco,ele está me vigiando na EBD ás vezes ele fica na minha sala tentando ver se eu irei "desviar" os irmãos,o fato de maior "confronto" entre nós foi a respeito do batismo com fogo de João Batista,ali fui tratado como um herege,3 professores,1 diácono e 1 pastor contra mim,por incrível que pareça pela graça de Deus a opinião dos alunos foi favorável á minha,"neste exato momento se levanta um professor e diz "deixemos ao assuntos polêmicos e vamos evangelizar",acho que só vou exercer alguma função,quando o pastor sair.
    Em 2011 entrei na faculdade estou cursando teologia,ele ficou sabendo e desde esse dia é indireta atrás de indireta "Deus não precisa de teólogos ele precisa é de evangelistas",aí me pergunto,os dons não são diversos?,estou enfrentando um sério problema,apesar de eu ter recebido uma dose de motivação depois destes testemunho.
    Saudações do servo André,em Cristo.

    ResponderExcluir
  69. André,

    Fico feliz que meu testemunho tenha sido de alguma ajuda. Acrescento o seguinte: não é bom confrontar o seu pastor ou "tumultuar" classes de EBD. Tenha bem firme suas convicções, mas seja brando ao expressá-las, fazendo isso quando for oportuno. Lembre-se que é Deus quem realiza a obra de convencimento pela Palavra, não nós.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  70. Clóvis disse ao Roger:

    “Toda doutrina deve e tem implicações práticas. A doutrina da eleição especialmente. Eu creio que a eleição é um incentivo maior à pregação que o livre-arbítrio. Aliás, se estudarmos a história das missões mundiais, veremos que foram os que criam na predestinação os grandes missionários do passado.”

    De acordo com essas implicações práticas faço o seguinte questionamento: quando um chamado réprobo, pela doutrina calvinista, lê Jo-3:16 quem estaria mentindo pra ele? A Bíblia? Deus? Ou o homem? Uma observação: seria Deus capcioso? Como o homem ao escrever a seguinte placa, “Fiado, só amanhã" e fixar em seu estabelecimento, bem visível, para que todos os seus clientes vejam quando entrarem.

    Um abraço fica na Paz.

    ResponderExcluir
  71. Anônimo,

    Sinta-se à vontade para se identificar, está entre irmãos, se você crê em Cristo. Quanto aos seus questionamentos.

    1) "...quando um chamado réprobo, pela doutrina calvinista, lê Jo-3:16 quem estaria mentindo pra ele? A Bíblia? Deus? Ou o homem?"

    Ninguém está mentindo para ele. Deus e a Bíblia sempre falam a verdade. A Bíblia diz "Deus amou o mundo" e isso é verdadeiro. Quando afirma que "todo aquele que nele crê" terá a vida eterna, também está falando a verdade. Não sei por que tal palavra não seria verdadeira, seja para um réprobo, seja para um eleito.

    2) "... seria Deus capcioso? Como o homem ao escrever a seguinte placa, “Fiado, só amanhã" e fixar em seu estabelecimento"

    Se por capcioso você quer dizer ardiloso, argucioso, enganador, envolvente, malicioso, caviloso, arguto... não, Deus não é nada disso. Só não sei o porque você está perguntando isso...

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  72. Sou o anônimo André.
    Faço de tudo o possível mas como já comentei,falta amadurecimento os caras ficam provocando,parece q sou obrigado a crer em tudo o que eles ditam,certa vez no segundo trimestre de 2011 lição de numero 1 tema "Quem é o Espírito Santo",um dos meus professores estavam declarando q o Espírito Santo é o agente da salvação e q o mesmo convence o homem do pecado,perguntei a ele "como podemos crer q ele nos convence do pecado se ñ cremos na predestinação?",o outro professor tomou a fala dele e me respondeu "ñ devemos questionar a Deus",ai me pergunto isso é resposta de um professor? creio q ñ.
    Talvez no meu primeiro comentário possa parecer q eu seja birrento e polêmico,muito pelo contrário sou muito calmo,mas aproveito a EBD por entender q esse é o espaço mas democrático das ADs no Brasil.
    Saudações em Cristo.

    ResponderExcluir
  73. André,

    Compreendo sua posição e não te considerei birrento ou polêmico, se dei essa impressão me perdoe. O que quis dizer é que esse tipo de assunto geralmente provoca reações fortes e é muito fácil a discussão sair de um debate cordial para um briga séria. E creio que não cabe a nós calvinistas botar lenha na fogueira.

    Também tenho reservas quanto a ser a EBD o melhor ambiente para esse tipo de discussão. Primeiro, que a menos que o tema diga respeito a esse aspecto da soteriorologia, o debate será "off-topic". E segundo, nas classes de EBD não raro tem muitos neófitos na fé, que podem mais se confundir que entender a discussão, ainda mais se ela produzir mais calor do que luz.

    Creio que o Espírito Santo lhe dará sabedoria para aproveitar as oportunidades de expor as doutrinas da graça, sem atrair raiva contra si.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  74. Anônimo André
    Amém,vc ñ demonstrou q me achava polêmico,eu apenas acho q no meu primeiro comentário isso possa parecer.
    Também acho q esse negócio de lenha na fogueira ñ cabe a nós e nem a nenhum Cristão,só ñ me conformo com argumentos q caminham mais para uma heresia alguém diz "O Espírito Santo nos convence do pecado",ai pergunto "como ele nos convence se ñ cremos em predestinação?",ai vem a resposta "ele só nos convence se deixarmos..." argumento muito fraco.
    Saudações em Cristo.

    ResponderExcluir
  75. Que bom encontrar um blog reformado (o estranho é que ele seja escrito por um calvinista que pertence a uma igreja arminianista)!

    Clovis, eu cresci numa igreja ultra-arminianista e somente aos 24 anos de idade, tive uma experiência com a Graça que me fez entender todos os pontos do calvinismo. De lá pra cá, tenho buscado conhecer mais fundo as doutrinas reformadas e a história da reforma. Assumo, já sou um calvinista roxo!

    Bom demais encontrar um blog que trate já no nome dos princípios fundamentais da reforma. Estarei sempre por aqui!

    Em Cristo,

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  76. Thiago,

    Seja bem vindo. Dou graças a Deus por ser amado e bem cuidado na igreja em que sirvo. E fico feliz que tenha descoberto as doutrinas da graça. Permaneça firme nelas.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  77. Irmão,
    Eu nasci e me criei numa igreja arminiana e lagalista, por anos me dediquei incondicionalmente até ter um encontro com o calvinismo num longo e doloroso processo.
    Hoje professo minha fé numa igreja histórica, onde me regozijo em Deus por ser o protagonista de um pleno grandioso e que independe da minha ação.
    Depois dessas descobertas não mais pude compactuar com o ambiente legalista e arminiano, vi a mudança como algo natural e que seria a continuidade da boa obra do Senhor iniciada em minha vida.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  78. Alessandro,

    Dou graças a Deus pelo que Ele fez em sua vida. Sobre onde congrega hoje, o importante é que você sirva a Deus com fidelidade, onde ele te enviar.

    Deus o abençoe.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  79. Olá Clóvis,
    graça e paz!
    Gostei muito de seu texto. Tenho amigos pentecostais que são calvinistas. Não sou de origem pentecostal, mas, como você, também relutei muito em aceitar as verdades dessa corrente. Mas fui, finalmente, convencido e conquistado. Hoje, não apenas creio, como confesso e prego as verdades da graça.
    Deus o abençoe e oriente em sua vida e ministério.
    abraços de um irmão calvinista admirador das tantas belezas existentes no universo pentecostal.
    Em Cristo,
    Reginaldo Carvalho

    ResponderExcluir
  80. Reginaldo,

    Deus o abençoe.

    Sonho com dias em que pentecostais terão em grande conta a sólida teologia reformada e reformados estimarão o fervor pentecostal. Ambos só tem a ganhar com isso, pois falta aos pentecostais maior reflexão teológica e aos tradicionais uma experiência mais intensa com o Espírito Santo. Claro que estou falando de modo geral, havendo exceções em ambos os lados.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  81. Clóvis.
    Realmente é estranha esta situação: Calvinista pentecostal. Um recém convertido ao Calvinismo, Renato Suhett, tem publicado artigos contrA TUDO o que ele pregou e viveu até aqui. Amaioria dos calvinistas dizem ser impossível esta combinação, visto que defendem que o batismo no Espírito implica em uma 2ª bênção, o que fere a idéia de santificaão Calvinista.

    detalhe: sou Arminiano convicto. O que me atrai ao teu blog são os assuntos que estão muit bons. parabéns

    Pr Claudiney

    ResponderExcluir
  82. Pr. Claudiney,

    Eu não diria que é estranho, apenas incomum. Mesmo assim, é cada vez maior o número de pentecostais que se tornam calvinistas mantendo suas convicções sobre o batismo com o Espírito Santo e os dons espirituais. Igualmente para calvinistas que descobrem a experiência pentecostal sem se tornarem arminianos.

    Quanto ao Renato Suhett, não tenho acompanhado o ele diz. O que sei é que o que ele mais prega é contra o que viveu. Quando saiu da IURD, pregou contra o que viveu lá. Fundou uma igreja e se juntou ao movimento herético cresciendo en gracia. Voltou para a IURD pregando contra o que viveu fora dela. Fundou a igreja igreja esotérica, pregando a reencarnação. Depois, é claro, pregou contra o que viveu. Atualmente, é bispo primaz de uma igreja que se diz puritana.

    Prefiro esperar para ver se ele não estará logo pregando contra o que vive atualmente.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  83. "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;" (II Timóteo 4 : 3)
    Não convertam-se aos homens e seus pensamentos, convertam-se ao Senhor Jesus Cristo!
    "Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá." (Efésios 5 : 14)

    ResponderExcluir
  84. Olá, Clóvis!!

    Gosto muito dos seus textos..

    Confesso que, apesar de presbiteriano, a pouco tempo descobri a Verdade.. no tocante à falsidade do Livre-Arbítrio e no tocante à misericórdia e graça de Deus mediante a Eleição.. até pq tenho apenas 16 anos.. rsrs

    De cara fiquei meio confuso mas, com estudo, dedicação e auxílio divino, hoje vejo que de fato a doutrina Arminiana é confusa e não bate com a Palavra de Deus..

    Que Deus te abençoe ricamente em sua caminhada!!

    ResponderExcluir
  85. Christopher,

    Que o Senhor te abençoe grandemente. Lembro-me vagamente que uma vez tive 16 anos e desejava ter mais. Aproveite essa boa idade para crescer na graça e no conhecimento do Senhor.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  86. Clóvis,

    Sou presbiteriano e fico muito feliz em ver os "Solas" da reforma protestante ganhar espaço no meio petencostal. Que Deus te abençoe ricamente, meu irmão.

    Marcelo Batista

    ResponderExcluir
  87. Marcelo,

    A glória é de Deus, toda ela. Pois é Ele que tem levado muitos irmãos pentecostais a descobrirem as doutrinas da graça.

    Em Cristo,

    Clóvis

    ResponderExcluir
  88. Prezado irmão, Clóvis!
    Congrego-me numa igreja pentecostal mas creio como você: na segurança da salvação, na predestinação, na livre agencia do homem... mas aqui na minha igreja ainda somos tahcados como hereges. Pode? Em pleno seuco 21? Um abraço irmão! Zé Luiz

    ResponderExcluir
  89. Amei, reformado "pentecostal"!
    É tão bom quando as diferenças podem coexistir,louvo a Deus pela sua congregação.

    ResponderExcluir
  90. Amado, irmão Clóvis, quando puder faça uma visita ao meu blog.http://mentalidade-crista.blogspot.com.br/

    Saudações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aldair,

      Cheguei de viagem agora e apenas pude correr os olhos sobre alguns posts. Me pareceram bastante recomendáveis.

      Deus o abençoe.

      Em Cristo,

      Excluir
  91. Olá meu irmão, também sou um pentecostal que está se calvinisando, faço parte de uma igreja que respira arminianismo, mas não consigo mais aceitar aqueles ensinamentos, meu pastor nem sonha com isso. Sou também um calvinista dentro do armário, sei que preciso estudar mais para declarar que de fato sou calvinista, mas posso ter certeza de uma coisa, não consigo mais voltar para arminio. Seus exemplo e sua história muito me motivam a continuar estudando o calvinismo e me deixam aliviado em saber que ser pentecostal não me impede de ser calvinista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandro,

      Paz seja contigo. Que Deus seja louvado pela sua vida e sobretudo pela sua salvação. Continue estudando a Palavra e orando ao Senhor, procurando ser fiel e Ele. Talvez "sair do armário", ou seja, assumir um rótulo não seja o mais indicado. Viva para a glória de Deus e seu "calvinismo" vai falar mais alto do que você se anunciar como tal.

      Porém, se chegar um momento em que tenha que responder à Pergunta "você é um calvinista", que não hesite um só segundo em dizer, "sim, pela graça de Deus".

      Em Cristo,

      Excluir
  92. Irmão Clóvis,

    O que significa está flor que você está segurando na foto do texto?

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma tulipa. O nome da flor, em inglês, forma um acróstico para os chamados "cinco pontos" do calvinismo.

      Em Cristo,

      Excluir
    2. Que interessante. Não sabia disso. Obrigado.

      Excluir
  93. Clóvis,

    Paz do Senhor. Sou presbítero na Assembleia de Deus, campo do Brás (Madureira). E, como você, também me tornei calvinista, com a diferença de que durante anos eu fui arminiano e criticava o calvinismo, até que comecei ter contato com Augustus Nicodemus e os irmãos do Voltemos ao Evangelho. Enfim, a minha pergunta para você é em relação a escatologia. Como você lida com as questões do pacto ou dispensações, pré-milenismo ou pós-milenismo, pré-tribulacionismo? Tenho essa dúvida, pois mesmo não concordando mais com o dispensacionalismo, ainda concordo com a pré-tribulação e pré-milênio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou pré-milenista não dispensacionalista, ou seja, creio que Jesus voltará antes e para estabelecer o reino milenar. Mas não sou pré-tribulacionista.

      Em Cristo,

      Excluir
    2. Mas você concorda com a teologia do pacto? Eu tenho essa dúvida se há como conciliar pré-milenismo com a teologia do pacto.

      Abraços meu irmão.

      Excluir
  94. Olá, irmão Clóvis!

    "Graça e Paz do Senhor!" (Uma mistura de saudações, grosso modo, tipicamente calvinista e pentecostal - risos).

    Também sou calvinista e congrego numa igreja pentecostal, e me identifiquei extremamente com o texto. Se não se importar, estarei publicando este artigo em meu modesto blog Alvo, mais que a neve, com a devida citação da fonte.

    No mais, um grande abraço!

    PH

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro,

      Você é livre para reproduzir qualquer texto do Cinco Solas, desde que o mantenha inalterado, não use para fins comerciais e indique autoria e fonte. Não é necessário solicitar autorização prévia.

      Em Cristo,

      Excluir
  95. Muito bom, eu andava pesquisando e lendo muito sobre esse tema, de livre-arbítrio, e predestinação, longas conversas e discussões com voçê Clóvis, rsrs, até que Deus foi tocando meu coração de um tal maneira, que não pude mais resistir, me vi em oração e em meio lágrimas a Deus, coisa que não acontecia há muito tempo.


    Em fim , que a glória seja dada somente a Deus por tudo

    Paz em Cristo

    ResponderExcluir
  96. Gente pra que evangelizar se não temos livre arbítrio? Se vamos ser salvos de qualquer forma, pra que isso de ir buscar pessoas que precisam se convencer disso, ora o que é salvo em Deus já está salvo, o que não é vai pro inferno e pronto. Que perca de tempo.

    ResponderExcluir
  97. justamente pelo fato de terem os escolhidos é que saímos a evangelizar, essa foi a forma de Deus estabeleceu para salvar os perdidos, através da fé em Cristo pela pregação do Evangelho

    ResponderExcluir
  98. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  99. A Paz irmão Clóvis, gostei do "Sobre o Autor".
    Eu estou passando por este processo há um ano, entendendo as doutrinas reformadas e o calvinismo, estando em uma igreja pentecostal.
    Confesso que foi muito difícil no começo, a ponto de querer sair da minha igreja por não concordar com várias coisas (Arminianismo).
    Hoje em dia, graças a um trabalhar de Deus, reflexão, meditação na Palavra, livros e textos de apoio, consigo ver o brilho do Evangelho aonde eu estou. E resolvi firmemente adotar a minha postura acerca do calvinismo e lutar pelo Reino congregando na minha igreja, aonde fui criado.
    Hoje, sei que temos a divergência arminiana e calvinista, que estou aprendendo ainda, mas resolvi não "bater de frente" ou "brigar" com meus irmãos arminianos, resolvi levantar a bandeira do Evangelho e com eles glorificar o Senhor e proclamar o Reino dEle.

    Vou procurar ler com mais frequência o site, conto com o apoio dos irmãos.

    Sinceramente,

    Rafael (R.C. Silva)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael,

      Deus seja louvado, por sua vida, por lhe mostrar as doutrinas da graça e pela sua atitude. No que eu puder ser útil, estou à disposição.

      Em Cristo,

      Excluir
  100. Bom... depois de ver sua declaração, quero participar de seu blog... Não sou Calvinista, sou antes dele um "são paulino", não do futebol, da biblia, ou sãosaulo, o que este grande homem, Calvino, fez foi abrir as cartas do apóstolo... se ele não fizesse, talvez fosse o sr. Clovis, aíh seriamos Clovistas??? rsr Abraço meu irmão.
    Samuel Rego - Pb Brasil para Cristo.

    ResponderExcluir
  101. me indentifiquei demais com esse texto, sou calvinista numa igreja arminiana, defendo muito a doutrina da graça, porem me sinto a vontade pra falar com qualquer pessoa de minha igreja sobre o tema, pois minha salvação não veio nem de arminio nem de calvino, veio do Senhor Jesus. Amém!!!

    ResponderExcluir
  102. Graça e paz Clóvis,

    É um prazer conhecer um pouco sobre meu irmão em Cristo. Minha história de como estou me reformando é bem diferente da sua. Eu fui membro da seita Igreja Local de W. Lee, por 14 anos, desde meus 7 anos de idade, destes 14, por seis fui pregador. Mas enquanto tinha liberdade de ler outras coisas para aplicar nas ministrações (principalmente autores dispensacionalistas clássicos como John Nelson Darby (conhecido como pai do dispensacionalismo), Charles Henry Mackintosh, Willian Kelly, George Muller, Watchman Nee etc), que na minha opinião eram mais bíblicos, eu fiquei a vontade no grupo... mas quando o ambiente mudou, o sectarismo e exclusivismo se tornaram insuportáveis, Deus abriu meus olhos. Foi no mesmo tempo em que conheci minha esposa na faculdade, então resolvi ir para igreja dela, já que eu estava sem igreja, iria ter de procurar mesmo... rsrsrsrs

    Só que essa igreja é uma batista de linha pentecostal, onde o pastor presidente (que fundou essa convenção na região) até aceita pontos como Perseverança dos Santos e Depravação Total (sem saber que são pontos calvinistas), fui muito bem recebido pelo grupo de jovens, e pelo pastor. Este tempo que estive por lá, busquei outras influências... e como a maioria dos novos-calvinistas, comecei por John Piper... Paul Washer... por meio deles tive curiosidade de ler Calvino e Agostinho, conheci também os bons arminianos que eles citam (C.S. Lewis, Leonard Ravenhill, David Wilkerson), passei a apreciar mais ainda os puritanos que já conhecia juntamente com Spurgeon, outros reformados mais recentes como Dr. M. Lloyd-Jones, J. Stott. Dentre muitos outros. Sem falar nos reformados nacionais.

    Também relutei muito em engolir a Expiação Limitada... mas não venci esta luta... a graça irresistível me convenceu... rsrsrsrs
    Já abri mão da maior parte do meu dispensacionalismo, falta ainda uma pequena parte da minha escatologia, mas estou quase me convencendo pelo pre-milenismo clássico... ou seja, em direção de abandonar o pre-milenismo dispensacionalista... talvez ainda fique algum ranço deste ultimo, até que a tribulação comece e a Igreja não suba antes disso.

    Porém hoje, acho que o dispensacionalismo complica demais, dá muita volta, prefiro o método reformado de interpretar as escrituras, gramático-histórico.

    Enfim, tudo isso para dizer que fico feliz de encontrar alguém que como eu, se reformou!

    Estou começando um blog que pretendo inaugurar em outubro, onde não pretendo escrever textos tão grandes quanto este comentário sempre (vai desculpando ai, mas é porque me identifiquei com sua história de novo reformado, ai me empolguei). Já escrevi alguns post's, que pretendo acumular, para que fiquem sempre agendados, com bastante material reserva para semanas em que os afazeres do dia-a-dia não me permitam escrever.

    Em Cristo, um fraternal abraço.

    Alisson Lopes

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.